quarta-feira, 31 de janeiro de 2018

Sandra Brown - Rapto Escaldante [Divulgação Quinta Essência]


Data de publicação: 20 Fevereiro 2018

               Titulo Original: Sting
               Preço com IVA: 16,60€
               Páginas: 392
               ISBN: 9789897418822

Sinopse: Num bar fumarento e sombrio do Louisiana, o olhar de Shaw Kinnard cruza-se com o da elegante Jordie Bennet. Mas não se trata de amor à primeira vista. Ele está lá para a matar.
Jordie sente que chegou a sua hora. Mas Shaw tem outros planos, pois sabe que o irmão dela, Josh, deitou indevidamente a mão a 30 milhões de dólares. No último minuto, Shaw poupa a vida de Jordie mas rapta-a. Agora, estão ambos em perigo, pois não são os únicos que procuram Josh e a fortuna roubada.
Jordie e Shaw precisam um do outro para se manterem vivos – mas confiar é baixar as defesas. E se Shaw emana uma aura de perigo que é quase irresistível, Jordie não lhe fica atrás; é misteriosa e impenetrável, e incapaz de revelar o que sente. À medida que o desejo e a tensão entre ambos aumentam, torna-se evidente que terão de fazer o impensável: confiar um no outro.
RAPTADA é uma história de encontros, desencontros e enganos… mas quem está a enganar quem?

Sobre a autora: Sandra Brown é autora de mais de setenta romances, na sua maioria bestsellers do New York Times. É uma das mais importantes escritoras de romances policiais dos Estados Unidos, distinguidas, entre outros, com os prémios Texas Medal of Arts Awards for Literature e o Thriller Master de 2008, a distinção máxima atribuída pela International Thriller Writer’s Association.
Publicou o seu primeiro romance em 1981 e, desde então, já vendeu cerca de oitenta milhões de exemplares em todo o mundo, estado a sua obra traduzida em trinta e três idiomas.
Vive com o marido em Arlington, no Texas.


Joseph Roth - Confissão de Um Assassino [Divulgação Cavalo de Ferro]


Data de publicação: 22 Janeiro 2018

               Titulo Original: Beichte eines Mörders, erzählt in einer Nacht
               Preço com IVA: 13,99€
               Páginas: 144
               ISBN: 9789896232504

Confissão de um Assassino é um dos romances mais famosos de Joseph Roth, jornalista e escritor austríaco, nascido em 1894 e falecido em 1939. Nas suas obras encontramos um admirável fresco da Europa das primeiras décadas do século XX. Neste caso, como anuncia o subtítulo, trata-se do relato de uma noite, de uma fuga, de um crime.

Sinopse: Sentado ao balcão de um restaurante, ponto de encontro de emigrantes e exilados russos em Paris, Golubchik, antigo agente da Okhrana, a temível polícia secreta do Czar, entrega-se finalmente ao relato sofrido da sua vida.
À medida que avança, copo após copo, noite dentro, os poucos clientes presentes veem-se embrenhados no fascinante percurso deste homem, desde a sua tentativa em reclamar o nome nobre do seu pai, ao encontro com uma personagem misteriosa que ensombrará para sempre o seu futuro, passando pela sua destrutiva história de amor com uma mulher e pelo seu ódio ao meio-irmão, o Príncipe.
Confissão de um Assassino, romance até hoje inédito em Portugal, é, ao estilo dos grandes romances russos, simultaneamente uma poderosa análise da natureza humana e do poder hipnótico do Mal e um retrato vívido e agitado dos modos e dos acontecimentos mais marcantes de uma época, da Revolução bolchevique ao ambiente de Paris que antecede a Primeira Guerra Mundial.

Sobre o autor:  Joseph Roth, escritor austríaco de origem judaica, nasceu em 1894 na cidade de Brody (Galícia Oriental, atual Ucrânia). Estudou Filosofia e Literatura Alemã na Universidade de Viena. Em 1916, alista-se como voluntário na Primeira Guerra Mundial e cai prisioneiro do exército russo, experiência que o marca profundamente. Após o final da guerra, inicia uma carreira no jornalismo que o leva a mudar-se com a família, primeiro para Berlim, depois para Frankfurt, e, finalmente, em 1925, para Paris.
O final da vida do escritor seria marcado pela tragédia, pressentida na sua breve e pungente novela A Lenda do Santo Bebedor, de 1939: exilado numa Paris em vésperas de mais uma guerra mundial, Roth acabaria por falecer nesse mesmo ano, consumido pelo alcoolismo. 

Imprensa«Joseph Roth é um dos grandes escritores de língua alemã do século XX.»
The Times 
«Um dos aspetos mais notáveis do talento de Roth é a sua versatilidade (...) e, nos últimos anos do seu exílio, com Confissão de um Assassino, conseguiu um livro que, entre o suspense e o livro de espionagem, nos recorda Dostoievski.»
New York Review of Books

terça-feira, 30 de janeiro de 2018

Jens Lapidus - Apagar Estocolmo [Divulgação Suma de Letras]


Data de publicação: 6 Fevereiro 2018

               Titulo Original: Sthlm Delete
               Preço com IVA: 21,90€
               Páginas: 544
               ISBN: 9789722360951

Sinopse: Quando o alarme de uma casa dispara em Värmdö, uma ilha do arquipélago de Estocolmo, um guarda acode, temendo uma invasão. Mas o que encontra está longe de ser comum: um corpo não identificável, brutalmente assassinado. Para complicar ainda mais as coisas, depara-se com um jovem ferido perto da cena do crime — um homem que a Polícia considerará o principal suspeito. Emelie Jansson, uma jovem e prometedora advogada, recém-admitida numa conhecida firma de advogados, assume o caso do jovem, apesar da discordância do seu chefe. A apoiá-la está Teddy, um ex-presidiário que tenta permanecer no lado certo da lei, trabalhando como investigador para a firma de advogados. Mas Teddy tem os seus próprios problemas — nomeadamente, o seu rebelde sobrinho, que está prestes a seguir os passos criminosos do tio. Quem é a vítima do assassinato e quem é o assassino? E por que é que todos os caminhos parecem conduzir a Mats Emanuelsson, um homem que Teddy sequestrou em tempos? Enquanto Emelie investiga, Teddy deve confrontar-se com o passado e salvar o sobrinho de um destino problemático. Rapidamente, os três ficam presos num jogo arriscado que ameaça desfazer as suas vidas.
"Apagar Estocolmo" é a história de pessoas que tentam apagar o seu passado e que estão dispostas a fazer qualquer coisa para fazer desaparecer os seus velhos eus. Fala de um mundo caprichoso que apaga algumas pessoas, enquanto concede a outras oportunidades incríveis.  

