segunda-feira, 11 de abril de 2016

Colleen Hoover - Amor Cruel [Opinião]

Sinopse: AQUI

Opinião: Um Caso Perdido e Uma Nova Esperança abriram-me as portas para um novo género de livros (a descobrir), o Young Adult. Embora o género ainda não me tenha convencido por completo, devo dizer que foi um prazer ler as primeiras duas obras de Colleen Hoover.
Talvez por isso, uma amiga ofertou-me Amor Cruel e não tive dúvidas em lê-lo numa altura em que estava mais cansada do meu género preferido. Ainda que tenha sido uma das primeiras leituras do ano, recordo-me de ter lido Amor Cruel num domingo de ócio.

A minha percepção, finda a leitura, foi que gostara mais das primeiras obras de Colleen Hoover. A meu ver, Um Caso Perdido e Uma Nova Esperança foram mais intensas do que a trama de Amor Cruel. Creio que esta minha percepção deve-se ao facto de haver uma tragicidade distribuída pela trama ao invés de Amor Cruel em que os acontecimentos se tornam verdadeiramente emocionantes a partir da página 236.

As obras são muito diferentes: o mundo de Hopeless era, maioritariamente, adolescente enquanto que as personagens de Amor Cruel já estão nos 20s. Também as tramas são diferentes, embora consiga ver um ponto comum que tem a ver com uma exploração do lado mais dramático das relações entre os protagonistas ou o passado dos mesmos.
E realmente é o que acontece em Amor Cruel, onde há um segredo que afecta a personagem masculina, Miles, e a sua entrega na relação com Tate. O leitor desconhece o que terá acontecido há seis anos e que tornou Miles tão fechado e frio.

Por isso nas primeiras páginas, a história foca-se muito na relação entre Miles e Tate, parecendo, inicialmente, que esta baseia-se em sexo (nada contra, até gosto de um erótico). Como li Hopeless (e a relação entre os protagonistas era mais platónica), surpreendeu-me muito ter-me deparado com tantos actos sexuais (elegantemente descritos, no entanto). 

Em suma, esta foi uma leitura que desfrutei, no entanto, creio que me teria apreciado mais se o segredo de Miles fosse descoberto numa fase menos tardia do livro. Claro que me senti chocada com o que se passou com o Miles mas creio que ter-me-ia sentido ainda mais devastada como me senti nas obras anteriores da autora.
Creio que é essa a capacidade de Colleen Hoover: envolver-nos num romance cor de rosa, para depois arrasar-nos com um segredo chocante do passado. E eu gosto disso!


Sem comentários:

Publicar um comentário