quarta-feira, 15 de maio de 2019

Lars Kepler - Lazarus [Divulgação Porto Editora]


Data de publicação: 16 Maio 2019

               Título Original: Lazarus
               Tradução: Regina Valente
               Preço com IVA: 18,80€
               Páginas: 528
               ISBN: 9789720049360

Violência, ação e suspense na nova investigação do inspetor Joona Linna
Chega esta quinta-feira, dia 16 de maio, às livrarias o mais recente livro dos Lars Kepler, Lazarus, o sétimo título da série protagonizada pelo inspetor Joona Linna que tem vindo a conquistar os leitores portugueses.
Como nos anteriores, este é um thriller negro, violento e emocionante, que este ano venceu, na Suécia, o Prémio Storytel para “Melhor Suspense”. 
Desta vez, o inspetor Joona Linna terá de lidar com o inesperado regresso de um homem que anseia por vingança.
Com mais de 10 milhões de exemplares vendidos em 33 países, Lars Kepler – a dupla composta por Alexander Ahndoril e Alexandra Coelho Ahndoril – são hoje uma referência inquestionável na literatura nórdica policial, considerados os sucessores de Stieg Larsson. 

Sinopse: Um homem é encontrado morto no seu apartamento em Oslo. Ao que tudo indica, a vítima era um desconhecido, saqueador de túmulos e colecionador de troféus. Aliás, quando a Polícia abre o frigorífico da cozinha, a perplexidade é total. Uns dias mais tarde, Joona Linna é contactado por uma inspetora da Polícia alemã no sentido de o ajudar com um homicídio perto de Rostock, e Joona reconhece de imediato um padrão que não pode ignorar. Alguns chamariam milagre se alguém regressasse dos mortos – outros chamar-lhe-iam um pesadelo. Lars Kepler, os mestres do thriller, estão de regresso, com o sétimo livro da série Joona Linna.

Sobre o autor: Lars Kepler é o pseudónimo de uma dupla de escritores de sucesso na Suécia: Alexander Ahndoril e Alexandra Coelho Ahndoril. O Hipnotista, primeiro volume da saga, alcançou um enorme sucesso internacional e foi adaptado ao cinema pela mão do realizador Lasse Hallström. Depois de seis volumes, chega agora Lazarus.
Mais informações em www.larskepler.com




terça-feira, 14 de maio de 2019

M.J. Arlidge - A Floresta do Mal [Opinião]


Sinopse: AQUI

Opinião: Este livro, o oitavo da serie protagonizada por Helen Grace, foi extremamente aguardado por mim e demais fãs do autor. Neste momento podemo-nos regozijar com o facto da a série completa já estar publicada em Portugal, uma vez que A Floresta do Mal foi o último livro de M.J. Arlidge a ser lançado mundialmente.

Por diversas vezes mencionei que esta é uma das minhas séries de eleição e, como tal, fiquei extasiada quando soube que este título iria ser publicado por cá. Sou uma fã atenta, confesso, e tinha conhecimento que, lá fora, esta obra saíra no final do ano passado pelo que congratulo a TopSeller pela célere publicação em terras lusas.
E claro, como tem vindo a ser habitual com as obras deste autor, as minhas expectativas foram largamente superadas!

Desta vez, o cenário dos brutais crimes é uma floresta o que, para mim, conferiu, quase de imediato, um efeito mais sombrio que os vulgares ambientes urbanos das anteriores narrativas.
Continuo a apreciar a maneira como o autor descreve os homicídios, de uma forma bastante explícita. ainda que estes sejam, na minha opinião, menos chocantes do que os modus operandi de outros antagonistas desta mesma série.

A trama é viciante, estruturada em capítulos curtos, terminando, muitos deles, em cliff hanger, incentivando a uma rápida e voraz leitura. E, como é hábito do autor, o desenvolvimento da investigação policial tem uns contornos inesperados como falsas pistas que conduzem, consequentemente, a hipóteses infundadas. Senti-me, por isso, constantemente expectante e em suspenso à medida que me aproximava do desfecho da narrativa.

Um dos elementos de sucesso da série é, indubitavelmente, a protagonista, Helen Grace. A personagem feminina, de extrema complexidade, tem vindo a surpreender pela capacidade de resolução dos casos e simultaneamente lidar com a sua atribulada vida pessoal. Muito sinceramente, não considerei que este título trouxesse novos desenvolvimentos para esta protagonista que tanto admiro, todavia, não poderei dizer o mesmo relativamente a Charlie que vive ainda ensombrada pelos eventos decorridos do livro antecessor, facto que se reflecte na presente trama.