Sobre o autor:  Jens Lapidus, brilhante advogado criminalista em Estocolmo, serve-se da sua experiência profissional, que lhe oferece uma visão privilegiada, para escrever as histórias cruas e realistas que estão a conquistar o mundo. Autor comparado com James Ellroy pela crueza e realismo da sua prosa, os seus thrillers são aclamados pela crítica e pelo público nos mais de 20 países onde é publicado. Algumas das suas obras foram adaptadas para o cinema e os direitos de Apagar Estocolmo já foram também vendidos para o cinema.

Imprensa
«Finalmente um thriller épico europeu à altura dos livros de Stieg Larson  um romance selvaticamente emocionante.» 
James Ellroy

«Veloz e cheio de ação, este thriller obscuro e duro é ideal para aqueles que gostam de histórias de mistério viscerais.»
Library Journal

«Com destacadas frases de cortar a respiração, combinadas com um ritmo rápido e elegante, ao estilo da prosa crua e delicada de James Ellroy, Lapidus oferece uma intriga que o manterá colado às páginas.»
Politiken



Federico Axat - A Última Saída [Divulgação Editorial Presença]


Data de publicação: 7 Fevereiro 2018

               Titulo Original: La Última Salida
               Colecção: Grandes Narrativas #681
               Tradução: Isabel Maria Pettermann Frausto
               Preço com IVA: 19,90€
               Páginas: 408
               ISBN: 9789722360951

Um thriller psicológico fascinante e audacioso onde nada é o que parece.
Com direitos vendidos para 35 países, adaptação cinematográfica em curso e excelentes críticas internacionais.
  
Sinopse: Ted é rico e tem uma família perfeita. O que o terá levado a tomar a decisão de acabar com a própria vida ?
Quando ouve o toque da campainha, a sua primeira reação é ignorá-lo e premir o gatilho. É então que descobre uma nota escrita por si próprio de que ele não se lembra de todo: Abre a porta. É a tua última saída! Do outro lado da porta, vê um desconhecido, Lynch, que não só sabe o que Ted ia fazer como também lhe faz uma proposta difícil: um plano para evitar que a família sofra as consequências devastadoras da decisão que tomara . Ted aceita sem imaginar que a nota escrita e a proposta de Lynch são apenas o início de um jogo macabro de manipulações... Às vezes, só podemos confiar em nós próprios. Outras nem sequer isso. 

Sobre o autor: Federico Axat nasceu em Buenos Aires, em 1975. É engenheiro de formação, mas o seu interesse e vocação levaram-no também à escrita. A sua obra é marcada por suspense, surpreendentes reviravoltas na narrativa e finais sempre inesperados. É autor de Benjamim (2010), El Pantano de las Mariposas (2013). A Última Saída, o seu romance mais recente, despertou um entusiasmo tal que, mesmo antes de ser publicado em castelhano, já contava com direitos de tradução adquiridos por diversas editoras estrangeiras, estando agora publicado em mais de 35 países. Foi nomeado para o Prémio Ian Fleming Steel CWA Dagger e será brevemente adaptado ao cinema numa grande produção de Hollywood. 

Imprensa
«Abram alas, Hitchcock, P.D. James, Ruth Rendell e outros. Aqui está um thriller que fará sombra a muitos livros do género. Personagens bem construídas, um enredo destemido e uma narrativa de primeira linha são os ingredientes desta emocionante história que vai abalar o leitor.»
New York Journal of Books

«Um thriller psicológico onde nada é o que parece, onde as peças são movidas como se de um jogo de xadrez se tratasse.»
El Mundo

«Federico Axat tem o tipo de escrita hipnótica que os leitores adoram mas na qual nunca podem confiar .» 
The New York Times

Para mais informações sobre a Editorial Presença, clique aqui
Para mais informações sobre o livro A Última Saída, clique aqui


Chloé Esposito - Louca [Opinião]

Sinopse: AQUI

Opinião: Sobre esta obra, começo por dizer que estamos perante um thriller muito pouco convencional. Por essa razão creio que não se destinará a todos os leitores. 

A principal característica de Louca é, indubitavelmente, o humor com que a trama está dotada e a oscilação deste ao longo da narrativa. Começa por ser, inicialmente, um humor escatológico para caracterizar a protagonista, passando para, numa fase posterior, um registo mais negro. 

Um dos ingredientes que mais aprecio nos thrillers é a formulação das personagens que sejam detestáveis. No final do livro, custou-me rotular uma vítima e uma vilã. A protagonista pareceu-me apenas uma oportunista que toma péssimas decisões, tudo em prol do seu bem estar. O adjectivo que dá nome ao livro, Louca, não poderia caracterizar melhor Alvina, mais conhecida por Alvie.
Pessoalmente gosto muito quando as personagens são intragáveis e no que concerne à presente obra, a autora acertou em cheio. O leitor apercebe-se, logo nas páginas iniciais, de uma grande futilidade por parte da protagonista. É praticamente impossível conter as gargalhadas quando lemos os episódios do aeroporto ou o casamento da irmã. Sim, Alvie tem uma gémea, Beth, aparentemente mais bem sucedida. A trama começa verdadeiramente quando Beth lhe pede para a ir visitar e que ambas troquem, momentaneamente, de identidade.

