segunda-feira, 14 de setembro de 2015

Tana French - O Sítio Secreto [Opinião]

Sinopse: AQUI

Opinião: O Sítio Secreto é o quinto livro da série Dublin Murder Squad, depois de três títulos publicados por cá. Ainda hoje não sei muito bem o que pensar sobre a autora pois a minha opinião diverge consoante os títulos publicados. Gostei muito de Desaparecidos e Sombras do Passado mas fiquei desiludida com A Semelhança.
Ainda assim, estava extremamente expectante com o "regresso" de Tana French.

Antes de mais, aponto como principal crítica a omissão da publicação do 4º volume da série, ainda que a leitura deste seja completamente independente dos livros anteriores. Pessoalmente teria gostado de acompanhar a saga cronologicamente. 

Tal como a sinopse indica, a trama aponta para o homicídio de um jovem e na investigação da sua morte após uma aluna ter recebido um bilhete misterioso. Em detrimento deste acontecimento, o caso toma maior fulgor.

A trama é envolvente, sendo narrada em dois momentos distintos: a actualidade onde se desenrola a investigação conduzida pelo detective Stephen Moran intercalada com flashbacks de episódios passados que envolvem a vítima, Chris Harper, e um grupo de alunas do colégio. No entanto, no que concerne a esta componente, achei-a demasiado juvenil na medida em que são esmiuçados uma gama de dramas intrinsecamente ligada à fase da adolescência. Um retrato realista e que amplifica o número de suspeitos. Não deixa de ser interessante a forma como os interrogatórios ao grupo de alunas desvenda algumas mentiras e falsas pistas, tendo sido surpreendida em alguns momentos de revelações.

O Sítio Secreto é, à semelhança das obras anteriores de French, um livro de leitura ávida, cativando o leitor pelo mistério que se instala, de cariz psicológico visto não abundar cenas gráficas.
Os frequentes diálogos agilizam a acção.

Pelo que percebi, a personagem de Stephen Moran já fora introduzida no romance Sombras do Passado mas sinceramente não me recordo do mesmo nessa obra. Terá tido, certamente, um papel mais fugaz.

Como balanço final poder-se-á dizer que estamos perante um bom mistério que dá ímpeto ao leitor para descortinar a identidade do homicida (e as razões pelas quais matou o jovem estudante). No entanto creio que as analepses eram demasiado enraizadas naqueles dramas adolescentes, pelo que achei que a trama era algo juvenil.


Sem comentários:

Publicar um comentário