terça-feira, 30 de outubro de 2018

Araminta Hall - A Nossa Forma de Crueldade [Divulgação Planeta]


Data de publicação: 30 Outubro 2018

               Título Original: Our Kind of Cruelty
               Preço com IVA: 17,77€ 
               Páginas: 304
               ISBN: 9789897770975

Uma viagem alucinante e viciante pelas trevas do amor obsessivo.
Um thriller insidioso sobre Mike, um homem controlador, manipulador e mau, que forma um plano pérfido contra Verity, a mulher que supostamente adora.

Este género de amor tóxico, que conduz à obsessão, está muito bem descrito no livro e a autora dá-nos acesso à mente retorcida de um stalker.

O passado de Mike teve uma forte repercussão na formação da sua personalidade. Filho de pais alcoólicos e abusivos acabou por entrar no sistema e foi retirado aos pais. Como consequência, também bebe e transforma-se num adulto com problemas, socialmente desajeitado e com uma certa reserva sobre o sexo feminino.

A crescente ambiguidade no livro sobre se de facto Verity manipula Mike deve-se à intenção da autora em se concentrar na perseguição de mulheres que são vítimas de stalking.

Sinopse: Esta é uma história de amor. A história de amor de Mike. Porque, para Mike, sem dúvida de que se trata de uma história de amor.
Mike e Verity têm um jogo especial. O Jogo do Desejo. Eles jogam para provar o que já sabem: que Verity ama Mike.
Que ela precisa de Mike. Não interessa que ela não responda aos seus e-mails ou telefonemas. Não interessa que lhe diga que vai casar com Angus.
Faz tudo parte do jogo secreto que costumavam jogar. E Mike, observando V de mais perto, vê os sinais. Se acompanhar cada movimento dela, ele saberá quando precisará de ser salva, pois é um homem obcecado pela ideia do romance apaixonado que viveram; e que ainda não terminou.

Sobre a autora: Araminta Hall é autora de Everything and Nothing. Tem um MA em escrita
criativa e da Universidade de Sussex e dá aulas no New Writing South in Brighton, onde vive com o marido e três filhos.
Our Kind of Cruelty é o primeiro livro publicado nos EU.

Imprensa
«Uma história de obsessão e auto-ilusão, bem como a dor que a paixão intensa pode trazer é perturbadora e emocionante.»
Daily Mail

«Um suspense psicológico intenso e sinistro. A reprodução de Hall da mentalidade e comportamento de um perseguidor é assustadora.»
Library Journal

«Um dos thrillers mais perturbadores que já li, em suma, adorei do princípio ao fim arrepiante.» 
Gillian Flynn

«Um thriller psicológico diabolicamente inteligente. Hall força os leitores a considerar as suas atitudes em relação ao sexo oposto.»
The Guardian
 

Jeff Abbott - Culpa [Opinião]


Sinopse: AQUI

Opinião: Nesta minha recensão crítica começo por confessar que não acompanho regularmente os títulos do autor Jeff Abbott. Uma vez que já li alguns dos seus livros, sei que estes se debruçam essencialmente sobre tramas de acção, um subgénero que não me estimula particularmente e, como tal, fui-me desligando da série protagonizada por Sam Capra. 
No entanto, quando me apercebi que o autor enveredou pela escrita de um thriller psicológico, fiquei bastante curiosa para ler este título. Como terão percebido, este subgénero, provavelmente, tem sido o meu preferido nos últimos tempos.

A história debruça-se sobre Jane Norton, uma jovem que sobreviveu a um acidente de viação mas apresenta algumas mazelas, nomeadamente a nível neurológico: a jovem não se recorda dos momentos que antecederam o acidente, impossibilitando-a de explicar a razão pela qual David se encontrava com ela. Este jovem morreu e Jane é responsabilizada, por amigos e familiares, pelo sucedido.

Agradou-me que a acção se tenha desenvolvido num ambiente de paranóia e desconfiança. Creio que será consensual afirmar que o leitor se questiona se Jane é uma personagem confiável e se, por conseguinte, acredita que esta, de facto, não se recorda do acidente. Talvez por este motivo, a empatia com esta personagem não é imediata, denotando-se, desde início, um fosso entre Jane e o leitor, o que, na minha opinião, intensifica o interesse em saber mais sobre esta personagem enigmática. 
Já constatei nalguns livros do subgénero de thriller psicológico que as personagens não fiáveis intensificam o mistério associado e Culpa não foi excepção. 

