terça-feira, 16 de outubro de 2018

Karin Slaughter - Sabes Quem É? [Opinião]


Sinopse: AQUI

Opinião: Antes de escrever a minha recensão crítica de Sabes Quem É?, devo congratular a editora pela rapidez na publicação deste livro, cuja edição original remota a Agosto deste ano. 
Confesso que, sendo uma fã ávida da autora, estava empolgada por iniciar a leitura desta obra. Infelizmente, as minhas expectativas foram defraudadas.

Após um início intenso, caracterizado por um banho de sangue num centro comercial, a trama acabou por perder o fôlego e encaminhar-se numa direcção que não foi a que eu teria idealizado. Aliás, atrevo-me a constatar que o desenvolvimento de Sabes Quem É? se distancia das tramas antecessoras de Slaughter pois, como os fãs da autora poderão comprovar, estas assentam, regra geral, sobre histórias com contornos macabros protagonizadas por personagens bastante complexas. 

Embora não considere que haja uma falha na profundidade das personagens - até porque o cerne da trama incide sobre a personagem de Laura e nos segredos que ela escondeu ao longo de uma vida - achei que a explicação para esta, sem querer adiantar mais do que a sinopse, não me convenceu. Confesso que não me agradam particularmente histórias alicerçadas sobre missões secretas, falsas identidades e outros ingredientes mais usuais do subgénero de espionagem e acção.
Atendendo a que estamos perante um livro de Karin Slaughter, esperava que as personagens fossem dotadas com aquela aura pesada a que a autora nos habituou outrora e que me deixavam desolada. Não me senti, em momento algum, destroçada com nenhuma personagem devido à sua conotação negativa, muitas vezes atribuídas a um passado conturbado, um sentimento comum quando li alguns livros da série de Will Trent, Flores Cortadas ou A Boa Filha.

Por norma aprecio a forma como a história foi conduzida, alternando entre duas linhas temporais distintos, o que permite contextualizar o leitor sobre os acontecimentos no passado e presente, não obstante ter sentido alguma indiferença relativamente à subtrama de 1986. Tal motivo ter-se-á prendido com a alegada história de espionagem, terrorismo e conspiração, temas que, particularmente, não me seduzem, e, como tal, segui com muito mais interesse a subtrama relativa à actualidade. 
Nem as reviravoltas alusivas da história de Laura nos anos 80 foram suficientes para me cativar pois imaginei sempre que a autora iria desenhar um passado bem mais tortuoso para esta personagem. 

O ritmo é muito lento, um aspecto comum na escrita da autora embora, habitualmente, eu relativize esse aspecto em detrimento das tramas bem conseguidas e que captam o meu total interesse.
Neste caso em particular, a morosidade da história tornou-se mais penosa dado que não senti afinidade com uma das subtramas.

Em suma, Sabes Quem É? não me cativou como esperava. Está muito aquém da bibliografia de Slaughter que sigo atentamente (tendo lido, inclusivé, alguns títulos de Will Trent em inglês - muito superiores, a meu ver). Particularmente não gostei desta abordagem que é realmente inovadora para a autora em questão contudo, para ser sincera, não revejo Karin Slaughter aqui.
Pelos motivos anteriormente explanados, e na minha modesta opinião, a mais recente obra de Karin Slaughter não é, de todo, o seu melhor trabalho. Deixarei esse lugar, definitivamente, para Flores Cortadas.


1 comentário:

  1. Quando li o titulo fiquei tao entusiasmada por termos mais um livro da Karin Slaughter editado em português... mas não esperava que nao estivesse ao nivel dos últimos que li da mesma autora. Li Flores Cortadas nas férias de verão e nunca um livro me perturbou tanto. Vários dias após ter terminado de o ler ainda sentia as entranhas revoltadas! Comecei hoje a ler A Boa Filha, espero que não me desiluda.

    ResponderEliminar