quarta-feira, 20 de janeiro de 2016

Jussi Adler-Olsen - Desejo de Vingança [Opinião]

Sinopse: AQUI

Opinião: Antes de mais, quero manifestar a minha satisfação face à publicação da presente obra. Gostei muito de O Guardião das Causas Perdidas e estava tão curiosa com os volumes seguintes da série que já tinha considerado ler em inglês em formato ebook.

Desejo de Vingança é o livro que sucede a O Guardião das Causas Perdidas, série que se denomina Departamento Q, uma divisão que se dedica a retomar a investigação de casos arquivados sob a supervisão de Carl Mørck e o seu ajudante Assad. A estes, na presente trama, junta-se uma personagem que me pareceu, pelas considerações tecidas, a perspicaz Rose que, embora tendo um papel secundário, parece-me uma mais valia ao Departamento.

Este livro proporciona, tal como o antecessor, uma leitura ávida. Nunca escondi que sou completamente viciada em policiais nórdicos e este, oriundo da Dinamarca, não foi excepção.

A história debruça-se, tal como o nome indica, sobre vingança um tema que, a meu ver, dá azo a uma série de interpretações sendo sempre intrigante. E de facto grande parte da história relaciona-se com uma personagem enigmática que gradualmente revela um passado algo doloroso. Agora ela só quer fazer pagar aqueles que lhe fizeram mal.
Tudo isto não obstante o ponto de partida ser o homicídio de dois irmãos, ocorrido em 1987, um caso reaberto pelo Departamento Q.

Uma vez que o autor é bastante explícito nos episódios de violência gratuita por parte de um grupo de adolescentes endinheirados e arrivistas que estudam num colégio de elite, a trama é algo chocante e creio que sugere o tema da sociopatia. A história é, portanto, bastante cruel e desmistifica o pressuposto de que os gangues se formam em estratos sociais mais baixos.

Ainda assim, não deixa de ser intrigante inteligir de que forma o passado de Kimmie (a tal personagem misteriosa acima referida) poderá relacionar-se com o homicídio dos irmãos.

Carl Mørck continua uma personagem algo sisuda, embora neste livro haja menos menções à sua vida pessoal. A trama centra-se mais no caso que este e o seu ajudante árabe têm entre mãos.

Embora na linha do livro antecessor, creio que devo ressalvar que as vítimas são bastante diferentes. Recordo-me de Merete de O Guardião das Causas Perdidas ser uma personagem mais humana, exemplificando com a relação que tinha com o irmão Ufe; em Desejo de Vingança, Kimmie parece-me, inicialmente, mais antissocial e a primeira impressão não é a melhor. Claro que à medida que a trama evolui, apercebemo-nos que a sua adolescência foi conturbada e o juízo de valores rapidamente se inverte.

Em jeito de conclusão, descobri que também este livro foi adaptado para o grande ecran. Já tive oportunidade de ver a adaptação cinematográfica e considero o livro mais rico e desafiante. O filme simplifica muito a complexidade do enredo.

Em suma, Desejo de Vingança enquanto sequela de O Guardião das Causas Perdidas, faz jus à qualidade do livro predecessor e sobre ainda mais a fasquia no que concerne ao subgénero policial escandinavo.

Para mais informações sobre o livro Desejo de Vingança, clique aqui
Para mais informações sobre a Editorial Presença, clique aqui

 




Sem comentários:

Publicar um comentário