Apesar da obra em apreço nos apresentar um caso independente dos demais resolvidos por Helen ou Charlie, fazendo apenas algumas alusões a acontecimentos anteriores, creio ser pertinente ler os livros da série cronologicamente, a fim de tirar maior proveito da série.

Em suma, embora A Floresta do Mal não seja o livro mais macabro da série, proporcionou-me uma leitura verdadeiramente emocionante. Difícil será mesmo aguardar pelo próximo livro protagonizado por Helen Grace.


quinta-feira, 9 de maio de 2019

Raymond Chandler - À Beira do Abismo [Divulgação Colecção Vampiro]


Data de publicação: 9 Maio 2019

               Titulo Original: The Big Sleep
               Tradução: Fernanda Pinto Rodrigues
               Preço com IVA: 7,70€
               Páginas: 248
               ISBN: 9789723830996

Um dos 100 melhores romances de todos os tempos pela Time Magazine e pelo The Guardian
Nova edição de À Beira do Abismo na coleção Vampiro
A Livros do Brasil publica a 9 de maio, na sua coleção Vampiro, uma nova edição do famoso À Beira do Abismo, de Raymond Chandler.
Este que foi o seu romance de estreia, lançado em 1939, quando o autor tinha 51 anos, estabeleceu-o imediatamente como um mestre do policial hard-boiled, com uma escrita literária e articulada que conquistou tanto o leitor comum como o intelectual sofisticado.

Sinopse: O detetive particular Philip Marlowe é contratado para desvendar um caso de chantagem envolvendo a bela Carmen Sternwood, filha de um velho milionário, mas rapidamente a investigação ganha contornos sórdidos. Marlowe vê-se envolvido numa teia de corrupção e crime: um negócio de aluguer de livros pornográficos, o misterioso desaparecimento de um membro da família, rapto, sedução perversa e uma série de homicídios.

Sobre o autor: Raymond Chandler nasceu em Chicago em 1888. Aos oito anos, mudou-se com a mãe para Inglaterra, regressando aos Estados Unidos em 1912. Combatente da Primeira Guerra Mundial, fixou-se depois do armistício em Los Angeles, onde desempenhou funções como administrador em empresas petrolíferas. Aos 44 anos, em 1932, perde o trabalho na sequência da Grande Depressão e, inspirado pela leitura da revista Black Mask, decide escrever a sua primeira história policial, "Blackmailers Don’t Shoot", revelada naquela publicação em 1933. À Beira do Abismo, o seu romance de estreia, é publicado em 1939, apresentando a personagem do lendário detetive privado Philip Marlowe, herói também dos outros seis livros que publicou em vida, entre os quais se destacam A Dama do Lago (1943) e O Imenso Adeus (1953), estes já publicados na coleção Vampiro da Livros do Brasil.
Faleceu a 26 de março de 1959, em La Jolla, Califórnia.


Já na coleção Vampiro:
No. 1: Os Crimes do Bispo, de S.S. Van Dine
No. 2: Vivenda Calamidade, de Ellery Queen
No. 3: O Falcão de Malta, de Dashiell Hammett
No. 4: O Imenso Adeus, de Raymond Chandler
No. 5: Picada Mortal, de Rex Stout 
No. 6: O Mistério dos Fósforos Queimados, de Ellery Queen
No. 7: A Liga dos Homens Assustados, de Rex Stout
No. 8: A Morte da Canária, de S. S. Van Dine 
No. 9: O Grande Mistério de Bow, de Israel Zangwill
No. 10. A Dama do Lago, de Raymond Chandler
No. 11. A Pista do Alfinete Novo, de Edgar Wallace
No. 12. Colheita Sangrenta, de Dashiell Hammett
No. 13. O Caso da Quinta Avenida, de Anna Katharine Green  
No. 14. O Caso Benson, de S.S. Van Dine 
No. 15. O Impostor, de E. Phillips Oppenheim
No. 16. A Chave de Cristal, de Dashiell Hammett
No. 17. O Crime do Escaravelho, de S.S. Van Dine
No. 18. O Gato de Diamantes, de Dorothy L. Sayers 
No. 19. A Quadrilha de Rubber, de Rex Stout 
No. 20. O Enigma do Sapato Holandês, de Ellery Queen
No. 21. Um Crime em Glenlitten, de E. Phillips Oppenheim
No. 22. Estrada Para A Morte, de Margery Allingham
No. 23. O Crime Exige Propaganda, de Dorothy L. Sayers 
No. 24. A Porta das Sete Chaves, de Edgar Wallace 
No. 25. O Mistério do Ataúde Grego, de Ellery Queen
No. 26. O Enigma do Casino, de S.S. Van Dine 
No. 27. Mistério em Branco, de J. Jefferson Farjeon 
No. 28. Crime na Alta-Roda, de Margery Allingham 
No. 29. O Mistério do Quarto Amarelo, de Gaston Leroux