Tenho para mim que a sinopse desvenda demasiado mas fui entretanto consultar a original que ainda é mais reveladora. Não obstante, creio que a trama se tornará mais interessante a partir do momento em que Beth morre acidentalmente. A partir daí, são muitas as situações insólitas que Alvie passa e que me provocaram alguma incredulidade e risos vários. A personagem feminina torna-se, inevitavelmente, uma anti-heroína por quem torcemos que se safe das várias situações mirabolantes e imprevisíveis pelas quais passa. Muito sinceramente, quando não me estava a rir, sentia-me estupefacta pela incrível sucessão de acontecimentos. 
Há inúmeras cenas de sexo, explícitas, outro ingrediente bastante incomum na literatura de thriller. Não me chocou, até porque, muito pontualmente, gosto de ler um erótico e considero que estas passagens trouxeram alguma audácia à narrativa.

Atento também para a invulgar estrutura da história, dividida nos vários pecados mortais, introduzido com um credo, bastante simplista no entanto, por parte de Alvie com um breve flashback da sua infância. Não desresponsabiliza os seus actos, é certo, mas acabamos por sentir alguma compaixão pela personagem.

Remato com o meu cepticismo face à sua cotação no Goodreads, para mim, subvalorizada. É certo que Louca não é um thriller tradicional, razão pela qual, na minha opinião, é uma obra que traz algo de novo ao género e isso é louvável.

Louca prima por ser muito bem escrito. Não me esquecerei das tiradas hilariantes de Alvie bem como as peripécias caricatas da personagem. Estou muito curiosa por ler o segundo livro da trilogia, Bad, fazendo votos que a Bertrand seja célere na sua publicação. 
Hilariante, sexy e misterioso. Uma combinação que descreve perfeitamente esta obra. Recomendo, é claro!


quinta-feira, 25 de janeiro de 2018

Chloé Esposito - Louca [Divulgação Bertrand]


Data de publicação: 2 Fevereiro 2018

               Titulo Original: Mad
               Tradução: Fernanda Oliveira
               Preço com IVA: 17,70€
               Páginas: 384
               ISBN: 9789722534581

Luxo, inveja, loucura, sexo, segredos e crime são alguns dos ingredientes que podemos encontrar em Louca, o livro de estreia de Chloé Esposito e que chega às livrarias nacionais no dia 2 de fevereiro. Trata-se de um thriller sexy e arrebatador contado por uma voz perversa, e que tem como protagonista uma gémea que se apodera da vida perfeita da irmã após esta morrer em circunstâncias duvidosas. A autora partiu da seguinte premissa para construir o enredo de Louca: «O que me tornaria obsessivamente ciumenta? Talvez se eu tivesse uma gémea idêntica com mais sucesso do que eu, mais bonita do que eu, mais rica do que eu e casada com o homem que eu amo». 

Louca foi mesmo um dos livros mais disputados pelas editoras a nível internacional durante a Feira de Londres, sendo um dos livros mais aguardados do ano.
A obra de Chloé Esposito já despertou, inclusivamente, o interesse de Hollywood. A Universal Studios adquiriu os direitos de adaptação ao cinema e Michael de Luca, o mesmo produtor de As 50 Sombras de Grey, será o responsável pelo projeto.
  
Sinopse: Louca é um thriller passado em Londres e na Sicília, no espaço de uma violenta semana de verão, e que explora os temas do ciúme e do engano, do crime e da inveja. Uma gémea não só se apodera da vida perfeita da irmã, como se dispõe a continuar a vivê-la.
Alvie Knightly está muito em baixo: sem objetivos na vida e a beber demais. A sua vida é ainda pior se comparada com a de Beth, a sua irmã gémea e perfeita. Beth casou-se com um italiano lindo e rico, tem um bebé maravilhoso e sempre foi a preferida da mãe. Há muito tempo que a única coisa que as gémeas têm em comum é a aparência. Quando Beth envia um bilhete de avião à irmã para que a visite em Itália, Alvie mostra alguma relutância. Mas quando é despedida do emprego que detesta e os companheiros de casa a põem na rua, começa a mudar de ideias e a pensar na luxuosa villa de Taormina. Beth pede à irmã que troque de identidade com ela durante umas horas, para poder escapar à atenção do marido. Alvie agarra com unhas e dentes a oportunidade de viver a vida da irmã, ainda que temporariamente. Porém, quando a noite acaba com Beth morta no fundo da piscina, Alvie dá-se conta de que aquela é a sua oportunidade de mudar de vida. E, afinal, o que escondia Beth do marido? E porque é que a convidou para ir a Itália? Alvie vai descobrindo segredos e mentiras à medida que mergulha mais fundo na vida da irmã morta. E terá de fazer de tudo para conseguir suportar as suas próprias mentiras. 

Sobre a autora: Chloé Esposito vive em Londres com o marido e a filha. Formada em Letras pela universidade de Oxford, foi professora, assessora de direção e consultora de moda na Condé Nast. Este é o seu primeiro romance.

terça-feira, 23 de janeiro de 2018

Nuno Nepomuceno - Pecados Santos [Opinião]

Sinopse: AQUI

Opinião: Ler um livro do Nuno Nepomuceno é constatar automaticamente que existe excelente ficção policial em Portugal. É com imenso agrado que verifico que, dentro deste género, cada vez mais, os escritores portugueses dão cartas, ombreando com consagrados autores estrangeiros.

Antes de escrever o meu parecer sobre Pecados Santos, quero alertar-vos, meus caros leitores, que embora me seja muito difícil dissociar o autor da obra, cingir-me-ei apenas à trama e personagens sem que me deixe influenciar por qualquer sentimento mais pessoal.
Conhecer o autor pessoalmente e nutrir por ele, um grande sentimento de admiração e amizade poderia, à primeira vista, enviesar os meus juízos relativamente à obra.