Tendo em conta a faixa etária das personagens, esta história poder-se-ia encaixar na categoria dos YA, embora esta trama esteja pejada de suspense. Contudo, confesso que nem atentei à idade das personagens visto que me pareceram bastante mais maduras, facto que atribuí às consequências do acidente que vitimou David, bem como às marcas que deixou na comunidade.

À medida que a trama se desenrola, o ritmo vai-se tornando mais frenético e denota-se o estilo do autor caracterizado pelo género de acção com uns laivos da temática de conspiração. Porém, a natureza do narrador, bem como o suspense que é levantado, remete-nos para o subgénero do thriller psicológico. Devo ainda destacar que me surpreenderam as inúmeras revelações sobre as personagens e os segredos que estas encerravam.

Em suma, estamos perante uma trama bem articulada que prima pelo ritmo estonteante na segunda parte da história, bem como revelações surpreendentes e um final chocante. É, portanto, uma obra de grande entretenimento que impele a uma leitura voraz. 

Para mim, Culpa supera os demais livros da série de Sam Capra. O autor, tendo saído da sua zona de conforto, creio que foi extremamente bem sucedido.


segunda-feira, 29 de outubro de 2018

Taylor Adams - Encurralados [Divulgação TopSeller]


Data de publicação: 29 Outubro 2018

               Título Original: Eyeshot
               Preço com IVA: 16,59€ 
               Páginas: 288
               ISBN: 9789898917423

Sinopse: Um thriller com uma tensão constante e uma surpreendente dose de humor negro que o manterá preso até ao assombroso final.
Um casal em busca de um recomeço de vida.
James e Elle Eversman são um jovem casal que se encontra a viajar pelo deserto de Mojave com o objetivo de começar uma nova vida. Quando o seu carro avaria misteriosamente, ficam presos no meio do nada, com pouca água e sem rede de telemóvel.
Uma emboscada perfeita.
A um quilómetro e meio de distância, William Tapp, um sniper implacável, tem-nos sob a sua mira e começa a disparar sobre eles. Rodeados por um espaço aberto e sem sítio onde se esconderem, o casal abriga-se atrás do seu carro.
Sem terem para onde fugir, como irão sobreviver?
Porém, o atirador não dá tréguas e, até ao Sol se pôr, James e Elle irão ter de lutar pelas suas vidas.

Sobre o autor: Taylor Adams é um autor norte-americano. Licenciou-se na Universidade do Leste de Washington, onde obteve o Edmund G. Yarwood Award.
Trabalhou vários anos na indústria televisiva e cinematográfica. Em 2008, realizou a curta-metragem And I Feel Fine. Vive em Washington e tem três romances publicados. 

Imprensa
«Um thriller vertiginoso e inteligente, com heróis humanos e envolventes. Maravilhoso!»
T. J. Brearton, autor bestseller internacional


Bill Clinton & James Patterson - O Presidente Desapareceu [Divulgação Porto Editora]


Data de publicação: 8 Novembro 2018

               Título Original: The President Is Missing
               Tradução: Artur Lopes Cardoso
               Preço com IVA: 17,70€ 
               Páginas: 464
               ISBN: 9789720031358

Uma combinação inesperada, um thriller político surpreendente
Ex-Presidente Bill Clinton e o mais popular autor de thrillers James Patterson uniram-se para escrever O Presidente Desapareceu

A 8 de novembro chega às livrarias portuguesas o livro que une o maior autor de thrillers James Patterson e o ex-Presidente Bill Clinton: O Presidente Desapareceu. E se Patterson contribuiu com a trama e o suspense, os oito anos de mandato de Bill Clinton acrescentam a este thriller político a autenticidade sobre o dia a dia de um Presidente dos EUA, seja na vida dentro da Casa Branca, seja na relação com outros políticos, nomeadamente líderes de grandes potências mundiais.

O protagonista deste livro é o Presidente Duncan, que partilha algumas características do seu coautor, e que tem de enfrentar um perigoso cyber attack capaz de levar o país a uma crise financeira maior que a Grande Depressão. Ao mesmo tempo, lida com uma possível conspiração para um impeachment, e acaba por desaparecer.

Lançado este verão nos EUA, O Presidente Desapareceu tem vindo a surpreender leitores e críticos, e ultrapassou mais de um milhão de exemplares vendidos em apenas dois meses.

Sinopse: O Presidente dos EUA desapareceu. O mundo está em choque!
Mas a razão do seu desaparecimento é ainda pior do que seria de supor.
Com pormenores que só um Presidente como Bill Clinton pode conhecer e o suspense que apenas um autor como James Patterson seria capaz de criar, O Presidente Desapareceu é o thriller mais empolgante e surpreendente dos últimos anos.

