quinta-feira, 27 de dezembro de 2018

Lynda La Plante - Viúvas [Opinião]


Sinopse: AQUI

Opinião: Que surpresa este livro, o primeiro que leio da autora Lynda La Plante. Confesso que não pensava lê-lo (planeava apenas ver o filme) mas ainda bem que o fiz pois, tal como é habitual, a obra é bastante superior à adaptação cinematográfica.

Sendo um livro escrito em 1983, o que mais me agradou, numa primeira análise, foi o ambiente. Ora sabe-se que nesta década houve um certo revivalismo dos anos 50 e esse aspecto foi notório na obra, uma vez que somos imersos num ambiente noir, tão típico de meados do séc. XX.

Também gostei da grande relevância que as personagens femininas tiveram na trama.
Dolly, Linda, Shirley e Bella são as protagonistas desta obra e ficamos, desde logo a saber, que as mesmas orquestram um assalto após terem ficado viúvas, pretendendo seguir à risca um plano deixado por Harry, o marido de Dolly e cabecilha de um grupo de assaltantes. 
No início o leitor não consegue perceber exactamente como se processará o assalto, contudo, a definição deste vai sendo consolidada ao longo da trama, parecendo-nos que o mesmo será exequível e que as mulheres serão bem sucedidas. É esta expectativa que alicia o interesse pela trama. 

Grande parte da narrativa debruça-se sobre a caracterização das viúvas e, embora haja a sensação que estas são as vilãs da trama, é a profundidade das personagens que conduz a uma empatia com as mesmas e compreendamos o móbil da execução deste assalto. Atrevo-me a dizer ,que no meu íntimo, desejava que o furto fosse bem sucedido sem que houvesse consequências de maior para as viúvas. 

É uma obra cuja narrativa não se desenvolve vorazmente. Num primeiro plano, alicerça-se sobremaneira na caracterização destas mulheres para, a meu ver, criar a já referida empatia atípica entre leitor e uma personagem de tipo anti-herói, ou, neste caso particular, anti-heroínas, pois estamos perante protagonistas que pretendem praticar um crime, ou seja, a execução de um assalto. Embora pareça que a trama é linear, há bastantes twists inteligentes.

Tive oportunidade de ver o filme e considero que este ficou muito aquém da obra. Apesar de considerar que a narrativa é bastante cinematográfica, muitos aspectos intrínsecos à história foram alterados no filme (bem como o nome das personagens), facto que me desagradou. Para mim, a história resultou melhor nos moldes originais e preferi, uma vez mais, a obra original à adaptação cinematográfica.

O desfecho em aberto levou-me a apurar que este é o primeiro livro de uma trilogia protagonizada por Dolly Rawlins. Embora estes livros datem da década de 80, este título em particular terá chamado a atenção devido à estreia do filme, pelo que creio que seria importante a publicação dos restantes volumes de forma a atar as pontas soltas que a obra Viúvas deixou.
Não poderia deixar de recomendar vivamente esta obra aos leitores fãs de livros noir.

Sem comentários:

Publicar um comentário