Lembro-me de, ao ler a trilogia Freelancer, me render devagarinho. Note-se que nunca fui grande fã do subgénero de Espionagem (confesso até que nunca vi nenhum filme protagonizado pelo famigerado espião britânico James Bond), porém é praticamente impossível não apreciar aquela trilogia. Especialmente porque a escrita do autor contribuiu para uma aproximação invulgar entre o leitor e o protagonista, André Marques-Smith.

Pecados Santos aproxima-se mais dos meus gostos. O autor bem que me avisara. A dita componente de Espionagem escasseia, dando origem a um thriller policial, daqueles que eu gosto. Os crimes, descritos de forma gráfica, reportam-se a episódios bíblicos, sendo este o único ponto em que me sinto impelida a fazer um reparo. Não sou, é certo, uma conhecedora nata sobre o livro sagrado, no entanto, verifiquei que há um lapso concernente ao episódio de Abel e Caim. Abel era pastor e Caim lavrador e não o contrário como é referido na presente obra.

Descurando esta pequena imprecisão, o autor revelou um domínio de diversos conteúdos sobre religião, estabelecendo um interessante paralelismo entre Judaísmo e Cristianismo. A exposição dos temas é feita sob uma forma interessante. O primeiro impacto surge logo no início da obra, numa aula leccionada pelo professor. Creio ter-me sentido tão fascinada quanto os caloiros universitários que assistiam à palestra.
O Islamismo fora uma religião esmiuçada no livro anterior, A Célula Adormecida.

Apesar de termos personagens que migraram dessa mesma obra, como é o caso flagrante do Professor Afonso Catalão, não creio que haja uma necessidade em ler as obras como série. Os principais acontecimentos do livro antecessor são sucintamente reportados para que o leitor não perca o fio à meada. Agradou-me particularmente ver o protagonista enredado numa situação ligada ao seu passado enquanto se debatia com a trama actual. Senti que o autor nos oferecia dois mistérios: um de cariz mais pessoal e o outro, o caso de investigação criminal.
Devo salientar novamente o poder descritivo da escrita do Nuno. Senti-me a deambular, uma vez mais, pelas ruas de Lisboa ao lado do Professor Catalão. 

Na eminência de se deslindar o passado do professor, bem como a identidade do vilão a narrativa torna-se cada vez mais empolgante. O autor tirou-me o chão nas páginas finais. Senti-me simplesmente destroçada. Nos livros futuros protagonizados por Catalão, prevejo algumas alterações na dinâmica familiar. Além disso, para mim, que engendro uma série de teorias, o whodunnit foi imprevisível.
Além de ter ficado saciada com a resolução do crime, por outro lado começa a instalar-se uma nostalgia que só se apagará aquando o lançamento de um próximo livro. 

Em suma, um livro inteligente e brilhantemente escrito que não poderei deixar de recomendar não só aos ávidos pelo crime bem como aos curiosos por Teologia ou Estudos Bíblicos. 

https://www.culturaeditora.pt/wp-content/uploads/2017/10/lg_cultura.png

Rex Stout - A Quadrilha de Rubber [Divulgação Colecção Vampiro]


Data de publicação: 1 Fevereiro 2018

               Titulo Original: The Rubber Band
               Tradução: Maria do Carmo Pizarro
               Preço com IVA: 7,70€
               Páginas: 312
               ISBN:

A Quadrilha de Rubber, terceira aventura da dupla Wolfe/Goodwin, escrita em 1936, é Rex Stout no seu melhor e é publicada pela Livros do Brasil a 1 de fevereiro, na coleção Vampiro. 
Archie Goodwin, parceiro de Nero Wolfe e homem de ação, volta a ser o narrador bem-humorado desta história de ritmo veloz, onde a perspicácia do ocioso detetive amante de cerveja e de orquídeas confirma a sua superioridade, mesmo que desta vez isso quase lhe cause a morte.

Sinopse: Tudo começa quando a jovem Clara Fox é acusada de um roubo avultado dentro da empresa em que trabalha, a multimilionária Seaboard Products Corporation, mas o seu presidente não está convencido de que seja ela a culpada. Horas depois de Nero Wolfe receber o pedido para investigar este caso, uma outra visita bate-lhe à porta e solicita os seus serviços para resolver uma demanda nascida há mais de quatro décadas: um grupo de aventureiros resgatara um rapaz inglês nos tempos do Velho Oeste aceitando como pagamento um documento em que aquele se comprometia a entregar metade da fortuna da família, logo que a herdasse. E assim que se conhece a líder do grupo que agora reclama o dinheiro, torna-se claro que estes dois mistérios podem muito bem ser apenas um.

Sobre o autor:  Rex Stout nasceu a 1 de dezembro de 1886 na cidade americana de Noblesville, Indiana. Após uma breve passagem pela Universidade do Kansas, alista-se na Marinha em 1906 e durante dois anos serve a bordo do iate Mayflower, do Presidente Roosevelt, como subtenente. Em 1916 cria um sistema bancário escolar que seria implementado em mais de quatrocentos estabelecimentos de ensino e que lhe garantiu lucros confortáveis, mas em 1927 abandona os negócios e passa a dedicar-se inteiramente à escrita. Publica três romances, que obtiveram críticas favoráveis, mas é com a sua primeira obra policial que alcança o reconhecimento do grande público: Picada Mortal surgiu em 1934 e com ela surgiu a personagem de Nero Wolfe, detetive excêntrico, amante de boa comida e de belas orquídeas, que, juntamente com o jovem assistente Archie Goodwin, viria a protagonizar dezenas de histórias.
Em 1959, Rex Stout recebeu a distinção de Grande Mestre pela Mystery Writers of America.
Morreu a 27 de outubro de 1975, em Danbury, no Connecticut, cerca de um mês após a publicação do seu último romance, Um Caso Familiar.

