domingo, 17 de março de 2019

Nikola Scott - A Sombra do Passado [Opinião]


Sinopse: AQUI

Opinião: Começo por confessar que A Sombra do Passado não é o meu estilo de livro (como provavelmente terão depreendido), contudo, ao saber que a trama se baseava em segredos do passado, um ingrediente que me desperta sempre a atenção e que alio frequentemente a tramas de mistério e suspense, facto que me levou a não hesitar um segundo que fosse quando fui convidada a ler a obra em apreço, tendo posteriormente, participado num debate sobre a mesma num clube de leitura organizado pela editora Circulo de Leitores.

A acção debruça-se então sobre Addie, uma mulher que vê a sua vida dar uma volta de 180 graus quando uma estranha aparece à sua porta, dizendo-lhe que é sua irmã. Esta revelação faz com que a protagonista se envolva nos meandros do passado da sua mãe e se depare com uma realidade que não conhecia sobre a progenitora.

A narrativa é feita em dois momentos temporais distintos tornando, a meu ver, a história ainda mais cativante: uma subtrama, desenvolvida sob a forma de entradas de um diário que remotam a 1958, permitem-nos conhecer, com bastante clareza, quem era Elizabeth, a mãe de Addie. Essas passagens intercalam com uma segunda subtrama, que se desenrola na actualidade, que se foca na protagonista Addie, bem como na forma como ela e a restante família reagem ao aparecimento de Phoebe a suposta irmã.

A minha percepção leva-me a considerar que esta obra foi escrita com uma enorme sensibilidade, destacando-se as maravilhosas descrições das paisagens dos locais onde a acção decorre, fazendo-nos viajar até aos vários cenários ingleses. Além disso, denotei que a autora escreve, de forma exímia, sobre a intensidade dos sentimentos. É inevitável que nos comovamos com esta história que nos convida a uma reflexão sobre o papel da mulher nos anos 50 e actualmente. Não querendo desvendar em demasia as temáticas abordadas, gostaria de referir que considerei chocante a forma como uma década, não muito distante, tratava a gravidez na adolescência. 

A mulher é, desta forma, o tema central da trama sendo as personagens femininas quem se destaca nesta história. É pois impossível não sentir uma empatia com as mulheres presentes na narrativa.

Apesar de, como já salientei, a presente obra não se enquadrar nos meus géneros literários de eleição, confesso que a mesma consubstanciou uma experiência positiva por me ter desafiado a sair da minha zona de conforto. Para além do mais devo dizer que raramente me deparo com livros escritos de forma tão graciosa, conforme também já referi, algo que considero extremamente positivo quando uma obra me surpreende desta forma. Ainda assim prefiro o género thriller mesmo que contenha uma escrita mais crua.

Em suma, A Sombra do Passado é um livro imprescindível para os fãs de dramas familiares. Para mim, valeu pela experiência de ler uma obra completamente fora da minha zona de conforto, proporcionando-me uma percepção muito diferente daquela que sinto aquando a leitura dos thrillers, um género que tanto adoro.


Sem comentários:

Publicar um comentário