Sobre os autores: Bill Clinton foi eleito presidente dos Estados Unidos em 1992, cargo que ocupou até 2001. Depois de deixar a Casa Branca, criou a Fundação Clinton, que contribui para a melhoria da saúde global, através da prevenção de doenças, a criação de mais oportunidades para jovens raparigas e mulheres, a diminuição da obesidade infantil, a criação e fomento de oportunidades económicas e a análise das consequências das alterações climáticas. O Presidente Desapareceu é o seu primeiro livro de ficção.

James Patterson foi agraciado em 2015 com o Literarian Award for Outstanding Service to the American Literary Community concedido pela National Book Foundation. Detém o recorde mundial do Guinness por ter alcançado mais vezes o N.o 1 na lista de bestsellers do The New York Times, e já vendeu mais de 375 milhões de exemplares.
Um defensor incansável do poder dos livros e da leitura, James Patterson fundou uma editora especializada em literatura infantil, a JIMMY Patterson, cuja missão é simples: «Queremos que cada criança termine um livro da JIMMY dizendo “Por favor, dá-me outro”.»

 

quinta-feira, 25 de outubro de 2018

Sue Fortin - Irmãs [Divulgação HarperCollins]


Data de publicação: 2 Novembro 2018

               Título Original: Sister, Sister
               Preço com IVA: 17,70€ 
               Páginas: 368
               ISBN: 9788491392897

Sinopse: Uma perdeu-se. A outra mentiu.
Alice: bonita, simpática, manipuladora, mentirosa. Clare: inteligente, leal, paranoica, ciumenta.
Clare acha que Alice é uma mentirosa manipuladora que tenta roubar
a sua vida. Alice acha que Clare tem ciúmes do seu regresso após um
desaparecimento prolongado e da nova situação familiar.

Uma das duas está a dizer a verdade. A outra é uma maníaca. Duas irmãs, uma só verdade.

Sobre a autora: Sue Fortin nasceu em Hertfordshire, Grã-Bretanha, mas teve uma vida praticamente nómada, com mudanças frequentes antes de assentar arraiais em West Sussex. É casada e tem quatro filhos que lhe deixam o tempo necessário para se sentar ao computador e escrever. Quando não escreve, gosta de passar o tempo em família a usufruir tanto das colinas do sul de Inglaterra como do litoral. Sue é membro da Crime Writer’s Association.

Imprensa
«Irmãs tem tudo: conflito, segredos de família e traição, tudo junto faz com que seja merecedor das cinco estrelas que lhe atribuí.»
Brook Cottage Books

«Senti tantas emoções ao ler este livro. Sobretudo medo e pânico… um romance brilhante.»
Crooks on Books

«Viciante, intenso, dramático, emocionante, comovedor, brilhantemente atrevido e muito mais… cada uma das suas páginas vale bem a pena.»
Sky’s Book Corner

terça-feira, 16 de outubro de 2018

Karin Slaughter - Sabes Quem É? [Opinião]


Sinopse: AQUI

Opinião: Antes de escrever a minha recensão crítica de Sabes Quem É?, devo congratular a editora pela rapidez na publicação deste livro, cuja edição original remota a Agosto deste ano. 
Confesso que, sendo uma fã ávida da autora, estava empolgada por iniciar a leitura desta obra. Infelizmente, as minhas expectativas foram defraudadas.

Após um início intenso, caracterizado por um banho de sangue num centro comercial, a trama acabou por perder o fôlego e encaminhar-se numa direcção que não foi a que eu teria idealizado. Aliás, atrevo-me a constatar que o desenvolvimento de Sabes Quem É? se distancia das tramas antecessoras de Slaughter pois, como os fãs da autora poderão comprovar, estas assentam, regra geral, sobre histórias com contornos macabros protagonizadas por personagens bastante complexas. 

Embora não considere que haja uma falha na profundidade das personagens - até porque o cerne da trama incide sobre a personagem de Laura e nos segredos que ela escondeu ao longo de uma vida - achei que a explicação para esta, sem querer adiantar mais do que a sinopse, não me convenceu. Confesso que não me agradam particularmente histórias alicerçadas sobre missões secretas, falsas identidades e outros ingredientes mais usuais do subgénero de espionagem e acção.
Atendendo a que estamos perante um livro de Karin Slaughter, esperava que as personagens fossem dotadas com aquela aura pesada a que a autora nos habituou outrora e que me deixavam desolada. Não me senti, em momento algum, destroçada com nenhuma personagem devido à sua conotação negativa, muitas vezes atribuídas a um passado conturbado, um sentimento comum quando li alguns livros da série de Will Trent, Flores Cortadas ou A Boa Filha.

