segunda-feira, 11 de abril de 2016

Marcello Simoni - A Abadia dos Cem Pecados [Opinião]


Sinopse: AQUI

Opinião: A Abadia dos Cem Pecados é o primeiro livro de uma trilogia. Já foi publicada uma outra trilogia da sua autoria, no entanto, nunca tive oportunidade de ler. Foi com esta obra que me estreei não só com este autor como no próprio género histórico. Bem, apesar de ser um romance histórico, há um mistério.

Agradeço à editora Clube do Autor que me enviou esta obra de surpresa e por conseguinte proporcionou a leitura da obra que, volto a realçar, nunca teria escolhido.

Enveredar pela leitura de A Abadia dos Cem Pecados foi como viajar até à Europa Medieval. 
Não há como não ficar rendido ao cenário (até porque, pessoalmente, não leio muitos livros cuja acção ocorra no século XIV). Além disso, a obra cativou-me ao ponto de dar por mim a indagar ao meu marido (que é historiador) ou verificar na internet se certos factos terão sido verídicos. Senti-me cativada com a descrição da sociedade medieval (e que tanto estudo com os meus alunos), com a imponência das catedrais e com o próprio ambiente em si, dominado pela religião.
Congratulo o autor Marcello Simoni, pelo exímio trabalho de pesquisa.

A história é cativante e misteriosa. Como é referido na sinopse, após a derrota francesa na batalha de Crécy, o rei da Boémia, já moribundo, entrega ao cavaleiro francês Maynard de Rocheblanch um pergaminho com um enigma. Ao ser detentor deste documento, o cavaleiro francês enreda-se numa teia de intrigas. A batalha de Crécy (e não Grécy como é referido na sinopse) foi o primeiro confronto da Guerra dos Cem Anos, pelo que achei que esta batalha foi magistralmente descrita. 

O que mais apreciei, a passo do fantástico cenário, foi esta dita teia de intrigas que se instala entre Maynard e as demais personagens, algumas de cariz maquiavélico, que mostram uma luta incessante pelo poder.

Gostei do livro, achei-o interessante e deixou-me mais open minded para ler outras obras do género. No entanto, A Abadia dos Cem Pecados é o primeiro de uma trilogia, servindo quase como uma introdução à história. Ficou tanto por explicar e eu curiosa para deslindar mais sobre este mundo!


2 comentários:

  1. Ola! Contrariamente a si, eu gosto imenso de romances desta epoca. Iniciei_me com O Nome da rosa e deliciei_me com o KEn Follet. Vou apontar este nome e depois lhe digo alguma coisa. A epoca medieval, para mim, e um fascinio. Obrigada.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Patrícia! Leia e depois diga o que achou ;)

      Eliminar