quinta-feira, 17 de setembro de 2015

Stephen King - O Jogo de Gerald [Opinião]



Opinião: Na minha última ida à feira de velharias em Belém, encontrei alguns livros de Stephen King nestas edições da Círculo de Leitores (que desconhecia a sua existência), extremamente baratos. Estas edições são lindíssimas mas têm um defeito em particular: omitem as sinopses. Ainda assim, e tendo em conta que Stephen King é o rei do terror (e as poucas obras suas que li, gostei), não hesitei em adquirir quatro livros ainda que desconhecesse os conteúdos dos mesmos.

Sobre O Jogo de Gerald nada sabia pelo que iniciei imediatamente a sua leitura. Creio que desconhecer a sinopse dos livros traz uma surpresa maior ao leitor. Desta forma, acho pertinente falar um pouco sobre a trama que se foca em Jessie Burlingame. Esta é casada com Gerald e ambos vão passar uns dias à sua casa de férias no Maine. Acontece que Gerald tem práticas sexuais ao estilo do Grey (gosta de dominar, portanto) e ultimamente o marido tem prendido a esposa à cama por meio de umas algemas. Acontece que Gerald morre antes do acto sexual e Jessie fica algemada à cama, tornando-se no pior pesadelo que alguma vez experienciou.

A história desenvolve-se entre as provações a que Jessie vai sendo submetida, estando imobilizada e privada de água/comida e os devaneios que vai tendo ao longo deste período de tempo e com o cadáver do marido ao lado. Enquanto isso, a personagem feminina tece algumas considerações sobre a sua vida até então enquanto o cadáver gradualmente entra em decomposição.
Muitas das revelações de Jessie são interessantes mas na minha opinião, também existem algumas considerações supérfluas. Daí que, para mim, este livro teve alguns picos de interesse e outros mais maçudos, especialmente ao início. A meio do livro surge uma revelação intensa e senti-me bastante angustiada em lê-la.

Escasseiam os diálogos em detrimento dos vários (e extensos) monólogos interiores da personagem feminina que subdividem-se em duas vozinhas: uma que apela à boa consciência e uma outra que é o diabinho. À medida que o leitor folheia a obra, percebe a razão desta dualidade de personalidades que se debatem no interior da personagem feminina.

É um bom romance de terror que explora, numa primeira fase, um relato de sobrevivência que se consubstancia não só pela coragem de Jessie como no medo. Medo de não conseguir sair dali e de, especialmente, lidar com as memórias passadas.
Posteriormente, a trama clarifica algumas das vivências da protagonista, culminando num final bastante impressionável. 
Gostei mesmo muito deste livro e tenho pena de não se encontrar nas livrarias hoje em dia.


4 comentários:

  1. O King está entre meus escritores favoritos, principalmente por sua maneira única de escrever. Tenho este livro na estante mas ainda não li. Torço que eu acabe gostando !

    bomlivro1811.blogspot.com.br

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Espero que gostes Maurilei! :D Boas leituras!

      Eliminar
  2. Bom dia :) Onde encontrar encontrar este livro?

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Cátia!

      O meu foi um achado numa feira de alfarrabistas, até ver este nem conhecia este livro sequer... É uma questão de ir vendo em alfarrabistas, olx, bibliofeira.

      Um beijinho e boas leituras

      Eliminar