Por norma aprecio a forma como a história foi conduzida, alternando entre duas linhas temporais distintos, o que permite contextualizar o leitor sobre os acontecimentos no passado e presente, não obstante ter sentido alguma indiferença relativamente à subtrama de 1986. Tal motivo ter-se-á prendido com a alegada história de espionagem, terrorismo e conspiração, temas que, particularmente, não me seduzem, e, como tal, segui com muito mais interesse a subtrama relativa à actualidade. 
Nem as reviravoltas alusivas da história de Laura nos anos 80 foram suficientes para me cativar pois imaginei sempre que a autora iria desenhar um passado bem mais tortuoso para esta personagem. 

O ritmo é muito lento, um aspecto comum na escrita da autora embora, habitualmente, eu relativize esse aspecto em detrimento das tramas bem conseguidas e que captam o meu total interesse.
Neste caso em particular, a morosidade da história tornou-se mais penosa dado que não senti afinidade com uma das subtramas.

Em suma, Sabes Quem É? não me cativou como esperava. Está muito aquém da bibliografia de Slaughter que sigo atentamente (tendo lido, inclusivé, alguns títulos de Will Trent em inglês - muito superiores, a meu ver). Particularmente não gostei desta abordagem que é realmente inovadora para a autora em questão contudo, para ser sincera, não revejo Karin Slaughter aqui.
Pelos motivos anteriormente explanados, e na minha modesta opinião, a mais recente obra de Karin Slaughter não é, de todo, o seu melhor trabalho. Deixarei esse lugar, definitivamente, para Flores Cortadas.


segunda-feira, 15 de outubro de 2018

Riley Sager - Duas Verdades E Uma Mentira [Divulgação TopSeller]


Data de publicação: 15 Outubro 2018

               Título Original: The Last Time I Lied
               Preço com IVA: 19,99€ 
               Páginas: 400
               ISBN: 9789898917430 

Sinopse: Quanto mais próxima está a verdade, mais perigoso é o seu preço.
Há quinze anos, Emma Davis estava num campo de férias com amigas. Era a sua primeira vez e estava a divertir-se. Até à noite em que três delas, Vivian, Natalie e Allison, desapareceram. Nessa noite, a última lembrança de Emma foi ver Vivian a fechar a porta da cabana onde as quatro dormiam e a pedir-lhe silêncio.
Agora, Emma é uma pintora conhecida. Desenha florestas tenebrosas, com folhas e galhos entrelaçados a criarem efeitos espantosos. O que os compradores dos seus quadros não sabem é que, por detrás das suas composições, Emma desenha sempre formas espetrais de meninas vestidas de branco, que depois cobre de tinta.
Quando recebe um convite para ser orientadora de arte no mesmo campo, que vai reabrir tanto tempo depois, Emma aceita. Ao chegar, no entanto, tudo parece estranho.
Há uma câmara apontada à sua cabana. Ninguém ali parece confiar nela. Quando começa a encontrar pistas deixadas por Vivian, Emma apercebe-se de que algumas mentiras não podem ficar enterradas. 

Sobre o autor: Riley Sager é o pseudónimo de um autor norte- -americano bestseller internacional. Natural da Pensilvânia, trabalhou como jornalista, editor e designer gráfico, e é atualmente escritor a tempo inteiro.
Duas Verdades e uma Mentira é o seu segundo thriller, sendo que o primeiro, Vidas Finais: As Sobreviventes, foi um êxito de nível mundial, tendo sido publicado em mais de 20 países.
Além de escrever, Riley adora ler, ver filmes e cozinhar. Vive na cidade de Princeton, em New Jersey.