JP Delaney - Acredita em Mim [Divulgação Suma de Letras]


Data de publicação: 9 Maio 2019

               Título Original: Believe Me
               Tradução: Ester Cortegano
               Preço com IVA: 18,80€
               Páginas: 424
               ISBN: 9789896657871

Sinopse: Claire Wright gosta de se pôr na pele de outras pessoas. Mas quem é o isco… e quem é a presa?
Claire é uma inglesa estudante de teatro em Nova Iorque. Sem o green card, não tem outra saída senão aceitar o único emprego que consegue: trabalhar para uma firma de advogados especializados em casos de divórcio. A sua missão é fingir que é uma rapariga fácil, em bares de hotel, para desmascarar maridos infiéis. Quando um dos seus alvos se transforma no objecto de uma investigação por assassinato, a Polícia pede a Claire que use todas as suas habilidades para ajudar a atrair o suspeito para uma confissão. Mas, desde o início, ela tem dúvidas. Patrick Fogler é realmente um assassino? Ou o único marido decente que conheceu? E… será que lhe estão a ocultar alguma informação relevante para o caso? Depressa Claire percebe que está a desempenhar o papel mais perigoso da sua vida…

Sobre o autor: JP Delaney, pseudónimo de um escritor de ficção de sucesso e diretor criativo numa das maiores agências de publicidade do Reino Unido, estreou-se no thriller psicológico com o bestseller internacional A Rapariga de Antes. Foi publicado em mais de 30 países, tendo alcançado grande sucesso em todos eles. O filme baseado nesse romance será levado ao grande ecrã pelo realizador Ron Howard (Apollo 13, Uma mente brilhante, O código Da Vinci,…). Acredita em Mim, o segundo thriller deste autor, alcançou os primeiros lugares nas listas de mais vendidos nos Estados Unidos e Inglaterra, os primeiros países onde o livro foi publicado.

Imprensa
«Um thriller sombrio e assombroso. Uma excelente evocação de emoções em conflito, que não nos permite adivinhar o que virá a seguir.»
Daily Mail


segunda-feira, 6 de maio de 2019

Alex Michaelides - A Paciente Silenciosa [Passatempo Editorial Presença]


Desta vez, e em parceria com a Editorial Presença, a menina dos policiais tem para sortear três exemplares do livro A Paciente Silenciosa de Alex Michaelides. Para participar no passatempo tem apenas de responder acertadamente a todas as questões seguintes.
São mantidos os moldes do passatempo anterior: a partilha do passatempo numa rede social, pública, garante ao participante mais uma entrada válida!

Regras do Passatempo:

- O passatempo começa hoje, 6 de Maio de 2019 e termina às 23h59 do dia 16 de Maio de 2019.
- Os participantes deverão ser seguidores do blogue (fazer login na caixa dos seguidores na barra direita do blogue)
- Os participantes vencedores serão escolhido aleatoriamente.
- Os vencedores serão contactados via e-mail.
- O blogue não se responsabiliza por extravios dos CTT.
- Apenas poderão participar residentes em Portugal e só será permitida uma participação por residência.
- Se precisarem de ajuda podem consultar aqui

Só me resta desejar boa sorte aos participantes!!! :)

Para mais informações sobre o livro A Paciente Silenciosa, clique aqui
Para mais informações sobre a Editorial Presença, clique aqui







quarta-feira, 1 de maio de 2019

Alex Michaelides - A Paciente Silenciosa [Divulgação Editorial Presença]


Data de publicação: 8 Maio 2019

               Título Original: The Silent Patient
               Colecção: Grandes Narrativas #716
               Tradução: Marta Mendonça
               Preço com IVA: 17,90€
               Páginas: 336
               ISBN: 9789722363822