Já na coleção Vampiro:
No. 1: Os Crimes do Bispo, de S.S. Van Dine
No. 2: Vivenda Calamidade, de Ellery Queen
No. 3: O Falcão de Malta, de Dashiell Hammett
No. 4: O Imenso Adeus, de Raymond Chandler
No. 5: Picada Mortal, de Rex Stout 
No. 6: O Mistério dos Fósforos Queimados, de Ellery Queen
No. 7: A Liga dos Homens Assustados, de Rex Stout
No. 8: A Morte da Canária, de S. S. Van Dine 
No. 9: O Grande Mistério de Bow, de Israel Zangwill
No. 10. A Dama do Lago, de Raymond Chandler
No. 11. A Pista do Alfinete Novo, de Edgar Wallace
No. 12. Colheita Sangrenta, de Dashiell Hammett
No. 13. O Caso da Quinta Avenida, de Anna Katharine Green  
No. 14. O Caso Benson, de S.S. Van Dine 
No. 15. O Impostor, de E. Phillips Oppenheim
No. 16. A Chave de Cristal, de Dashiell Hammett
No. 17. O Crime do Escaravelho, de S.S. Van Dine
No. 18. O Gato de Diamantes, de Dorothy L. Sayers

segunda-feira, 22 de janeiro de 2018

C.L. Taylor - Desaparecido [Divulgação TopSeller]


Data de publicação: 5 Fevereiro 2018

               Titulo Original: The Missing
               Preço com IVA: 18,79€
               Páginas: 352
               ISBN: 9789898869715

Sinopse: Quando Billy Wilkinson, um adolescente de 15 anos, desaparece a meio da noite, Claire, a sua mãe, culpa-se pelo que aconteceu. Mas não é a única a fazê-lo. Todos os membros da família se sentem culpados. O facto é que os Wilkinsons estão tão acostumados a guardar segredos entre si, que a verdade só começa a vir ao de cima seis meses depois. E uma coisa é certa: alguém sabe o que aconteceu a Billy.
Claire acredita desesperadamente que o filho ainda está vivo e convence-se de que a família e os amigos não têm qualquer relação com o seu desaparecimento.
E o instinto de uma mãe nunca falha… Ou falhará?

Sobre a autora: C. L. Taylor é autora bestseller de thrillers psicológicos. Os seus livros venderam para cima de um milhão de exemplares, tendo já sido traduzidos em mais de 20 línguas.
Nasceu em Worcester, no Reino Unido, e formou-se em Psicologia pela Universidade de Northumbria.
Dedica-se, desde 2014, à escrita a tempo inteiro.

Imprensa
«Este thriller repleto de reviravoltas sobre um adolescente desaparecido vai mantê-lo acordado a noite inteira.»
Heat 

«Um drama familiar emocionalmente duro, com cada incidente a reforçar a ideia de que estamos perante uma família disfuncional, rodeada de mentiras.»
Publishers Weekly


quinta-feira, 18 de janeiro de 2018

Lee Child - Escola da Noite [Passatempo Bertrand]


Desta vez, e em parceria com a editora Bertrand, a menina dos policiais tem para sortear um exemplar do livro Escola da Noite de Lee Child. Para participar no passatempo tem apenas de responder acertadamente a todas as questões seguintes.
São mantidos os moldes do passatempo anterior: a partilha do passatempo numa rede social, pública, garante ao participante mais uma entrada válida!

Regras do Passatempo:

- O passatempo começa hoje, 18 de Janeiro de 2018 e termina às 23h59 do dia 31 de Janeiro de 2018.
- Os participantes deverão ser seguidores do blogue (fazer login na caixa dos seguidores na barra direita do blogue)
- O participante vencedor será escolhido aleatoriamente.
- O vencedor será contactado via e-mail.
- O blogue não se responsabiliza por extravios dos CTT.
- Apenas poderão participar residentes em Portugal e só será permitida uma participação por residência.
- Se precisarem de ajuda podem consultar aqui

Só me resta desejar boa sorte aos participantes!!! :)


quarta-feira, 17 de janeiro de 2018

Peter James - Marcada Para Morrer [Divulgação Clube do Autor]


Data de publicação: 24 Janeiro 2018

               Titulo Original: You are Dead
               Tradução: Dina Antunes
               Preço com IVA: 18,50€
               Páginas: 472
               ISBN: 9789897244094

Se há livros capazes de interromper a respiração normal do leitor, este é um deles. Tal como a
obra anterior de Peter James, autor multipremiado com mais de 19 milhões de exemplares
vendidos, eis um thriller que promete dar que falar (e noites sem dormir).
Primeiro, há uma mulher raptada. Depois, surgem os corpos assassinados, uns no passado e
outros no presente. No final, a perversidade por trás destes crimes vai surpreendê-lo e arrepiá-lo.

Sinopse: Um grito assustador. Foi a última coisa que Jamie Ball ouviu da sua noiva Logan. Depois, a chamada caiu e Logan desapareceu. Nessa tarde, os restos de uma jovem mulher morta há trinta anos são encontrados numa escavação.
Para o detetive superintendente Roy Grace e a sua equipa estes dois casos não parecem estar relacionados. Até que outras jovens mulheres desaparecem, mais corpos emergem e uma nova pista surge: uma informação crucial que um distinto psiquiatra descobre através de um paciente, mas que só a polícia deveria saber… E o detetive tem a arrepiante impressão de que é essa a chave para entender os crimes do passado e do presente. Se é o mesmo assassino, porquê a pausa entre as mortes? Quem se esconde por trás destes crimes brutais?
O detetive Roy Grace nem imagina a perversidade que o espera…
Tem um encontro marcado com o mal.

