quarta-feira, 4 de março de 2015

Carla Lima - O Baloiço Vazio [Opinião]


Sinopse: "Eu deitada na cama, de barriga para cima, com os olhos fechados e os braços cruzados sobre o peito,
- O que estás a fazer?
-Estou a fingir que estou morta
- Porquê?
- Porquê me apetece. Importas-te?
- Mas porquê?
- Porque antes estar morta do que viver assim
- Assim como?
- Numa prisão
- Numa prisão?
-Estou presa a ti
- Estamos presos um ao outro
- Nem a fingir de morta me deixas em paz"

Opinião: Antes de mais, gostaria de endereçar os meus agradecimentos à autora Carla Lima que gentilmente me cedeu um exemplar do seu romance de estreia e que, finda a leitura, coloquei-o na estante dedicada aos autores lusófonos.

A minha percepção inicial deste livro foi muito diferente do que normalmente acontece. Por norma, leio a sinopse que me desperta curiosidade e me prepara, de certa forma, para o conteúdo da história pois relata em linhas gerais o que irei ler. Contudo, neste caso, a sinopse não é muito explícita, é um excerto de um dos muitos (perturbadores) pensamentos da protagonista, Ana que se encontra numa relação abusiva com Bruno. 
A peculiaridade deste livro, a par da sinopse misteriosa, reside na forma como é narrado. Na primeira pessoa, na perspectiva de Ana, a narrativa compõe-se por vários excertos, todos eles vivências da personagem em diferentes alturas da vida e espelhando episódios de infância ou actuais, algo sofridos.

A protagonista feminina relaciona-se romanticamente com Bruno e ao longo das páginas, vamos constantando que ele é algo negligente e ela própria é algo obsessiva (desculpem a redundância), fruto da relação com este misterioso homem.
Na realidade, sabe-se muito pouco sobre as personagens e a caracterização das mesmas é feita por avaliação do leitor a partir das vivências e pensamentos que constituem o livro. Claramente que a protagonista oscila entre o que ela deseja na relação e o que de facto acontece, intensificando a natureza da relação e conferindo quase que uma oscilação entre a racionalidade e a demência.
A trama é composta por um número muito reduzido de personagens e estas têm um papel muito pouco significativo na história, focando a história do casal protagonista.

O Baloiço Vazio é um livro que se li, sensivelmente, numa hora devido à estrutura em diálogo e por conseguinte, mais dinâmica e o reduzido número de páginas. Embora a autora consiga transpor os sentimentos descritos no livro para o leitor, pessoalmente, gostaria de ter visto explanado mais. Não me teria importado de ler mais pormenores sobre esta macabra relação.
Além disso, a autora conseguiu um ambiente tenso e intrigante durante toda a história. A partir do momento em que comecei a ler o livro, acreditem que só o larguei quando terminei.

Em suma, embora tenha gostado da história e principalmente, da forma como está escrita, gostaria de ter lido mais páginas e ter aprofundado mais ainda este conto. Uma verdadeira curta metragem extremamente sensorial.
Resta-me apelar à autora que escreva mais! Eu cá estarei para ler!

Visto que nunca encontrei O Baloiço Vazio nas grandes superfícies comerciais, caso o meu caro leitor tencione enveredar por esta leitura, sugiro que visite a página de facebook da obra aqui

Sem comentários:

Publicar um comentário