Sinopse: Alice Berenson é uma pintora britânica, jovem e famosa, que vive numa casa sublime nos arredores de Londres com o marido, Gabriel, um conhecido fotógrafo de moda. A vida de ambos parece perfeita. Mas uma noite , quando ele chega a casa depois de uma sessão fotográfica, Alicia mata -o com cinco tiros. E nunca mais diz uma palavra.
A recusa de Alicia em falar e dar qualquer tipo de explicação sobre a tragédia, transforma-se num mistério que prende a imaginação da opinião pública, e confere a Alicia uma notoriedade sem precedentes. O preço dos seus trabalhos artísticos dispara e ela, a paciente silenciosa, é alvo de um mediatismo implacável. Para evitar isso, é conduzida para uma unidade forense de alta segurança no norte de Londres.
Theo Faber, um psicoterapeuta criminal, espera há muito pela oportunidade de trabalhar com Alicia. A sua determinação em convencê-la a falar e a desvendar as razões misteriosas que motivaram o assassínio do marido leva-o por um caminho tortuoso, numa busca pela verdade que ameaça consumi-lo...

Sobre o autor: Alex Michaelides nasceu no Chipre, em 1977, sendo filho de pai grego e mãe inglesa. Estudou Literatura Inglesa na Universidade de Cambridge, e tirou o mestrado em Escrita de Argumentos para Filmes no American Film Institute, em Los Angeles. Este seu primeiro romance, cujos direitos estão vendidos para 42 países, está a ser adaptado ao cinema, numa grande produção americana. Vive em Londres. Reino Unido.

Imprensa
«Um romance muito bem urdido, poderoso, convincente.»
The Observer

«Soberbo... este thriller psicológico de tensão permanente e com um enredo sofisticado eleva Alex Michaelides à categoria dos melhores autores do género.»
Publisher's Weekly

«Escrever um romance onde a protagonista permanece em silêncio não é fácil, mas esta estreia notável e envolvente - a produtora de Brad Pitt já adquiriu os direitos cinematográficos - revela que Alex Michaelides é um escritor a seguir.»
People
 
«Impossível parar de ler, profundamente impressionante e intenso, com uma imprevisibilidade tal que mesmo o leitor mais familiarizado com livros de suspense sentirá suores frios.»
Booklist

Para mais informações sobre o livro A Paciente Silenciosa, clique aqui
Para mais informações sobre a Editorial Presença, clique aqui


terça-feira, 30 de abril de 2019

B.A. Paris - Traz-me de Volta [Opinião]


Sinopse: AQUI

Opinião: Traz-me de Volta é o terceiro livro de B.A. Paris, autora que me deixou rendida após a leitura de Ao Fechar A Porta, um dos thrillers psicológicos mais desconcertantes que li até à data. Escusado será dizer que me encontrava, portanto, demasiado expectante com a publicação deste livro. 
Devido à fasquia tão elevada com que fiquei, finda a leitura do primeiro livro da autora, devo confessar que nem o segundo livro, À Beira do Colapso, nem o presente título me deixaram tão extasiada quanto a obra de estreia. 

A trama centra-se em Finn, um jovem cuja namorada, Layla, desaparecera em Paris há 12 anos. Sabemos que aquando deste acontecimento, o protagonista deu parte às autoridades locais, todavia a investigação revela-se infrutífera. Volvidos 12 anos, quando Finn decide casar com a actual parceira, Ellen, a irmã de Layla, começam a surgir pequenas pistas que desencadeiam nele algumas reacções levando-o a reviver os acontecimentos do passado.

A par da história, que me deixou extremamente curiosa, sobretudo quando ao destino de Layla, o que mais apreciei foi a construção da narrativa. 
Esta é feita não só sob a perspectiva de Finn como também de Layla, sobretudo a partir de uma determinada fase da narrativa, alternando ainda entre dois momentos temporais: o passado e o presente. Devo dizer que gosto das histórias contadas nesta forma pois permitem-nos saber, regra geral, os pensamentos mais íntimos das personagens sendo que, no caso em apreço, achei que o estilo estava bastante semelhante ao de Gone Girl por nos fazer duvidar o carácter da personagem feminina.

A história é pautada por alguns momentos tensos, sobretudo quando Finn recebe alguns emails sinistros, ao mesmo tempo que começam a aparecer alguns objectos simbólicos, factos que contribuem para o instalar de um clima de paranóia, transportando o sentimento de angústia para o leitor, por outro lado, estes acontecimentos abalam também a relação de Finn com Ellen.