Imprensa
«O final é estarrecedor. Digno de um golpe do destino de filme noir.» 
The Wall Street Journal 

«Nenhuma crítica poderá fazer justiça a este livro. O autor criou uma história de tirar o fôlego. Se ainda não é fã, leia e vai ficar convencido para toda a vida!»
Suspense Magazine


sexta-feira, 12 de outubro de 2018

Stephen King - A Coisa: Livro I [Divulgação Bertrand]


Data de publicação: 11 Outubro 2018

               Título Original: IT
               Tradução: Maria João Lourenço & Cristina Lourenço
               Preço com IVA: 22,20€
               Páginas: 704
               ISBN: 9789722535670 

Sinopse: O clássico de King sobre sete adultos que regressam ao lugar onde cresceram para enfrentar um pesadelo que todos eles lá viveram… algo maléfico e sem nome: a Coisa.
Bem-vindos a Derry, no Maine. Uma cidade vulgar: familiar, ordeira e, na maior parte das vezes, um bom sítio para viver.
Mas há um grupo de crianças que sabe que há algo de tremendamente errado com Derry. É nos esgotos da cidade que a Coisa se esconde, à espreita, à espera… e às vezes sobe ao solo, tomando a forma de todos os pesadelos, do maior medo que se encerra dentro de cada um de nós.
O tempo passa, as crianças crescem e esquecem. Mas a promessa que fizeram há vinte e oito anos exige-lhes que voltem à cidade da infância para enfrentarem o mal que se agita bem no fundo da memória de todos e emerge agora, uma vez mais, trazendo novamente o pesadelo e o terror ao presente.

Sobre o autor: Stephen King é um dos mais populares autores contemporâneos. Escreveu mais de quarenta livros, incluindo A Cúpula e 22/11/63.
Recebeu diversos prémios literários ao longo da sua carreira, incluindo o Bram Stoker Award, o World Fantasy Award, o Nebula Award e o prestigiado National Book Award.
Conta hoje com mais de trezentos milhões de exemplares vendidos em cerca de trinta e cinco países. Números e um currículo impressionantes a fazerem jus ao seu estatuto de escritor mais bem pago do mundo.



Mary Higgins Clark & Alafair Burke - A Bela Adormecida Assassina [Divulgação Bertrand]


Data de publicação: 12 Outubro 2018

               Título Original: The Sleeping Beauty Killer
               Preço com IVA: 16,60€ 
               Páginas: 312
               ISBN: 9789722535588

Da série Sob Suspeita, chega-nos o novo título de Mary Higgins Clark em parceria com Alafair Burke: A Bela Adormecida Assassina. 
Um thriller emocionante e carregado de suspense – ou não fosse Mary Higgins Clark a Rainha do Suspense -, no qual um crime cometido há 15 anos volta a ser investigado, desta vez pelo famoso programa de televisão Sob Suspeita. Casey, que foi acusada de assassinar o noivo, o famoso filantropo Hunter Raleigh III, quer limpar o seu nome e a ida àquele programa de televisão é a sua grande oportunidade.
Este é o quarto título da série Sob Suspeita, que tem conquistado milhares de leitores em todo o mundo.

Sinopse: Há quinze anos, Casey foi acusada de assassinar o noivo, um famoso filantropo, mas sempre afirmou a sua inocência. Cumpriu a pena, mas continua «sob suspeita». Falam nas suas costas, não consegue arranjar emprego e até a própria mãe a trata como se fosse culpada. Agora, com o programa de Laurie, tem a última oportunidade de limpar o seu nome. Alex Buckley faz uma pausa (interrompendo o potencial romance com Laurie) e é substituído por Ryan Nichols, um brilhante advogado de Harvard, que se opõe à apresentação do caso, porque tem a certeza de que Casey é culpada. Laurie tem de enfrentar todos estes obstáculos para provar de uma vez por todas a inocência de Casey. Isto, claro, se ela estiver inocente…

Sobre as autoras: Mary Higgins Clark é autora de mais de trinta romances que obtiveram um êxito assinalável, tendo vendido mais de 150 milhões de exemplares dos seus livros em todo o mundo. Foi secretária e hospedeira, mas depois de se casar dedicou-se à escrita. Com a morte prematura do marido, que a deixou com cinco filhos pequenos, a autora investiu na escrita de guiões para rádio e, depois, nos romances. Rapidamente se tornou um dos grandes nomes da literatura de suspense, conquistando os tops de vendas, a crítica e os fãs. Foi eleita Grand Master dos Edgar Awards 2000 pela Mystery Writers of America, que também lançou um prémio anual com o seu nome. Já foi presidente da Mystery Writers of America, bem como do International Crime Congress.

Alafair Burke é autora bestseller de mais de uma dúzia de livros. Antiga advogada de acusação, é hoje professora de Direito Criminal em Manhattan.




quinta-feira, 11 de outubro de 2018

S.S. Van Dine - O Enigma do Casino [Divulgação Colecção Vampiro]


Data de publicação: 11 Outubro 2018

               Titulo Original: The Casino Murder Case
               Tradução: Fernanda Pinto
               Preço com IVA: 7,70€
               Páginas: 224
               ISBN: 9789723830798

A 11 de outubro a Livros do Brasil lança, na coleção Vampiro, um novo policial do escritor norte-americano S. S. Van Dine – O Enigma do Casino. 
Publicado originalmente em 1934, este livro foi no ano seguinte adaptado ao cinema, com Paul Lukas no papel do protagonista.

