quarta-feira, 14 de agosto de 2019

Dick Haskins - A Embaixadora [Opinião]


Sinopse: Naquele fim de tarde ameno, no início do Verão, Vanda não podia imaginar o perigo que a aguardava ao sair do emprego. Mas a verdade é que um grupo de conspiradores vira nela a sósia perfeita para levar a cabo um arriscado golpe político internacional...
Vanda ver-se-á então num papel que nunca sonhara incarnar, passando longas horas de terror e suspense num estádio superlotado, durante um jogo de futebol.
Até que o espírito de observação de uma criança propiciasse, para o caso, uma inesperada solução

Opinião: Confesso desde já que não sou grande apreciadora de tramas que se alicercem em atentados e conspirações, ingredientes que são explanados na presente obra de Dick Haskins. Contudo, abracei o desafio de ler esta obra que sai claramente da minha zona de conforto.
Esta trama apresenta, assim, contornos bastante diferentes das demais. Não que conheça completamente a bibliografia do autor, apenas li O Sono da Morte e vi alguns episódios da série televisiva realizada pelo autor, Dick Haskins, transmitida nos anos 80. Realço que o autor é conhecido pelas suas tramas pertencentes ao subgénero de giallo, em que o protagonista, o detective homónimo, investiga alguns casos policiais, recorrendo ao poder de dedução e lógica, relembrando um pouco o célebre detective belga Poirot.

Em A Embaixadora, deparei-me com uma história completamente diferente, alicerçada sobre conspiração e intriga política. Senti falta, portanto, do detective Dick Haskins.
Ainda que não seja uma aficionada de histórias do género, reconheço que a obra é interessante. Muitíssimo bem escrita, como o autor nos habituou, é uma história que atenta aos detalhes para convencer o leitor que está prestes a presenciar um golpe político contra o país de Puerto Nuevo, no estádio, em pleno jogo de futebol. A trama tem basicamente a duração da partida, o que tornou o ritmo da acção mais intenso. Considerei, portanto, a trama deveras entusiasmante, ainda que prefira as comuns investigações policiais à eminência de um atentado com vista à execução de um golpe de estado.

É uma obra que está claramente descontextualizada contudo não pude deixar de relembrar saudosos tempos em que eu própria me via desesperada com as cassetes para gravar filmes e outros programas e, em caso negativo, escolher escrupulosamente uma cujo conteúdo pudesse ser gravado por cima. É com esta metodologia que Henrique quer ver um jogo de futebol, embora parecendo-me um pouco contraproducente vê-lo em diferido.

Em suma, embora seja um livro antigo e descontinuado, fazendo com que seja provavelmente difícil de encontrá-lo, creio que carece a nossa atenção. Além de nacional, Dick Haskins é, para mim,  literatura policial de qualidade, ainda que este título seja bastante peculiar. Os amantes do género sentir-se-ão agradados com esta história e, em termos gerais, não há como sentir alguma nostalgia da época.

Sem comentários:

Publicar um comentário