segunda-feira, 16 de março de 2020

S. K. Tremayne - A Assistente [Divulgação TopSeller]


Data de publicação: 16 Março 2020

               Título Original: The Assistant
               Tradução:
               Preço com IVA: 17,69€ 
               Páginas: 336
               ISBN: 9789896688950

Sinopse: Jo Ferguson está feliz por se mudar para casa da sua melhor amiga, em Londres. O luxuoso apartamento de alta tecnologia é gerido por uma meticulosa assistente virtual chamada Electra, que, entre outras coisas, cuida do aquecimento e das luzes.
Certa noite, porém, Electra diz uma frase que ameaça fazer ruir o mundo de Jo: «Sei o que fizeste.» Jo fi ca aterrorizada. Porque no passado ela fez algo terrível. Algo imperdoável. Apenas duas outras pessoas conhecem o segredo de Jo, e elas nunca contariam a ninguém. Ou contariam?
À medida que um inverno rigoroso paralisa Londres, Jo começa a perceber que a assistente virtual não quer apenas controlá-la...
Ela quer destruí-la.

Sobre o autor: S. K. Tremayne é jornalista e escritor. Nasceu em Inglaterra, em 1963, e estudou Filosofia na University College London. Como jornalista escreveu para o Times, o Daily Mail, o Sunday Times e o Guardian. Em 2013 tornou-se blogger e comentador para o Daily Telegraph, no Reino Unido. Vive em Londres e tem duas filhas.
Todos os seus livros foram grandes êxitos de vendas nacionais e internacionais.

Imprensa
«Arrepiante!» 
Sunday Times




sexta-feira, 13 de março de 2020

Alison Belsham - O Ladrão de Tatuagens [Divulgação Bertrand]


Data de publicação: 13 Março 2020

               Título Original:The Tatoo Thief
               Tradução: Ana Ribeiro
               Preço com IVA: 17,70€
               Páginas: 352
               ISBN: 9789722536837 

Sinopse: Castle Rock é uma pequena cidade, cenário de muitos livros de Stephen King, e as notícias correm depressa.Um corpo encontrado em Brighton, dentro de um contentor, é uma má notícia. Mas é também uma oportunidade única para um ambicioso polícia, recém-promovido, mostrar aos seus superiores que a confiança que depositaram nele tem toda a razão de ser. Para tal, o inspetor Francis Sullivan tem de resolver o crime a todo custo. Um desafio colocado por  um  dos serial killersmais maquiavélicos do país. A peça-chave da investigação tem  um nome, Marni Mullins, a tatuadora que encontrou o cadáver e que conhece a estranha alquimia do sangue e da tinta. Mas Marni tem um passado tempestuoso e muitas razões para desconfiar da justiça...O inspetor Francis Sullivan precisa de ajuda. Há um assassino à solta, que recorta as tatuagens dos corpos das suas vítimas ainda vivas, e Marni conhece esse mundo como a palma da sua mão. Marni e Francis formam uma dupla absolutamente irresistível neste thriller cujo conceito e imagens são fortíssimos. 

Sobre a autora: Alison  Belsham começou  a  escrever  com  a  ambição  de  se  tornar  argumentista – em 2000  foi  distinguida  com  o  Orange  Prize  Screenwriting  e,  em  2001,  foi  finalista  numa competição  para  guionistas  promovida  pela  BBC.  Em  2016,  publicou  o  seu  primeiro thriller, O Ladrão de Tatuagens, que apresentou no Bloody Scotland Crime Writing, um dos mais prestigiados eventos dedicados à literatura policial, onde o livro foi aclamado como vencedor.

Imprensa
«Arrepiante, de leitura compulsiva, a primeira incursão de Belsham no crime anuncia a chegada de uma voz nova de exceção.»
Daily Mail


Stephen King - Elevação [Divulgação Bertrand]


Data de publicação: 13 Março 2020

               Título Original: Elevation
               Tradução: Ana Lourenço
               Preço com IVA: 14,40€
               Páginas: 120
               ISBN: 9789722538886 