Sinopse: O douto detetive amador Philo Vance desvenda aqui uma história enigmática: uma carta anónima chega às suas mãos alertando-o de que algo trágico está prestes a acontecer no seio de uma prestigiada família nova-iorquina. Tudo será desencadeado naquela mesma noite, no Casino, avisa «alguém profundamente preocupado», e Vance decide averiguar. De facto, é aí que acabará por cair Lynn Llewellyn, o jovem herdeiro, a meio de uma aposta, após beber um copo de água, enquanto do outro lado da cidade, mais ou menos ao mesmo tempo, a sua mulher, uma antiga vedeta da Broadway, morre envenenada. Mas como, por quem e que substância tóxica lhes terá sido administrada?
Um livro repleto de intrigas familiares, investigações científicas e das inigualáveis e sempre surpreendentes deduções deste que é um dos mais carismáticos detetives da literatura policial.

Sobre o autor: S. S. Van Dine (pseudónimo de Willard Huntington Wright) nasceu a 15 de outubro de 1888, em Charlottesville, EUA. Aluno brilhante, estudou em Harvard antes de partir para Paris e
Munique, onde prosseguiu a sua formação em artes e letras e iniciou carreira como editor e crítico de arte. Em 1923, na convalescença de uma tuberculose, lê uma série de romances policiais e fica fascinado pelo género. Três anos mais tarde, lança o seu primeiro romance com assinatura S. S. van Dine, O Caso Benson, que se revela um bestseller imediato. Este será o primeiro de uma série de romances protagonizados por Philo Vance, um detetive amador algo arrogante que privilegia os indícios psicológicos dos casos a que se dedica. Com várias adaptações de obras suas ao cinema, Van Dine torna-se um nome fundamental da literatura policial norte-americana dos anos 20 e 30. Morre a 11 de abril de 1939 em Nova Iorque.
Na Livros do Brasil estão já publicados os livros O Crime do Escaravelho, O Caso Benson, Os Crimes do Bispo e A Morte da Canária.

Já na coleção Vampiro:
No. 1: Os Crimes do Bispo, de S.S. Van Dine
No. 2: Vivenda Calamidade, de Ellery Queen
No. 3: O Falcão de Malta, de Dashiell Hammett
No. 4: O Imenso Adeus, de Raymond Chandler
No. 5: Picada Mortal, de Rex Stout 
No. 6: O Mistério dos Fósforos Queimados, de Ellery Queen
No. 7: A Liga dos Homens Assustados, de Rex Stout
No. 8: A Morte da Canária, de S. S. Van Dine 
No. 9: O Grande Mistério de Bow, de Israel Zangwill
No. 10. A Dama do Lago, de Raymond Chandler
No. 11. A Pista do Alfinete Novo, de Edgar Wallace
No. 12. Colheita Sangrenta, de Dashiell Hammett
No. 13. O Caso da Quinta Avenida, de Anna Katharine Green  
No. 14. O Caso Benson, de S.S. Van Dine 
No. 15. O Impostor, de E. Phillips Oppenheim
No. 16. A Chave de Cristal, de Dashiell Hammett
No. 17. O Crime do Escaravelho, de S.S. Van Dine
No. 18. O Gato de Diamantes, de Dorothy L. Sayers 
No. 19. A Quadrilha de Rubber, de Rex Stout 
No. 20. O Enigma do Sapato Holandês, de Ellery Queen
No. 21. Um Crime em Glenlitten, de E. Phillips Oppenheim
No. 22. Estrada Para A Morte, de Margery Allingham
No. 23. O Crime Exige Propaganda, de Dorothy L. Sayers 
No. 24. A Porta das Sete Chaves, de Edgar Wallace 
No. 25. O Mistério do Ataúde Grego, de Ellery Queen

Zoje Stage - Baby Teeth [Opinião]


Terminei mais um audiobook e este é bastante peculiar. Começo por mencionar que a experiência de ouvir esta história em audiobook foi bastante positiva uma vez que a narradora consegue fazer os vários sotaques das personagens, cativando o ouvinte.

