quinta-feira, 21 de julho de 2016

Heather Gudenkauf - Teia de Mentiras [Opinião]


Sinopse: AQUI

Opinião: Fiquei agradavelmente surpreendida com este Teia de Mentiras logo nas primeiras páginas. Adoro o género thriller psicológico e foi um prazer ter lido esta obra, apesar de não conhecer a autora. Ficou, naturalmente, aprovada!

O título do livro não podia ser mais adequado. A trama, denominada originalmente por Missing Pieces, trata de um enigmático quebra cabeças cujas peças são, nada mais, nada menos, que mentiras atrás de mentiras.
Assim, ao longo da leitura senti-me constantemente ludibriada embora bastante interessada pelo desenvolvimento da história. Com tantas falsas pistas, desconhecia qual a versão verdadeira dos factos. Uma história com este calibre tem aliados inúmeros twists, sendo um livro pouco previsível.

Logo no prólogo, o leitor apercebe-se que algo de muito errado aconteceu a Lydia, perpetrado por alguém que ela conhecia. Um prólogo que considerei bastante inquietante e que suscita, logo à partida, bastante interesse. Note-se que o rápido arranque da história é um ponto positivo.
Vinte anos depois do homicídio de Lydia, a sua irmã Julia tem um acidente com contornos bastante duvidosos. São essas circunstâncias que levam Jack a revisitar a terra natal, após vinte anos, acompanhado da esposa Sarah.

A pouco a pouco Sarah vai descobrindo aspectos sobre o marido que lhe eram desconhecidos e a dúvida instala-se. É o livro perfeito para deixar o leitor ludibriado!
À medida que ia folheando as páginas, formulava inúmeras teorias, embora algumas descabidas, pois o intervalo de tempo que separavam os momentos trágicos era de duas décadas. Esta componente de mistério, aliadas às inúmeras reviravoltas foram aliciantes para continuar avidamente a leitura.
Como tal, esta obra lê-se num ápice, tal é o interesse que desperta.

Portanto, se há característica que define a trama é o seu carácter ambíguo: a linha que separa o antagonista e o herói é muito difusa, graças à formulação das personagens. Sempre achei que era demasiado óbvio o culpado ser Jack mas ele não estava completamente isento de culpas porque afinal este tinha alguns esqueletos no armário.

O desfecho foi bastante satisfatório. O leque de suspeitos é restrito, daí não ser propriamente surpreendente a identidade do vilão. Todavia, o móbil dos crimes é bastante interessante e convincente.

Em suma, Teia de Mentiras é uma trama habilmente engenhosa que leva ao extremo o tema da desconfiança conjugal. Surpreendeu-me muito!


Sem comentários:

Publicar um comentário