segunda-feira, 18 de fevereiro de 2019

Chloé Esposito - Má [Opinião]

Sinopse: AQUI

Opinião: Estou agradavelmente surpreendida com a publicação de Má, apenas um ano após o lançamento do título predecessor "Louca". Sei que a aceitação desta trilogia poderá  muito pouco consensual pois as situações mirabolantes protagonizadas por Alvie podem eventualmente parecer exageradas. Uma vez que consumo muita literatura de thriller, e correndo o risco de me repetir, considero que esta trilogia se afigura como uma lufada de ar fresco.

Alvie foi-nos apresentada no livro antecessor e, na presente obra, os nossos sentimentos sobre ela intensificam-se: a protagonista é de facto detestável. Ainda que o ponto de partida da trama consubstancie uma situação de vulnerabilidade (Alvie encontra-se sozinha e sem nada, num quarto de hotel), a protagonista não encontrará a sua redenção. Antes pelo contrário, a partir da primeira parte da narrativa, a personagem louca e impetuosa vai passar por uma série de situações que têm um crescendo de incredulidade. O desenvolvimento é, desta forma, pejado de acontecimentos inverosímeis, facto que vem questionar a seriedade depositada neste livro pelos leitores. É verdade... apesar de conter o rótulo de thriller, esta afigura-se-me, sem dúvida, como uma obra de humor negro. Contudo, e partindo dessa premissa, confesso que não tenho nada a apontar, uma vez que dei por mim várias vezes a rir-me a bandeiras despregadas.
O humor poderá parecer demasiado escatológico, recorrendo com frequência a conteúdo sexualmente explícito, todavia, não creio que a intenção seja a de chocar o leitor, antes pelo contrário, parece-me que a autora terá querido ridicularizar a protagonista no que concerne à sua excentricidade.

Um ponto positivo recai na contextualização da história, pois a mesma contém um breve resumo que me permitiu recordar, com mais clareza, os pontos fortes da trama de Louca. Ainda que este livro tenha ficado na minha retina por ser tão peculiar, foi com bastante agrado que li o apanhado dos acontecimentos mais importantes, o que me fez sorrir e partir para a leitura ainda mais expectante.

Como já terão depreendido Má é um livro que, à semelhança de Louca, deve ser lido sem se levar demasiado a sério. Atentem na trilogia como uma série humorística, não como um aspirante (mal sucedido) a thriller, pois a meu ver, a intenção da autora passará por divertir os seus leitores através das desventuras de tão peculiar protagonista.
Mesmo que não tivesse quaisquer suspeitas sobre o desenvolvimento da história, Má não deixa a desejar. Ainda que haja alguns assassinatos, a trama pareceu-me conter menos suspense que a história antecessora, cingindo-se à perseguição de Alvie a Nino, com episódios bastante conturbados (e divertidos).

Fico então bastante ansiosa para poder ler o desfecho desta história sui generis que não tenho dúvidas, para mim. tornar-se-á memorável pelas razões que mencionei anteriormente. 


Sem comentários:

Publicar um comentário