Afianço-vos que ficarão chocados com este livro embora vá beber a duas obras cinematográficas: The Bad Seed de 1956 e The Omen de 1976. O tema é, como poderão depreender pela citação destes filmes, crianças diabólicas.
Baby Teeth debruça-se sobre uma relação disfuncional entre mãe e filha e esta é, claramente, a vilã da história.

Hanna, filha de Suzette e Alex, tem apenas 7 anos. A criança não fala e, apesar de ter sido sujeita a observação de vários pediatras, nenhum consegue apresentar uma razão que justifique o mutismo da menina. Além disso, apresenta um comportamento bastante hóstil em relação à mãe.

Conforme referi acima, não há como dissociar Hanna, às personagens de Rhoda Penmark (The Bad Seed) ou de Damien (The Omen), diferindo, obviamente, no cenário, na própria interacção familiar e no contexto social.

Escrito sob as perspectivas de Suzette e Hanna, o leitor consegue perceber as duas versões das personagens e claramente toma o lado de Suzette. É consensual afirmar que esta personagem desperta empatia uma vez que, para além de se debater com este problema da instabilidade da filha, sofre de doença de Crohn. Nunca tinha visto retratada esta doença na literatura e, pelo que conheço sobre a mesma, considero que a abordagem foi bastante realista, conferindo um toque de vulnerabilidade à personagem que se vê naquela situação complexa e invulgar. Além disso, somos confrontados com alguns episódios da sua infância, pautados por alguma negligência da parte da mãe de Suzette, intensificando a sua percepção em relação à filha. Sente que a tem que proteger a todo o custo embora, simultaneamente, não consiga lidar com a aparente indisciplina que esta apresenta. 

O pai, Alex, desresponsabiliza a filha, relembrando inúmeras interacções entre pais e filhos em que um dos progenitores é o the good cop. Não acredita, na maioria das vezes, nas acções de Hanna pelo que há um desgaste na relação entre este e a esposa.

Contudo senti que, em alguns momentos, a Hanna tinha mais do que 7 anos de idade. Normalmente as crianças com estas idades têm raciocínios muito mais básicos do que as ideias articuladas e posteriores acções da personagem, escrupulosamente planeadas, com vista a denegrir e magoar a sua mãe. A meu ver, houve assim alguma falta de credibilidade associada à caracterização de Hanna.

Além disso, como consideração final, creio que a menina carecia de uma explicação concisa para aquela forma de ser tão instável. O leitor não consegue perceber, no final de contas, se Hanna estaria mentalmente doente, se é psicopata (uma hipótese que, na minha opinião, facilmente é descartada tendo em conta os seus sentimentos pelo pai) ou se, em última análise e esta pertencendo ao campo sobrenatural, está possuída pela entidade que ela admira, Maria-Anne Dufosset - a última mulher queimada por bruxaria em França.

Constatei que, já na parte final da história, uma situação foi, a meu ver, altamente inconsistente. Ora havendo uma criança desequilibrada, será de esperar que os pais sejam mais contidos nos planos com a família, certo? Há um episódio que não me soou convincente por essa razão.

Ainda uma crítica sobre o final. Sendo um desfecho que está em consonância com a história, senti falta de uma reviravolta que me surpreendesse. Teria gostado que Zoje Stage fosse mais audaz com o clímax da história.
Não compromete, no entanto, que considere que Baby Teeth, sendo uma obra de estreia da autora, esteja bem conseguida.

Em suma, este é um livro tenso e cativante que nos leva a questionar uma série de aspectos referentes à maternidade. Não é uma trama original não obstante ter-me rendido ao livro. As acções praticadas por Hanna, com vista a magoar a sua mãe, chocaram-me genuinamente. 
Seria, sem dúvida, uma excelente aposta caso fosse publicado em Portugal. Recomendo!

quinta-feira, 4 de outubro de 2018

Robert Bryndza - Segredos Mortais [Divulgação Alma dos Livros]


Data de publicação: 4 Outubro 2018

               Título Original: Deadly Secrets
               Preço com IVA: 17,45€ 
               Páginas: 304
               ISBN: 9789898907424


Sinopse: Numa manhã gelada de inverno, uma mulher acorda e encontra o corpo ensanguentado da filha à porta de casa. Quem seria capaz de tal atrocidade?
A detetive Erika Foster vive um momento de fragilidade devido ao último caso que resolveu, mas está decidida a liderar também esta investigação. Ao deitar mãos à obra, toma conhecimento de outros ataques cometidos na mesma zona pacata do sul de Londres onde o crime ocorreu. Um pormenor arrepiante liga-os ao homicídio - todas as vítimas foram atacadas por uma figura vestida de preto com uma máscara de gás.
Erika procura um assassino cujo cartão de visita é aterrorizante. O caso complica-se quando descobre a teia de segredos que rodeia a morte da bela jovem.
No entanto, ao juntar as pistas, Erika é forçada a confrontar memórias dolorosas do passado. Deve escavar bem fundo, manter-se concentrada e encontrar o assassino. Só que, desta vez, um elemento da sua equipa corre um perigo terrível...

