quinta-feira, 16 de maio de 2013

Karen Rose - Não Contes a Ninguém [Opinião]


Sinopse: Mary Grace Winters sabia que a única forma de ela e o filho escaparem ao marido, um agente da polícia que os maltratava, passava pela simulação das suas mortes. Agora, tudo o que resta da sua antiga vida jaz no fundo do lago... Com uma nova identidade, numa nova cidade, encontrou um refúgio a centenas de quilómetros de distância. Quase se esqueceu do pesadelo vivido há nove anos. Até resolveu tentar a sua sorte no amor com Max Hunter, um homem que também carrega as suas próprias feridas. Contudo, o marido descobre-os e, pouco a pouco, o perigo aproxima-se e ameaça tudo e todos.

Opinião: Já há muito que me estava curiosa com os livros de Karen Rose, pelo que me decidi a ler por ordem, tendo constatado mais tarde, que estes foram publicados na ordem inversa. Não Contes a Ninguém é o primeiro e conta a história de Mary Grace, uma mulher que sofre de violência doméstica.

Quando li a sinopse, imediatamente me fez lembrar de Minha Até à Morte de Lisa Gardner. Confesso que estava com muitas reservas em iniciar esta leitura pois temia que os livros fossem demasiado parecidos. Medos que se revelaram infundados, apesar de à partida, serem histórias com o mesmo fio condutor, penso que os livros conseguem ser diferentes entre si.
O primeiro aspecto que ressalta à vista é a caracterização das personagens. A autora Karen Rose, assumiu que entrevistou várias mulheres vítimas de violência doméstica, o que terá contribuído para uma caracterização mais realista da personagem Mary Grace e como conseguinte, uma abordagem muito madura à temática do abuso e violência por parte dos cônjuges.

A autora debruça-se mais sobre as personagens do que propriamente a acção. Depois do fugaz panorama de maus tratos por parte do marido de Mary Grace, a autora relata a vida desta personagem após uma mudança de identidade. E aí, as descrições sobre Caroline e a relação com os outros, em especial Max, arrastam-se. Sim, é uma trama um tanto ou quanto parada, por várias vezes senti que lia apenas um romance mas deixei-me envolver na história, na magia que se sente quando conhecemos alguém e nos sentimos atraídos por essa pessoa. E nisso Karen Rose esteve muito bem!
Gostei de todos os aspectos da história excepto um que tenho que mencionar embora não pretenda revelar nenhum spoiler: a cena melodramática por parte de Max que levou a um afastamento por parte de Caroline, para mim foi pouco coerente. Seria expectável um azedume no meio do romance, mas penso que este poderia ter consequente de algo mais credível.

Posto isto, verifica-se que o livro é caracterizado por um "suspense romântico". Categorizado desta forma apenas conhecia Sandra Brown e não creio que Karen Rose esteja aquém das suas tramas.
E de facto, é notório o modo como a autora nos envolve na história, quer pela forma que nos apaixonamos pela história de Mary Grace ou Caroline e Max ou pela repulsa que naturalmente sentimos por Rob Winters, acabando por existir um dualismo: se por um lado existem cenas sexuais explícitas (não achando que estas sejam em demasia e descritas numa linguagem bastante refinada), por outro é indiscutível o grafismo de violência por parte de Rob. É um vilão à altura dos piores que se vão encontrando nas tramas policiais e surpreenderam-me muito as suas acções afim de encontrar Mary Grace. O "pior" nisto tudo, é que de facto os maridos que têm esta postura são socialmente bem aceites, escondendo os seus instintos violentos que são assumidos dentro de casa.

Embora a história de amor patente entre Max e Caroline alivie a densa carga psicológica que se esconde a vida clandestina da protagonista e do filho, é notória a forma como o thriller sobressai a partir do momento em que se inicia uma caça ao homem.
Também denotei muito emocionante a vida de Caroline quando era Mary Grace e as suas revelações sobre o seu passado. 

Um livro altamente recomendado para os fãs de Sandra Brown. Apaixonante, emocionante e arrepiante, Não contes a Ninguém mistura harmoniosamente a componente de thriller com o romance. Formidável a forma como a autora de repente, nos deixa sonhar com o enamoramento das personagens como instantaneamente deixa fluir os níveis de adrenalina!
Estou ansiosa por ler o segundo livro de Rose, O Riso do Assassino.


4 comentários:

  1. Cá estou. :)
    Nunca li nenhum suspense romântico. Pela categorização a primeira coisa que me veio à cabeça foi a de que eventualmente não gostaria, todavia quando li a tua opinião mudei de perspectiva e fiquei curioso. Tenho um ou outro livro de Sandra Brown na wishlist e se me iniciar neste género talvez opte por essa autora. Aconselhas-ma e, no caso positivo, aconselhas-me algum título?
    Boas leituras.
    Bjs.

    ResponderEliminar
  2. Olá André!
    Sabes que eu tenho uma ideia (estereotipada) de que os livros de suspense romântico agradam mais a mulheres. Aparentemente, errada!
    Da Sandra Brown aconselho-te o Letal que foi um dos que mais gostei da autora. Esta tem uma escrita muito madura, uma abordagem ao abuso doméstico muito real, o que me agradou particularmente. Já me falaram no entanto, de outros títulos ainda melhores do que este Não Contes a Ninguém. Vou continuar a ler os livros da autora, sem dúvida ;)

    Beijinho e boas leituras ;)

    ResponderEliminar
  3. Tenho o Morre por Mim desta autora. Os livros dela têm mesmo uma sequência? Ou seja, é uma série de livros, ou vários livros sobre coisas diferentes?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Creio que o Morre por Mim e o Grita por Mim são de uma trilogia (o terceiro não foi publicado) e estes de capa dura são uma outra série

      Eliminar