Sobre o autor: Peter James estudou em Charterhouse, e depois na escola de cinema. Viveu nos Estados Unidos durante vários anos, onde trabalhou como argumentista e produtor de filmes (os seus projectos incluíam a galardoada série Dead of the Night), antes de regressar a Inglaterra.
Os seus romances anteriores, incluindo o best-seller Possession, foram traduzidos em 26 línguas. Todos os seus livros reflectem um profundo interesse pela medicina, a ciência e o paranormal. Recentemente produziu vários filmes, incluindo O Mercador de Veneza, protagonizado por Al Pacino, Jeremy Irons e Joseph Fiennes; e The Bridge of San Luis Rey, com Robert de Niro, Kathy Bates e Harvey Keitel. Foi também co-autor da famosa série Bedsitcom do Channel 4, nomeada para um Rose D’Or, e presentemente colabora na adaptação para televisão do seu primeiro romance Despedida de Solteiro (Gótica 2006). Peter James ganhou o Prémio de Melhor Escritor Policial do Ano de 2005 da Krimi-Blitz, na Alemanha, e Despedida de Solteiro venceu o Internacional Prix Polar 2006 e o Le Prix Coeur Noir 2007 em França. Peter James divide o seu tempo entre as suas casas em Notting Hill, Londres, e no Sussex.

De «um dos escritores de policiais mais consistente da atualidade» segundo o Daily Mail, este é «um thriller de primeira qualidade», diz a Literary Review, «concebido de forma cuidadosa, com personagens realistas, um livro extraordinário e digno de destaque», acrescenta a Publisher’s Weekly.
Mais, o The Times considera que «este livro consegue reunir todos os atributos de James e ser a sua história mais cativante e assustadora até agora», ideia corroborada pelo Huffington Post («Este pode ser o melhor livro de Peter James até agora. Realmente talentoso. Um livro que não se consegue pousar.») 


terça-feira, 16 de janeiro de 2018

Janne Teller - Nada [Opinião]

Sinopse: AQUI

Opinião: Nada de Janne Teller começou por ser um livro proibido na Dinamarca passando, posteriormente, a constar de uma lista de leituras obrigatórias. 
Foi considerado, portanto, um livro polémico, o que me levou a querer descobrir a razão pela qual a obra foi assim avaliada.
De facto, estamos perante uma trama controversa e chocante protagonizada por crianças e, como tal, poder-se-ia pensar que estaríamos perante uma história infantil. Se acharam que O Deus das Moscas é impressionante, garanto-vos que terão sensação semelhante com a leitura de Nada. 

É um livro parco em páginas mas muito intenso. Embora tenha lido Nada no último dia do ano, ainda hoje penso nas personagens e na mensagem fortíssima da trama que apela para a questão do sentido da vida. É essa a dúvida que se instala em Pierre Anthon, de 13 anos que começa a questionar o significado da existência. Os colegas, preocupados, começam a juntar uma série de objectos para comprovar que a vida é valiosa nos mais variados aspectos.

Como afiancei anteriormente, e creio que deva reforçar esta ideia, estamos perante uma obra que é polémica. Chocou-me muito, confesso. À medida que a pilha de objectos, ou de significados, aumenta, vão surgindo doações algo controversas que tomam particular relevância se tivermos em conta que os protagonistas são crianças/ pré adolescentes.
Para intensificar o impacto da pilha dos significados, vou abster-me de falar concretamente sobre os objectos lá colocados, embora acredite que é impossível ficar-se indiferente aos itens que as personagens vão acumulando.

Se me senti assoberbada à medida que os miúdos iam depositando as suas dádivas, esse sentimento acentuou-se no final. Não esperava de todo aquele desfecho, um clímax arrebatador e, de certa forma, inesperado. Não respondeu, no entanto, às múltiplas questões levantadas, até porque, tenho para mim, que o sentido da vida terá um significado muito particular para cada um de nós. Nada poderia ser um livro de cariz existencialista, até porque nos obriga, inevitavelmente, a reflectir sobre a ética e valores morais, embora a linguagem e os contornos macabros da história o elevem para um patamar mais perturbador.

Em suma, é um livro bastante cru e violento. Não creio que seja, por isso, um livro adequado para todos os leitores. Os intrincados objectos na pilha dos significados, bem como o desfecho intenso e, de certa forma, imprevisível, acabam por tornar este livro macabro, principal característica que retiro desta poderosa leitura.


Robert Goldsborough - O Caso de Nero Wolfe [Divulgação ASA]


Data de publicação: 23 Janeiro 2018

            Título Original: Archie Meets Nero Wolfe: A Prequel to Rex Stout’s Nero Wolfe Mysteries
               Preço com IVA: 13,90€
               Páginas: 272
               ISBN: 9789892340821

Sinopse: Em 1930, o jovem Archie Goodwin chega a Nova Iorque ansioso por viver em primeira mão o frenesim da cidade. Esse excesso de entusiasmo começa por lhe trazer dissabores mas acaba por lhe dar notoriedade suficiente para iniciar uma carreira de investigador. Mas será o rapto de Tommie Williamson, filho de um magnata, a pôr Archie frente ao homem que alterará o rumo da sua vida para sempre.
O desaparecimento do pequeno Tommie, de oito anos, está a deixar Nova Iorque em alvoroço. Apenas uma pessoa parece ter a capacidade de deslindar este caso: o genial e excêntrico Nero Wolfe. Mas o detetive vive em luxuosa reclusão e vai precisar de ajuda no terreno. Archie quer desesperadamente encontrar o rapazinho e mostrar que tem a aptidão necessária para formar uma parceria com Wolfe… mas conseguirá ele aquilo que nunca ninguém conseguiu antes?
O Caso de Nero Wolfe fala-nos das origens do duo detetivesco criado por Rex Stout. Robert Goldsborough capta gloriosamente o espírito da Nova Iorque dos anos 30 e revela como Nero Wolfe e Archie Goodwin uniram forças e se transformaram em lendas da literatura policial.

