quarta-feira, 28 de fevereiro de 2018

Ana Saragoça - Todos os Dias São Meus [Divulgação Planeta]


Data de publicação: 6 Março 2018

               Preço com IVA: 14,41€
               Páginas: 112
               ISBN:

Um thriller português que nos faz rir? Não é piada, é a sério. E ainda tem personagens inesquecíveis, diálogos certeiros e um crime no elevador.
Um livro cheio de inteligência e humor que explora os tiques e as vicissitudes de personagens que todos reconhecemos do prédio, do local de trabalho ou até mesmo das nossas amizades.
É raro a literatura portuguesa apresentar uma mistura tão fina de sensibilidade e ironia. Mais ainda quando garante uma grande dose de humor.

Sinopse: É suposto as porteiras verem, ouvirem e saberem tudo. Mas a deste romance, pelos vistos, foge à regra.
Quando uma jovem solitária é assassinada no elevador do prédio onde vive, a porteira, que tem um cão bulímico, suspeita imediatamente dos «cranianos» que afinal são moldavos.
A polícia vai provar que estava enganada. E interrogar todos os moradores: o engenheiro divorciado que enche a casa de mulheres, a namorada artista que inventa coreografias sexuais à Nove Semanas e Meia, os dois gémeos que passam as noites a brincar com o elevador ou o solitário jovem do Norte que veio à cidade vender óculos. 


Sobre a autora: Nasceu em Viana do Alentejo em 1966 e frequentou a Faculdade de Letras de Lisboa. Formou-se como actriz na Escola Superior de Teatro e Cinema.
Estreou-se no romance em 2012 com um dos mais interessantes títulos do ano literário: Todos os Dias São Meus, agora relançado pela Planeta e que já foi considerado uma pérola esquecida da literatura nacional, pelo cunho de romance negro e retrato social.
Dramaturga, estreou as peças A Mãe da Noiva, Não Sou Eu, És Tu, no Teatro Rápido em 2012, e Sem Rede, pela Companhia de Teatro Chão de Oliva em 2013, tendo ainda lançado no mesmo ano, com a Planeta, o livro Quando Fores Mãe Vais Ver, uma pérola do folclore materno, onde desfia frases conhecidas de todos e revela uma escrita repleta de humor.
Estreia em 2018 o monólogo A Mãe da Noiva ou o Pranto de Maria Parva, interpretado por si.
Colabora ocasionalmente com a revista Egoísta.


Sem comentários:

Publicar um comentário