Portanto, considerei toda a história bastante viciante e devo confessar-vos que li o livro, quase na sua totalidade, numa só noite, tal a curiosidade com que estava face ao rumo da narrativa, sem que o meu interesse na trama esmorecesse um segundo que fosse. Porém, pessoalmente, devo dizer que não fiquei satisfeita com o desfecho da história, embora compreenda que a autora tenha sentido necessidade de criar um clímax inesperado, no entanto, considerei que a reviravolta final foi altamente inverossímil. 

Em suma, continuarei a recomendar o grandioso livro de estreia de B.A. Paris. Ao Fechar A Porta é uma obra que tenho em tão grande consideração que, mesmo pondo um pouco de parte qualquer paralelismo entre as obras, é inevitável considerar as duas seguintes um pouco inferiores.

Para mais informações sobre o livro Traz-me de Volta, clique aqui
Para mais informações sobre a Editorial Presença, clique aqui


domingo, 28 de abril de 2019

Laura Marshall - Três Pequenas Mentiras [Divulgação TopSeller]


Data de publicação: 29 Abril 2019

               Título Original: Three Little Lies
               Tradução:
               Preço com IVA: 18,79€
               Páginas: 336
               ISBN: 9789898917942

Sinopse: Alguém andou a mentir. Alguém sabe a verdade. Alguém está de olho em ti.
Quando Sasha entra na vida de Ellen, esta fica imediatamente deslumbrada por ela. Por isso, quando Ellen começa a frequentar a casa da amiga, é incapaz de ver a escuridão que se esconde por detrás do estilo boémio daquela família.
Até que um ataque brutal tem lugar na noite de Ano Novo, mudando para sempre a vida de todos. Dez anos depois, Ellen e Sasha, ainda unidas pelo que aconteceu naquela trágica noite, partilham um apartamento em Londres. Quando Sasha desaparece, Ellen teme o pior. A polícia não a leva a sério, mas os acontecimentos do passado dão-lhe boas razões para ter medo.
O que aconteceu realmente? Quem está a dizer a verdade? Será que Ellen conhece, de facto, Sasha? Ellen terá de procurar respostas a estas perguntas para conseguir encontrar a amiga. Mas alguém sabe que andam a remexer no passado? e esse alguém não quer que a verdade venha ao de cima. 

Sobre a autora: Laura Marshall cresceu em Wiltshire, no sudoeste de Inglaterra, e estudou Inglês na Universidade do Sussex. Quando decidiu que queria escrever, fez formação em Escrita Criativa através de um programa da agência literária Curtis Brown.
O seu primeiro romance, Pedido de Amizade, foi finalista do Bath Novel Award 2016 e alcançou a shortlist para o Lucy Cavendish Fiction Prize de 2016. Foi bestseller do Sunday Times e de vendas em e-book. Vive em Kent com o marido e os dois filhos.
Mais sobre a autora:
www.lauramarshall.co.uk


Imprensa
«Laura Marshall é um nome a reter no mundo dos thrillers arrebatadores e sinuosos.» 
Daily Mail


Stephen King - Perdido e Achado [Opinião]


Sinopse: AQUI

Opinião: Este é então o segundo livro da trilogia protagonizada por Bill Hodges, iniciada com Sr. Mercedes, livro que, como sabeis, me deixou bastante impressionada. Apesar de ter gostado também desta continuação tenho para mim que a mesma não superou o primeiro da trilogia. Explicar-vos-ei as razões desta minha percepção, recorrendo a algumas inevitáveis comparações com o Sr. Mercedes.

A história lembrou-me, nos primeiros instantes, uma outra história do autor, Misery, na medida em que se debruça sobre um fã de um determinado escritor que, inconformado com o desfecho do protagonista de uma série que aprecia, acaba por matar o autor da mesma. Esta relação entre escritor e leitor fez-me lembrar, automaticamente, a que é estabelecida entre as afamadas personagens criadas por Stephen King, Paul Sheldon e Annie Wilkes, uma das minhas vilãs preferidas!
No caso da obra em apreço surge-nos a personagem Bellamy, um oportunista que rouba o cofre do autor, levando o conteúdo com dinheiro e manuscritos por publicar e escondendo-os num certo local, não acabando, contudo, por usufruir do feito uma vez que é preso. Acaba por ser um menino, Peter Saubers, a descobrir o cofre e, trinta e cinco anos depois, quando Bellamy é solto, vai ter que ajustar contas com o autor do crime.