Sobre o autor: Robert Goldsborough nasceu em 1937 em Chicago, Estados Unidos da América. Trabalhou 45 anos para o jornal Chicago Tribune e no Advertising Age. Com o consentimento dos familiares de Rex Stout, Goldsborough escreveu a primeira obra nos 1980s protagonizada por Nero Wolfe, personagem criada por Stout. Escreveu posteriormente mais seis romances policiais protagonizados por esta personagem.
Recentemente o autor escreve com recurso a personagens criadas por si. O primeiro foi Three Strikes You're Dead, trama com lugar em Chicago e protagonizado por um jornalista do Tribune, Steve Malek.

sexta-feira, 12 de janeiro de 2018

Lee Child - Escola da Noite [Divulgação Bertrand]


Data de publicação: 19 Janeiro 2018

               Titulo Original: Night School
               Tradução: Vasco Teles de Menezes
               Preço com IVA: 18,80€
               Páginas: 392
               ISBN:  9789722534598

Sinopse: Corre o ano de 1996 e Reacher ainda está no Exército. De manhã dão-lhe uma medalha e à tarde mandam-no de volta para a escola. Nessa noite está estafado.
Há mais dois homens na turma: um agente do FBI e um analista da CIA. São ambos agentes de primeira e ambos se perguntam o que estão ali a fazer.
E depois descobrem: uma célula jiadista em Hamburgo recebeu a visita de um mensageiro saudita. Um agente da CIA infiltrado ouve dizer: «O americano quer cem milhões de dólares.»
Para quê? E de quem? Reacher e os seus parceiros terão de o descobrir. Se falharem, o mundo será palco de um ato de terrorismo de enormes dimensões.
Da América a Hamburgo, de Jalalabad a Kiev, a narrativa dispara como uma bala por territórios ambíguos, identidades falsas e novos e terríveis inimigos. 

Sobre o autor: Lee Child é de nacionalidade britânica e divide o tempo entre França e Nova Iorque. Depois de ter sido despedido do emprego na televisão, em Manchester, escreveu o primeiro romance, Killing Floor, em que deu a conhecer Jack Reacher, o herói desprendido e antigo polícia militar. Child é considerado, neste momento, um dos mais conceituados autores de thrillers em todo o mundo. O seu último romance de capa dura, Nothing to Lose atingiu o primeiro lugar na lista de livros mais vendidos do Sunday Times na mesma semana que o novo livro Bad Luck and Trouble em edição de bolso. É publicado em 36 línguas.

segunda-feira, 8 de janeiro de 2018

Nuno Nepomuceno - Pecados Santos [Divulgação Cultura Editora]


Data de publicação: 19 Janeiro 2018

               Preço com IVA: 18,95€
               Páginas: 448
               ISBN: 9789898886101

SESSÃO de LANÇAMENTO
FNAC C.C. Colombo
24 de janeiro, pelas 19h00

Sinopse: Um rabino é encontrado morto numa das mais famosas sinagogas de Londres. O corpo, disposto como num quadro renascentista, representa o sacrifício do filho de Abraão, patriarca do povo judeu. O caso parece ficar encerrado quando um jovem professor universitário a lecionar numa das faculdades da cidade é acusado do homicídio. Mas é então que ocorrem outros crimes, recriando episódios bíblicos em circunstâncias cada vez mais macabras. E as dúvidas instalam-se.
Estarão ou não estes acontecimentos relacionados?
Porque insistirá a sua família em pedir ajuda a um antigo professor, ele próprio ainda em conflito com os seus próprios pecados?
As autoridades contratam uma jovem profiler criminal para as ajudar a descobrir a verdade. Mas conseguirá esta mente brilhante ultrapassar o facto de também ela ter sido uma vítima no passado?

Sobre o autor: Nuno Nepomuceno venceu em 2012 o Prémio Literário Note! com O Espião Português, o seu primeiro romance. Seguiram-se A Espia do Oriente e A Hora Solene, com os quais concluiu a trilogia Freelancer, ambos publicados em 2015, o mesmo ano em que integrou a coletânea
Desassossego da Liberdade com o conto «A Cidade».
Em 2016 lançou A Célula Adormecida, o primeiro thriller psicológico da sua carreira.
Já foi n.o 1 do top de vendas de livros policiais em lojas como a Fnac, Bertrand, Wook e Amazon.
Desde 2017 que passou a ser representado pela Agência das Letras. Notabilizado pela sua narrativa elegante, Pecados Santos assinala o seu regresso ao thriller psicológico.

Para mais informações sobre o livro Pecados Santos, clique aqui
Para mais informações sobre a Cultura Editora, clique aqui

Cultura Editora

quarta-feira, 3 de janeiro de 2018

Robert Harris - Conclave [Divulgação Editorial Presença]


Data de publicação: 3 Janeiro 2018

               Titulo Original: Conclave
               Colecção: Grandes Narrativas, #678
               Tradução: Ana Saldanha
               Preço com IVA: 17,50€
               Páginas: 272
               ISBN: 9789722361484

Sinopse: O Papa morreu.
Por detrás das portas trancadas da Capela Sistina, cento e dezoito cardeais vindos de todo o planeta preparam-se para votar na eleição mais secreta do mundo.
São homens santos. Mas têm ambições. E têm rivais.
Ao fim das próximas setenta e duas horas, um deles tornar-se-á a figura espiritual mais poderosa da Terra. 

Sobre o autor: Robert Harris é o autor britânico de diversos romances históricos, entre os quais a trilogia constituída por Imperium, Lustrum e Dictator, e O Oficial e o Espião, tendo esta obra sido distinguida com vários prémios literários, incluindo o Walter Scott Prize para ficção histórica. Alguns dos seus livros foram adaptados ao cinema, como The Ghost, realizado por Roman Polanski. As suas obras estão traduzida em trinta e sete línguas e venderam mais de 10 milhões de exemplares. Robert Harris é Fellow of the Royal Society Literature. Vive em West Berkshire com a mulher, Gill Hornby.