Sinopse: Castle Rock é uma pequena cidade, cenário de muitos livros de Stephen King, e as notícias correm depressa. É por isso  que  Scott  Carey  quer  confiar  o  seu  estranho  segredo  apenas  ao  Dr.  Bob  Ellis:  anda  a  perder  peso  sem emagrecer,e a balança regista o mesmo peso independentemente da roupa que usa.Scott tem duas vizinhas que abriram uma «requintada experiência gastronómica» na cidade, mas a população não está  convencida.  Deirdre  e  Missy  Donaldson formamum  casal  de  lésbicas  que  não  encaixa  muito  bem  nas expectativas da comunidade. E agora Scott parece estar em guerra com elas, porque os cães do casal gostam de ir fazer as necessidades ao seu relvado.Scott começa a compreender a vida difícil das vizinhas e tenta ajudar. Enquanto a comunidade se une e se prepara para mais uma comemoração do Dia de Ação de Graças, são criadas alianças improváveis, mostrando que podemos encontrar uma base comum apesar das nossas diferenças tão enraizadas.

Sobre o autor: Stephen King nasceu  em  1947  em  Portland,  no  Maine. Deu  início  aos  seus  estudos  secundários  na  Lisbon  Falls  High  School,  onde  começou  a escrever  contos,  ao  mesmo  tempo  que  fazia  parte  de  um  grupo  amador  de rock.  No ano  de  1960,  Stephen  King  submeteu  o  seu  primeiro  manuscrito  para  publicação,  o qual seria rejeitado. Entretanto, editava o jornal do liceu, The Drum, e escrevia para o jornal local, o Lisbon Weekly Enterprise. Publicou o seu primeiro conto, In a Half-World of Terror, num fanzine de terror.Em 1970, licenciou-se pela Universidade do Maine e, de 1971 a 1974, deu aulas numa escola secundária até ter publicado o seu primeiro romance, Carrie(1974), a história de uma rapariga com poderes telecinéticos. Atirou as primeiras páginas do trabalho ao lixo, mas foram resgatadas pela esposa, que o encorajou a continuar.  A  obra  não  teve  senão  um  sucesso  modesto,  mas,  depois  da  sua adaptação  ao  cinema  e  com  a publicação  do  romance A  Hora  do  Vampiro (1976), Stephen  King  conseguiu  afirmar-se  como  um  importante escritor.

Imprensa
«Do lendário contador de histórias Stephen King, uma história aliciante sobre “um homem comum num estado extraordinário erguendo-se acima do ódio”.»
The Washington Post

«Stephen King, “o nosso recurso renovável mais precioso”, lembra Shakespeare com a maleabilidade da sua obra.»
The Guardian 

segunda-feira, 2 de março de 2020

Helen Fields - Restos Mortais Perfeitos [Divulgação TopSeller]


Data de publicação: 2 Março 2020

               Título Original: Perfect Remains 
               Tradução:
               Preço com IVA: 20,99€ 
               Páginas: 400
               ISBN: 9789896688837

Sinopse: Elas são brilhantes.
Ele quer que elas sejam suas para sempre.
Por isso, elas têm de desaparecer.
Numa cordilheira remota do leste da Escócia, foi encontrado o corpo carbonizado de Elaine Buxton, uma conceituada advogada. As únicas coisas que permitem identificá-la são os seus dentes e um pedaço de roupa. Mas a verdadeira Elaine Buxton ainda grita na escuridão, numa sala escondida de uma casa em Edimburgo.
O inspetor Luc Callanach acabou de chegar à polícia escocesa, após uma carreira promissora na Interpol. Quando o caso de Elaine é encaminhado para o departamento de homicídios, Callanach mostra-se ansioso por provar o seu valor perante a nova equipa. Mas a investigação revela-se um desafio, pois o assassino foi extremamente meticuloso a encobrir o seu rasto.
Agora, outra mulher de sucesso foi sequestrada à porta de casa, e Callanach inicia uma corrida contra o tempo para impedir que mais vítimas sejam apanhadas no jogo perverso desta mente criminosa atormentada. Em pouco tempo, Callanach descobre que o verdadeiro destino destas mulheres é bem mais terrível do que poderia imaginar. 

Sobre a autora: Helen Fields estudou Direito em Londres. Depois de acabar o curso, exerceu Direito Criminal e de Família durante 13 anos. Atualmente é guionista e produtora cinematográfica na empresa que gere com o marido.
Helen e o marido vivem no condado de Hampshire, no sul de Inglaterra, com os seus três filhos e dois cães.