Como é hábito nas obras de King o título debruça-se, nas primeiras páginas, numa exaustiva caracterização das personagens, uma circunstância que aprecio pois facilita a conexão do leitor com todos os protagonistas. A ponte com o livro anterior é feita através da profundidade da personagem do pai de Peter que se viu envolvido no acidente do Mercedes contudo e tirando esse facto não vislumbrei mais nenhuma ligação ao livro antecessor da trilogia até porque a presença do protagonista, Bill Hodges, é ínfima. Para quem ficou fã do detective devo dizer que este surge somente numa fase tardia da trama, envolvendo-se no caso, devo dizer que, com muita pena minha, pois confesso que esperava que o mesmo tivesse uma participação mais activa na obra.
No entanto gostei de o "rever" assim como Holly, uma personagem que transitou igualmente de Sr. Mercedes e que teve uma grande evolução.

A par das personagens, agradou-me a subtil reflexão que é feita em torno dos livros raros, do coleccionismo destes objectos e mesmo da relação que os leitores estabelecem com os autores uma vez eu própria sou fascinada pelo mundo da literatura.

A meu ver, na presente obra, o confronto entre herói/vilão poderia ter sido muito mais emocionante do que no livro antecessor na medida em que Peter parece alguém inofensivo face à perseguição que lhe é movida. Além disso, apesar de considerar Perdido e Achado uma obra desafiante, confesso que esperava mais reviravoltas. A partir de um certo ponto, o presente título acaba por se tornar previsível e creio ser esse o ingrediente que mais se destacou em Sr. Mercedes e, por conseguinte, ter-me-à feito com que apreciasse mais o primeiro livro da trilogia do que o segundo. 

Ainda que tenha gostado da caracterização do presente antagonista, Morris Bellamy, este não tira o destaque ao malévolo Brady Hartsfield que não teve mais do que uma alusão já no final da obra, com grande pena minha. Achei este antagonista tão interessante na primeira obra que esperava revê-lo no segundo livro da trilogia. Aparentemente, este só voltará no terceiro título. 

O desfecho da obra deixou-me deveras entusiasmada por terminar em jeito de cliffhanger, uma situação que terá maior desenvolvimento no último livro da trilogia, O Fim de Turno, cuja leitura será iniciada já no próximo mês de Maio. Estou ansiosa!


quarta-feira, 24 de abril de 2019

Mads Peder Nordbo - A Rapariga Sem Pele [Divulgação Planeta]


Data de publicação: 7 Maio 2019

               Título Original: Pigen uden hud
               Tradução: Jorge Pereirinha Pires
               Preço com IVA: 18,85€
               Páginas: 368
               ISBN: 9789897771392

Uma série com um jornalista íntegro e alma de poeta, que irá aliciar os leitores de policial.

Um policial que não se coíbe de pormenores, violento, sombrio, complexo e impressionante. Um novo autor que vai dar que... ler!

Sinopse: Eles estavam à beira do glaciar. O mar debaixo do helicóptero denso de gelo. À sua frente, a brancura infinita estendia-se até onde a luz podia alcançar. Milhões de cristais brancos. Excepto num lugar. Onde a múmia fora encontrada e Aqqalu vigiava. Lá, o gelo estava vermelho-brilhante.
Quando um cadáver viquingue mumificado é descoberto numa fenda no gelo, o jornalista Matthew Cave é destacado para cobrir a história.
No dia seguinte, a múmia desapareceu. O corpo do polícia que a guardava jaz no gelo, nu e esfolado, tal como as vítimas de uma horrível série de assassínios que aterrorizaram a remota Nuuk na década de 1970.
Enquanto Matt investiga, fica chocado com a privação e violência brutal que os locais tomam como usual. Incapaz de confiar na polícia, começa a suspeitar de um encobrimento. É quando conhece uma jovem inuit, Tupaarnaq, condenada por matar os pais e duas irmãs, que Matt começa a perceber o quão profunda é essa história... e no perigo em que se meteu.


Sobre o autor: Mads Peder Nordbo nasceu em 1970 e formou-se em Literatura, Comunicação e Filosofia pela Southern University na Dinamarca e na Universidade de Estocolmo.
Trabalha no departamento de comunicação da câmara de Nuuk, a capital da Gronelândia, onde vive com a mulher e a filha.

Imprensa
«A Rapariga Sem Pele tem todos os ingredientes necessários para um verdadeiro romance policial. Assassínio, estranheza, calafrios, superstição, segredos terríveis – mas ao mesmo tempo o leitor pode sentir a afeição do autor pela Gronelândia.»
Krimifan

«A Rapariga Sem Pele tem, na sua essência, um crime clássico combinado com a intensidade de um thriller - mas também se foca na crítica social.» 
VG Norway