Imprensa
«O maior escritor britânico de thrillers.» 
Daily Telegraph
 
«Um mestre da narrativa de ação e suspense.»
Observer
 
«O nosso expoente máximo do thriller literário.»
Sunday Times
 
«Um livro verdadeiramente apaixonante, com revelações súbitas e inesperadas nas páginas finais.»
The Times Books of the Year
 
«Há uma única expressão para descrever este romance de Robert Harris: impossível parar de ler.»
The Guardian
 
«Não é apenas um thriller de ação, é um thriller psicológico e político... Conclave é um novo triunfo na obra de Robert Harris.»
The Sunday Times

Para mais informações sobre a Editorial Presença, clique aqui
Para mais informações sobre Conclave, clique aqui 


Wilbur Smith - O Deus do Deserto [Resultado Passatempo]


Com a preciosa colaboração da editora Editorial Presença, a menina dos policiais tinha um exemplar do livro O Deus do Deserto de Wilbur Smith para oferecer. Desde já agradeço à editora e aos participantes que contribuíram para o sucesso deste passatempo. Com 144 participações válidas, as respostas correctas eram:

1. Em que país ocorre a acção de O Deus do Deserto? Egipto
2. Como se chamam as irmãs do faraó Tamose? Princesas Tehuti e Bekatha.
3. Quais são os principais inimigos do reino? Hicsos do Norte
4. Indique um livro anteriormente publicado na Editorial Presença do autor Wilbur Smith. A Lei do Deserto; Vingança de Sangue; No Rasto do Predador

Note-se que este passatempo tinha uma particularidade facultativa: quem partilhasse o passatempo no Facebook, no seu mural e de forma pública, a participação era duplicada. Assim, quem participaria na posição 1 e cumprisse este requisito, participa com os números 1 e 2. O objectivo era divulgar o blogue aos amigos :)

E após um sorteio no random.org, a vencedora é:

112 - Maria Almeida (Paul)

Parabéns à vencedora!!! A todos os que tentaram mas não conseguiram, não desistam pois terei o maior prazer em fazer estes passatempos! Boa sorte e boas leituras para todos!

Para mais informações sobre O Deus do Deserto clique aqui
Para mais informações sobre a Editorial Presença, clique aqui


 

Dorothy L. Sayers - O Gato de Diamantes [Divulgação Colecção Vampiro]


Data de publicação: 4 Janeiro 2018

               Titulo Original: Clouds of Witness
               Tradução: Mascarenhas Barreto
               Preço com IVA: 7,70€
               Páginas: 312
               ISBN:

As tramas policiais de Dorothy L. Sayers marcaram a história da literatura policial da primeira metade do século XX. Com O Gato de Diamantes, que chega às livrarias a 4 de janeiro, a autora regressa à coleção Vampiro da Livros do Brasil.
Nesta que foi uma das primeiras histórias escritas por Dorothy L. Sayers, em 1926, e que a confirmaria como uma das mais importantes autoras do género, muitos são os que têm algo a esconder e talvez nem todos os segredos estejam relacionados com o mistério de uma morte que tem lugar em Riddlesdale Lodge.

Sinopse: A pacata e pequena aldeia britânica aparentava ser o local perfeito para Gerald Wimsey, duque de Denver, reunir os amigos num retiro de caça. Mas cedo a pacatez se quebrou e a caça se revelou humana: Denis Cathcart, em vias de se tornar cunhado de Wimsey, terá sido baleado, arrastado até à estufa anexa à habitação e abandonado sobre saibro e lama vestindo ainda o fato que usara ao jantar. Às três da manhã, Gerard Wimsey é encontrado junto ao corpo sem vida e, pouco depois, acusado do crime. Lord Peter Wimsey, detetive amador e irmão do duque de Denver, não tarda a chegar a Riddlesdale decidido a tudo fazer para o tirar da prisão.

Sobre a autora:  Dorothy L. Sayers nasceu em Oxford, no Reino Unido, a 13 de julho de 1893. Foi uma das primeiras mulheres a licenciar-se pela Universidade de Oxford, em 1915, e em 1921 ingressou numa agência de publicidade, onde foi copywriter durante quase uma década. O seu interesse pela literatura de mistério iniciou-se por esta altura, tendo publicado Whose Body?, o seu primeiro romance policial, em 1923, desde logo protagonizado por Lord Peter Wimsey, detetive amador aristocrata que se tornou um dos mais famosos heróis do policial em todo o mundo. A aclamação, quer pela crítica quer pelos leitores, foi imediata, e ao longo de quase vinte anos
Sayers publicou onze romances e cinco coletâneas de contos centrados nesta personagem. Em 1930, juntamente com autores como Agatha Christie, Anthony Berkeley ou G. K. Chesterton, fundou o Detection Club, clube de escritores de histórias policiais que ainda hoje se mantém. Considerada uma das maiores autoras da literatura policial do século XX, Sayers foi também professora, poeta, ensaísta, dramaturga e tradutora. Faleceu a 17 de dezembro de 1957.

Já na coleção Vampiro:
No. 1: Os Crimes do Bispo, de S.S. Van Dine
No. 2: Vivenda Calamidade, de Ellery Queen
No. 3: O Falcão de Malta, de Dashiell Hammett
No. 4: O Imenso Adeus, de Raymond Chandler
No. 5: Picada Mortal, de Rex Stout 
No. 6: O Mistério dos Fósforos Queimados, de Ellery Queen
No. 7: A Liga dos Homens Assustados, de Rex Stout
No. 8: A Morte da Canária, de S. S. Van Dine 
No. 9: O Grande Mistério de Bow, de Israel Zangwill
No. 10. A Dama do Lago, de Raymond Chandler
No. 11. A Pista do Alfinete Novo, de Edgar Wallace
No. 12. Colheita Sangrenta, de Dashiell Hammett
No. 13. O Caso da Quinta Avenida, de Anna Katharine Green  
No. 14. O Caso Benson, de S.S. Van Dine 
No. 15. O Impostor, de E. Phillips Oppenheim
No. 16. A Chave de Cristal, de Dashiell Hammett
No. 17. O Crime do Escaravelho, de S.S. Van Dine