segunda-feira, 8 de fevereiro de 2016

Jane Shemilt - A Filha Desaparecida [Opinião]

Sinopse: AQUI

Opinião: A Filha Desaparecida, tal como o nome indica, tem como mote o desaparecimento de uma adolescente de 15 anos, Naomi. Filha de pais médicos, e aparentemente inseridos numa classe social alta, torna-se inesperado que a jovem não retorne de um ensaio de teatro na escola.

O livro é narrado pela mãe, Jenny, em duas instâncias temporais distintas, amplificando o interesse pela trama. Recordo que esta estrutura de narrativa resultara bem em obras como Em Parte Incerta e Não Digas Nada, permitindo ao leitor conhecer ao mesmo tempo duas acções temporalmente distintas.
Assim, somos privilegiados em saber o que antecedeu e nos dias após o desaparecimento, em 2009 e ao mesmo tempo em que ponto está a situação um ano depois. Inicialmente parece que passado um ano, a jovem continua desaparecida e o contexto pessoal/profissional da mãe modificou-se muito.

Numa primeira análise achei que esta narração actual não fosse decisiva para a trama (afinal de contas, a subnarrativa de 2009 dá-nos a conhecer uma série de elementos referentes não só a Naomi como o restante núcleo familiar da jovem).
No entanto, é esta subnarrativa que dita o que afinal aconteceu à adolescente e, a meu ver, acresce um dramatismo à história que intensifica a credibilidade da mesma. A mãe tece considerações muito profundas sobre a dor. Convidativo para uma reflexão sobre os valores familiares, A Filha Desaparecida disseca também sobre as consequências da perda de um filho, agravadas pelo desconhecimento sobre o que terá de facto acontecido à adolescente. Também faz uma advertência à forma como a adolescência pode ser um período conturbado, de omissões para os pais. Portanto, descobrem-se alguns factos sobre Naomi que o leitor não esperava e o juízo de valores sobre esta personagem vai-se modificando ao longo da leitura.

Muito sinceramente, a única personagem com quem senti alguma afinidade foi Jenny. Creio que ela arrasta o leitor consigo naquela espiral de dor. 
Esta tem outros dois filhos gémeos que me pareceram algo mimados e o pai também me pareceu distante do acontecimento, pelo que não consegui mesmo sentir empatia pelo resto da família.

A trama é muito intrigante e o livro prendeu-me a ponto de passar duas madrugadas a ler contudo não creio que o desfecho fosse estimulante. No decorrer da leitura imaginei uma série de hipóteses sobre o que teria acontecido a Naomi e de facto a que nos é apresentada nunca me passou pela cabeça. Fiquei tão incrédula que reli aquelas duas páginas finais e senti-me profundamente decepcionada.
Compreendo que já exista alguma literatura relacionada com a temática de desaparecimento de jovens e crianças e que a autora tenha querido seguir um caminho que nunca foi explorado mas aquele final, lamentavelmente, não me convenceu.

Em suma, A Filha Desaparecida teria sido um livro excepcional se o final tivesse sido diferente, na minha opinião. É deveras convincente e intrigante mas, infelizmente, munido de um desfecho muito duvidoso.

Para mais informações sobre o livro A Filha Desaparecida, clique aqui
Para mais informações sobre a Editorial Presença, clique aqui





5 comentários:

  1. Estou a ler, já passei o meio e não sei porquê, mesmo antes de ler o que escreveste aqui, estou a antecipar um desfecho diferente....O livro, embora bem escrito, não me está a conquistar muito porque acho que lhe falta um pouco de acção. Como tu dizes, só sinto alguma simpatia pela mãe, zero pelos filhinhos e pelo pai....Quero ver se esta semana acabo, até porque estou desejosa de ler o novo da Karin Slaughter....
    Vanessa

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Vanessa!

      Também achei que a acção fosse morosa, ainda vou editar a opinião para incluir isso mas não sei porquê, senti-me arrastada no drama da Jenny. Achei muito forte nesse sentido, sabes?
      Estou mortinha para que o termines para debatermos um pouco o final, garanto-te que vais ficar ko. Depois manda-me uma mensagem ou um email a dizer o que achaste (só para não deixar aqui spoilers). Já comecei o da Karin, estou a gostar imenso! Beijinho grande

      Eliminar
  2. Terminei! Vou-te mandar mail...
    Vanessa

    ResponderEliminar
  3. Estou aqui num dilema...já li várias opiniões que dão a entender que este livro é uma perda de tempo e tem um final "mau". No entanto, é um bestseller xD Que acham? Leio ou espreito um spoiler e resolvo já o assunto? :P É que vou ter que matar a minha curiosidade de alguma forma!
    Ana J.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Ana! Muito sinceramente, é como digo na opinião. O livro cativou-me muito e li-o rapidamente mas o final é tonto... :( Se quiseres podemos falar sobre este livro ou no chat do face ou por email :)

      Eliminar