Imprensa
«Um thriller vertiginoso e emocionante que coloca um novo herói muito humano a enfrentar um dos psicopatas mais assustadores que já encontrei na ficção criminal.» 
Paul Finch, autor bestseller internacional 

«Um policial formidável e o início brilhante daquilo que desejamos que venha a ser uma longa coleção.» 
The Herald




quarta-feira, 26 de fevereiro de 2020

Kerry Daynes - O Lado Negro da Mente [Opinião]


Sinopse: AQUI

Opinião: Confesso que o género de não ficção será aquele que, com menor frequência surge, nas minhas escolhas. Creio que tal dever-se-á ao facto de haver poucas obras publicadas por cá que se debrucem sobre matéria criminal. Este título em particular centra-se na área da Psicologia Forense e recordou-me uma outra obra, Mindhunter de John Douglas.

Além de se apresentar como uma enumeração dos variados casos de investigação da autora e psicóloga, O Lado Negro da Mente é também um livro de memórias no qual Kerry Daynes vai partilhando o seu percurso profissional, de cerca de 20 anos de experiência na área, além de alguns detalhes de natureza mais pessoal.
Os seus pacientes, todos eles criminosos, apresentam um espectro variado de perturbações: desde a pedofilia ao homicídio em série, manifestando personalidades intimidantes perante os leitores da presente obra. Não obstante este facto e talvez por ter ainda a obra Mindhunter na retina, considero que os casos dos serial killers mais sonantes me pareceram bem mais chocantes do que os do título em apreço.

A principal ilação que tiro deste livro é, sem dúvida, que por mais que se leia sobre o tema da saúde mental, nunca seremos verdadeiramente capazes de compreender, na totalidade, a mente de um psicopata, pois apercebemo-nos que existem diversas motivações e origens, muitas delas recalcadas e que requerem um estudo mais aprofundado. Confesso que, para mim, é fascinante aprender mais sobre a mente humana que me parece, mesmo após inúmeros estudos, algo quase indecifrável. 

O facto do livro ter sido escrito por uma psicóloga forense com uma vasta experiência na área, relatando os casos em primeira mão, de uma forma objectiva e praticamente sem juízos de valor, torna os testemunhos mais credíveis e reais por mais inverosímeis que possam soar. 

Na minha concepção, um livro de não ficção não será para todos os públicos, mas será, com certeza, uma leitura mais valorizada por todos aqueles que, como eu, sintam um fascínio pela área da Psicologia, em particular, a forense. 
É, sem dúvida, uma obra de contornos chocantes mas com uma componente didáctica que nos convida a reflectir sobre as questões do foro mental. Como tal, não poderei deixar de recomendar!


segunda-feira, 24 de fevereiro de 2020

Debra Jo Immergut - A Reclusa [Opinião]


Sinopse: AQUI

Opinião: O novo thriller psicológico da editora Suma de Letras é também o romance de estreia da autora Debra Jo Immergut, uma autora que, a avaliar pela obra em apreço, me parece ser promissora. 

Devo confessar, antes de mais, que o cenário dos estabelecimentos prisionais não me desperta grande interesse e, por norma, nem sequer acompanho as afamadas séries televisivas com este cenário, como Prision Break, Vis -a- Vis ou Orange Is The New Black, séries estas que, exceptuando a primeira, têm como cenário prisões femininas. 

É neste ponto que assenta a minha principal crítica: pois verifiquei que existe um esforço exímio da autora em contextualizar o leitor do cenário onde se encontra. Assim, assinalei um desenvolvimento excessivo das subtramas alusivas a outras reclusas e, por consequinte, considerei que, numa fase inicial, o ritmo se revelou deveras moroso por se debruçar sobre o quotidiano no estabelecimento prisional.

