quarta-feira, 30 de março de 2016

Lars Kepler - Stalker [Opinião]

Sinopse: AQUI

Opinião: Stalker era um livro muito aguardado. Sou uma fã acérrima de Lars Kepler e já li toda a bibliografia publicada em português. Aguardo sempre, com grande expectativa, pelas publicações seguintes, que costumam ser anuais (na realidade, este veio um pouco atrasado já que O Homem da Areia remota a finais de 2014). De qualquer das formas, tinha presente um sentimento de incerteza quanto ao destino de Joona Linna, que tivera um desfecho dúbio no livro antecessor.

O aspecto mais marcante de Stalker é, sem dúvida, o regresso do hipnotista, Erik Maria Bark. Ele e Jonna Linna foram os protagonistas do romance de estreia de Kepler. Apesar de ter lido o Hipnotista em 2010, curiosamente ainda tenho muito fresca na memória a história e o papel de Erik Maria Bark que teve um papel activo na investigação.

O quinto livro de Lars Kepler tem como premissa o envio de vídeos caseiros para a polícia. Neles são mostradas mulheres indefesas que fazem tarefas quotidianas mas que são encontradas sem vida posteriormente. Numa fase inicial da investigação é a grávida Margot Silverman quem toma as rédeas mas confesso que ansiava saber de Joona Linna. Durante grande parte da trama, paira no ar a incerteza se o investigador finlandês volta à cena e verifica-se que sim e mais, que este passou por uma grande provação, entretanto.

Podemos esperar de Stalker uma história complexa, ao jeito de Lars Kepler, organizada em capítulos pequenos e convidativos a ler sempre mais um pouco. Muitas das passagens são altamente sensoriais, conferindo uma sensação palpável de tensão. Posso exemplificar-vos que, a intensificar este efeito, surge uma personagem com um papel activo na história e que é cega. 
Os vídeos são perturbadores e a descrição destes deixa uma sensação de que algo muito estranho irá acontecer. E de facto os homicídios estão tão bem caracterizados que são arrepiantes.

A trama incomodou-me por diversas vezes, não só devido à temática do stalker (afinal de contas, todos nós zelamos pela nossa privacidade) como também outros temas mais difíceis de digerir. A história relembrou-me muito a do Hipnotista, pois a situação do stalker diverge para outras situações relacionadas, voltando ao ponto de partida e explicando-a convenientemente. Sempre com um tom sombrio, como o autor já nos habituou nos livros anteriores.

Intrincado mas viciante, posso afiançar-vos que li Stalker em pouquíssimos dias. E não querendo soar um cliché, já estou expectante para o próximo livro da série. É que Jonna Linna depara-se doravante com uma situação muito diferente da que conhece até então. Estou curiosa para saber como este se vai desenvencilhar.

Apesar de me ter envolvido completamente neste livro e reforçar novamente que Lars Kepler é dos meus autores preferidos em matéria policial escandinava, Stalker não destronou a minha preferência pelo antecessor, O Homem da Areia.

Um suma, Stalker é um thriller electrizante. Gostei mesmo muito. 


7 comentários:

  1. Acabei agora mesmo de ler a obra. Confesso que não conhecia o autor, mas a contracapa fez-me, instantaneamente, querer adquirir o livro. Calculei que fosse envolvente mas superou completamente as expetativas. Li-o em 3 dias...! :) Apesar de desconhecer totalmente os livros antecessores, não me perdi por um único momento na trama. Temas controversos e descrições exímias que nos absorvem e arrepiam.
    Muitíssimo recomendado!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Jessica, recomendo O Homem da Areia que, na minha opinião, é ainda melhor que este livro! Fico mesmo contente! Adoro Lars Kepler! Beijinho e boas leituras

      Eliminar
    2. Uma vez que pretendo conhecer mais sobre Lars Kepler, fiz uma pequena pesquisa e, curiosamente, foi mesmo esse o livro que me cativou. Obrigado pela sugestão, vou já encomendar! Beijinho e boas leituras

      Eliminar
  2. Achava que kepler ia "melhorando" ao longo das publicações. Aproveitei uns saldos e comprei a coleção toda, exceto o stalker (acabei agora o homem da areia e já penso no seguinte). E cada um que lia, achava melhor que o anterior e assim sucessivamente... mas, no fundo, são todos ótimos. Ouvi que M. J. Arlidge também é muito bom, assim como Jo Nesbo. Os nórdicos são muito bons a escrever policiais... gostei de ler esta review mas li um pouco "ao de leve" com medo de spoilers, confesso. Mas ja vou mais contente comprar o stalker. Com o que li, acredito que não vai desiludir e lá vou eu, distraidamente, ler até as 2h e tal da manhã...
    Obrigado e boas leituras!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Neuza! Fez muitissimo bem que Arlidge também e muito bom :D
      Não faço spoilers nenhuns nas minhas reviews, pode ler à confiança ;)
      Depois diga-me o que achou do Stalker :)

      Um grande beijinho e boas leituras!

      Eliminar
  3. Mal posso esperar pelo novo livro... vi as minhas esperanças goradas quando não foi lançado para o Natal, será que ainda demora muito? ahhhh!!

    Já vi que estás a ler O Homem Ausente... também estou em pulgas para o adquirir (devo aproveitar um cheque oferta da FNAC). Li os 2 livros da série Bergman no inicio de Dezembro. O protagonista é mesmo um anti-heroi, mas fiquei agarrada!!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Por acaso também não sei... tenho que perguntar à PE para quando o novo :)
      Ahhh mas já o terminei ontem, é brutal! Aliás, como podes confirmar tendo lido os 2 da série. Este vai na mesma linha e tem um final que deixa mesmo a desejar por mais. Lê, lê este e dps diz o que achaste ;)

      Eliminar