Sobre o autor: Robert Bryndza é autor, entre outros, do bestseller mundial A Rapariga no Gelo, n.º 1 na Amazon, no USA Today e no The Wall Street Journal. Os seus livros venderam mais de dois milhões de exemplares e estão, até ao momento, traduzidos em 27 idiomas.
Os seus livros posteriores foram aclamados pelos leitores e pela crítica e tornaram-se bestsellers assim que foram lançados.


terça-feira, 2 de outubro de 2018

Karin Slaughter - Sabes Quem É? [Divulgação HarperCollins]


Data de publicação: 2 Outubro 2018

               Título Original: Pieces Of Her
               Preço com IVA: 17,70€ 
               Páginas: 624
               ISBN: 9788491392804

Sinopse: O que aconteceria se a pessoa que julgas conhecer melhor acabasse por se revelar uma perfeita desconhecida...?
Andrea Cooper sabe tudo sobre Laura. Sabe que passou toda a vida em Belle-Isle, uma pequena cidade litoral; sabe que jamais lhe escondeu qualquer segredo. Porque todos nós sabemos tudo acerca das nossas mães, não sabemos?
A sua vida sofre uma reviravolta radical quando uma ida ao centro comercial se converte num banho de sangue e Andrea vê uma faceta completamente desconhecida de Laura. Ao que parece, antes de Laura ser Laura, era uma pessoa completamente diferente. Passou os derradeiros trinta anos a esconder a sua anterior identidade, sem dar nas vistas, na esperança de que ninguém descobrisse o seu paradeiro. Mas agora encontra-se exposta e já nada voltará a ser como antes.

Sobre a autora: Karin Slaughter cresceu numa pequena cidade do Sul da Geórgia e vive actualmente em Atlanta. Na grande tradição dos thrillers literários, o talento de Karin Slaughter foi comparado ao de Thomas Harris (O Silêncio dos Inocentes) e Patrícia Cornwell. Morte Cega, o seu primeiro romance, publicado pela Gótica conheceu um enorme sucesso nos países onde foi editado. Um Muro de Silêncio é o seu segundo livro traduzido entre nós.

segunda-feira, 1 de outubro de 2018

Lene Kaaberbøl & Agnete Friis - A Criança na Mala [Divulgação TopSeller]


Data de publicação: 1 Outubro 2018

               Título Original: Drengen i kufferten
               Preço com IVA: 17,69€ 
               Páginas: 320
               ISBN: 9789898917409

Sinopse: Uma mala deixada numa estação.
Um menino fechado no interior.
Um mistério sinistro por resolver.
Nina Borg é uma enfermeira da Cruz Vermelha com uma forte consciência social, incapaz de recusar um pedido de ajuda. Quando a sua amiga Karin lhe pede que vá buscar uma mala a um cacifo na estação de comboios de Copenhaga, Nina vê-se na mais perigosa missão da sua vida.
No interior da mala encontra-se um menino de 3 anos. Está despido e sob o efeito de sedativos, mas vivo. Ao perceber que estão a ser perseguidos e que a vida de ambos corre perigo, Nina procura Karin, a única pessoa capaz de ter as respostas certas para as suas perguntas. Quem é aquela criança cuja língua Nina desconhece? Porque foi raptada?
Quando descobre que Karin foi brutalmente assassinada, Nina decide fugir, e a sua coragem e determinação levam-na a pôr em risco a própria vida para descobrir a identidade da criança e tentar salvá-la.

Sobre as autoras: Lene Kaaberbøl e Agnete Friis são uma dupla de escritoras dinamarquesas, bestsellers do New York Times e do USA Today.
Lene é escritora desde os 15 anos, com mais de 2 milhões de livros vendidos em todo o mundo, enquanto Agnete é jornalista de formação.
A Criança na Mala foi o primeiro livro que escreveram em conjunto e um verdadeiro êxito internacional, tendo sido traduzido para mais de 30 línguas. 

Imprensa
«Um thriller tenso, com um ritmo vertiginoso, que intercala várias histórias e revela gradualmente o que motiva as personagens, criando um enorme suspense.»
Booklist