Logo no primeiro capítulo é-nos apresentada a protagonista, Miranda, uma reclusa que, desde logo, informa os leitores que pretende pôr termo à vida. O encontro desta com o psiquiatra da prisão, Frank, acaba por consubstanciar um dos momentos, para mim, mais intrigantes da narrativa: percebemos, quase de imediato, que o médico desenvolve uma obsessão pela sua paciente. 
Confesso que sou algo impaciente e, na minha concepção, a trama poder-se-ia apenas centrar nesta interacção, algo que me agradaria de sobremaneira, pois afinal de contas, sou extremamente curiosa no que concerne a histórias que se debruçam sobre o tema da obsessão, não obstante entender a necessidade que a autora teve de aprofundar as subtramas relativas à intereacção de Miranda com as demais reclusas a fim de criar uma ambiência ou uma atmosfera envolvente a toda a narrativa. 

Agradou-me também o facto de a trama se apresentar narrada através das perspectivas intercaladas de Miranda e Frank, permitindo-nos conhecer os seus pensamentos mais íntimos. Os testemunhos de Frank tornaram-se mais cativantes a partir do momento em que esta personagem relata alguns episódios do seu passado, tornando mais consistente e verossímil o seu perfil obssessivo. Gostei, igualmente, de conhecer como era Miranda antes de ser detida.

Em suma, este foi um livro que me agradou pela história principal e, como já frisei, considero que caso a autora se tivesse cingido ao desenvolvimento da ligação entre Miranda e Frank a narrativa me teria arrebatado totalmente. Não deixa, contudo, de ser uma história interessante. Aconselho, sobretudo, aos fãs das séries que mencionei acima e àqueles que regozijam com histórias alicerçadas em relações obssessivas. 


terça-feira, 18 de fevereiro de 2020

Debra Jo Immergut - A Reclusa [Divulgação Suma de Letras]


Data de publicação: 18 Fevereiro 2020

               Título Original: The Captives
               Tradução:
               Preço com IVA: 18,80€
               Páginas: 296
               ISBN: 9789896655549

Sinopse: A obsessão nunca fica presa
Carregado de acção e inteligente, A Reclusa é uma reflexão íntima e emocionante sobre a liberdade e o risco, o poder masculino e feminino e os desejos de corrupção e redenção que habitam em todos nós.
Miranda Greene planeia morrer em Maio de 1999 nas instalações do estabelecimento correccional de Milford Basin, Nova Iorque. Resta-lhe cumprir mais cinquenta e dois anos de prisão por assassinato em segundo grau, sem possibilidade de liberdade sob fiança, por um acidente estúpido que nem sequer foi ela a provocar. Mas, para além de ser julgada por um juiz duro, ela era filha de um ex-congressista. Miranda tenciona ir às consultas do psiquiatra da cadeia e guardar os comprimidos que este lhe ministra até ter a quantidade necessária para pôr fim à vida.
Frank Lundquist é psiquiatra e trabalha na prisão. Antes disso, tinha um consultório particular, de sucesso, em Manhattan e casara com a mulher que amava. Perdeu tudo por causa de um terrível acidente que não provocou, apesar de se sentir culpado.
Quando Frank vê Miranda pela primeira vez, reconhece-a de imediato. No entanto, o mesmo não acontece com Miranda. Tinham feito o secundário juntos e Frank passara anos completamente apaixonado por ela. Dentro dos muros da prisão, Miranda está desesperada, atormentada pelas lembranças de uma tragédia infantil, diante de um legado familiar de moral e decisões políticas duvidosas, e ainda tentando libertar-se do amor desastroso que levou à sua queda. E também está obstinadamente determinada a manter algum controlo sobre o seu destino. Frank tornar-se-á uma poderosa esperança de absolvição e, quem sabe, até de fuga.

Sobre a autora: O romance de estreia de Debra Jo Immergut, A Reclusa, foi vendido para mais de 12 países. Debra publicou um livro de ficção curta, Propriedade Privada, e algumas histórias na American Short Fiction e na revista, em língua russa, Foreign Literature. Anteriormente, trabalhou como editora de uma revista, foi colaboradora frequente do Wall Street Journal e do Boston Globe e ensinou Redação nas universidades de Iowa e Maryland, além de o fazer também em bibliotecas e prisões. Recebeu uma bolsa da Residência Artística MacDowell e uma bolsa da Residência Literária Michener e possui um Master of Fine Arts do Iowa Writter’s Workshop.

Imprensa
«Um intenso thriller psicológico que mistura Orange is the new black com Gone Girl.»
Publishers Weekly


segunda-feira, 17 de fevereiro de 2020

M. W. Craven - Teatro de Fantoches [Divulgação TopSeller]


Data de publicação: 17 Fevereiro 2020

               Título Original: The Puppet Show
               Tradução: Pedro Póvoa
               Preço com IVA: 18,79€ 
               Páginas: 352
               ISBN: 9789896688431

Sinopse: Haverá algo pior do que ser queimado vivo?
Um assassino em série anda à solta. Ele raptou, mutilou e queimou homens nos círculos de pedra pré-históricos do condado de Cúmbria. Não deixou pistas, e a polícia está desorientada. Quando o nome do inspetor Washington Poe é encontrado gravado nos restos carbonizados da terceira vítima, ele é chamado a participar na investigação.
Poe não se quer envolver, mas o cruel assassino tem um plano e, por alguma razão, o inspetor faz parte dele. Acaba, então, por formar equipa com a brilhante, mas socialmente desajustada, analista de dados Tilly Bradshaw, e juntos irão identificar pistas que só Poe consegue seguir.
À medida que o número de corpos carbonizados aumenta, Poe percebe que há muito mais em jogo do que poderia imaginar. E, num final chocante que destrói tudo aquilo em que acreditava sobre si mesmo, o inspetor descobre que há coisas ainda piores do que ser queimado vivo…

Sobre o autor: M. W. Craven nasceu no condado de Cúmbria, no norte da Inglaterra, mas cresceu em Newcastle. Aos 16 anos, alistou-se no Exército «por acidente», decidindo depois viajar pelo mundo. Em 1995, formou-se em Serviço Social nas especialidades de criminologia e uso indevido de substâncias. Aos 30 anos regressou ao condado onde nasceu para ocupar o cargo de oficial de justiça, uma experiência que lhe viria a permitir transmitir um realismo sombrio à sua escrita.
M. W. Craven é casado e vive na região onde nasceu com a mulher e com o seu springer spaniel.

Imprensa
«Um brutal e empolgante policial que se lê de um só fôlego.»
The Sun




terça-feira, 11 de fevereiro de 2020

Jan - Erik Fjell - O Informador [Divulgação Dom Quixote]


Data de publicação: 11 Fevereiro 2020

               Titulo Original:
               Preço com IVA: 18,80€
               Páginas: 400
               ISBN: 9789722069366

Sinopse: Nova Iorque, década de 1960. Vincent Giordano foi admitido na máfia italiana, na infame família Locatelli, e é submetido ao seu batismo de fogo: executar um informador.
Fredrikstad, na atualidade. Wilhelm Martiniussen, dono de uma petrolífera norueguesa, é assassinado logo após ter anunciado uma mudança inesperada na política da sua empresa. Motivado por preocupações ambientais, havia decidido abandonar um projeto bastante lucrativo e investir nas energias renováveis, o que traria grandes perdas aos membros da direção. Há, por isso, razões para acreditar que o seu assassinato teve motivos financeiros. 
Anton Brekke, famoso detetive do departamento de homicídios da Kripos, irá liderar a investigação. Brekke é um homem de contrastes, com uma paixão secreta pelo póquer. Sem grande jeito para lidar com pessoas, a sua personalidade provocadora e rude rendeu-lhe poucos amigos na polícia. No entanto, as suas competências são inegáveis e, por baixo da fachada, tem um coração bondoso. Acompanhado pelo diligente cadete da polícia Magnus Torp, para resolver este caso, Brekke terá de trazer à tona uma série de eventos do passado e encontrar os pontos que unem um número desconcertante de pessoas muito diferentes, de diferentes épocas e lugares.

Sobre o autor: Jan-Erik Fjell (1982, Fredrikstad) é um dos principais escritores de policiais da Noruega, autor da série que tem o detetive Anton Brekke como protagonista.
Aos 28 anos, tornou-se o mais jovem vencedor do prestigioso Prémio dos Livreiros da Noruega, atribuído ao seu romance de estreia O Informador (2010). Desde então, experienciou um sucesso fulminante, e dedica-se hoje integralmente à escrita.
Com mais de 500 000 cópias vendidas na Noruega, Fjell é altamente elogiado por críticos e leitores. A sua imagem de marca consiste na combinação de uma prosa literária, personagens com densidade psicológica e histórias em várias camadas que resultam em enredos intrincados e com um desfecho imprevisível.


sexta-feira, 7 de fevereiro de 2020

Kerry Daynes - O Lado Negro da Mente [Divulgação Bertrand]


Data de publicação: 7 Fevereiro 2020

               Título Original: 
               Tradução: Rute Mota
               Preço com IVA: 16,60€ 
               Páginas: 240
               ISBN: 978972253836

Atreva-se  a entrar no mundo de uma psicóloga forense. Nenhum dia é igual ao outro,  nenhum paciente é previsível. O trabalho é assumidamente perigoso e quase sempre  inquietante: mergulhar na psique de homens e mulheres condenados, para tentar entender  o que está por trás das suas ações, muitas vezes brutais. 
O Lado Negro da Mente, que tem por base as memórias da autora, a sua vida e  experiências enquanto psicóloga forense, transporta-nos para cenários de crimes tão  assustadores que, por certo, não deixarão o leitor indiferente; mas não só; é um livro que nos leva, também, a reflectir sobre a forma como criminosos e vítimas são tratados pelo sistema judicial – e o que isso diz de nós enquanto sociedade.  
Nas livrarias a 7 de fevereiro.
Kerry Daynes é uma conceituada psicóloga forense do Reino Unido, que dedicou a sua carreira ao estudo do lado mais sombrio da mente e da alma humanas. Conheceu assassinos em série, criminosos sexuais e autoresde  crimes  violentos, e ajudou por  diversas vezes a polícia britânica em casos de alto risco. Foi vítima de um stalker, uma experiência que a fez ter uma nova perspectiva sobre os procedimentos policiais ,o  sistema prisional e as marcas psicológicas que ficam nas vítimas de crimes violentos.
 Em O Lado Negro da Mente, relata os casos que definiram os seus 20 anos de carreira e também aqueles que a moldaram como ser humano. 

Passar  todos  os  momentos  da  vida  a  olhar  para  o  lado  mais  negro  da  psique  humana  tem um  preço...  O testemunho  de  Daynes oferece-nos  uma  visão  única  das  causas  psicológicas de algumas das formas mais extremas do comportamento humano, das marcas psicológicas que os crimes violentos deixam nas vítimas e dos perigos que  uma mulher com a sua profissão encontra no dia-a-dia. 
 Kerry Daynes faz-nos ainda refletir sobre o sistema judicial, as prisões e a importância da reabilitação humana.

Sinopse: «Toda  a minha  carreira  se  baseia  no  trabalho  que  desenvolvo  com indivíduos que cometeram crimes graves e no apoio que presto às vítimas na sua tentativa de superar o trauma. Vítima ou criminoso, lido com seres humanos nos seus momentos de maior desespero.»Bem-vindo  ao  quotidiano  de  uma  psicóloga  forense.  Não  há  dois  dias  iguais.  Não  há  pacientes  previsíveis. O trabalho é muitas vezes perigoso e quase sempre inquietante. Kerry  Daynes  trabalha de perto com alguns dos criminosos mais violentos e desafiantes das prisões e hospitais psiquiátricos do Reino Unido – e também com as vítimas dos seus crimes. O seu dia é passado olhos nos olhos com o lado negro da mente humana, a tentar entender as ações brutais de homens e mulheres que foram condenados pelo sistema judicial e a ajudá-los a encetar o caminho para se tornarem cidadãos respeitadores da lei.Mas olhar para o abismo todos os dias tem os seus custos, e o testemunho lúcido e rico de Daynes mostra-nos os perigos  pessoais e profissionais que ela incorre e as experiências e pessoas que mais a influenciaram como psicóloga forense. O Lado Negro da Mente é uma viagem inesquecível às causas do comportamento humano mais extremo e a um conjunto de sistemas mal adaptados para lidar com ele.

Sobre a autora: Kerry Daynes é psicóloga forense e consultora do governo britânico para casos de alto risco. O  seu  trabalho  levou-a  das  celas  de  prisões  de  alta  segurança  a  salas  de  interrogatório  da Polícia,  às  alas  de  hospitais  psiquiátricos  e  ao  banco  de  testemunhas  do  tribunal,  na qualidade de perita, contribuindo para solucionar casos abandonados, trazer os culpados à justiça e até prevenir ataques violentos.