segunda-feira, 2 de março de 2015

Karin Slaughter - Fraturado [Opinião]


Sinopse: AQUI

Opinião: Esqueci-me por completo de escrever sobre um dos melhores livros que li em 2014 (e espero que, com continuação muito esperada neste ano). Fraturado é o segundo livro protagonizado por Will Trent e, ao contrário de Tríptico, a participação da personagem Angie Polaski é bem mais reduzida no caso abordado da presente obra.

O factor que sobressai Fraturado (e Tríptico) das demais obras do género é, indubitavelmente, a caracterização das personagens. Tanto Angie como Will têm passados muito conturbados e enveredaram pela carreira de investigação. 
Na presente narrativa, a autora esmiuça o passado de Will, confrontando-o com uma outra personagem que o conhece do orfanato. As vivências desse tempo tornam-se mais intensas do que na trama antecessora. A autora intensifica a peculiaridade da personagem com o seu problema de dislexia que, à primeira vista, parece incongruente com o facto de ser um dos melhores investigadores do Georgia Bureau of Investigation.

Dado o papel diminuto da agente Angie, na presente obra, o autor emparelha com uma personagem igualmente misteriosa, Faith, que me despertou alguma curiosidade em saber mais sobre a mesma. Será esta mais desenvolvida nos seguintes volumes da série de Will Trent? Ficará a dúvida e a expectativa.

Não consegui ficar indiferente a alguns aspectos que tornaram esta leitura ávida, e consequentemente, ter classificado esta obra com a classificação máxima do Goodreads, 5 estrelas. 
Um dos aspectos que mais gostei neste livro foi o cenário. Grande parte da história tem lugar numa universidade e são explanadas as relações numa residência ou mesmo no campus, trazendo-me boas recordações de quando eu própria era estudante universitária. Bem, exceptuando, claro, a componente criminal. 
O mote da narrativa é um homicídio levado a cabo por uma mãe em autodefesa depois de ver o cadáver da filha. Mas a autora tira-nos o chão quando nos apercebemos que Abigail Campano cometeu um erro. Quero deixar uma ressalva na forma como a autora brilhantemente descreve este cenário de terror logo nas primeiras páginas. Senti-me desconfortável mas curiosa com o que aí viria.
E de facto, esta é a primeira reviravolta de uma trama vertiginosa e pejada de surpresas.

Além disso, a autora envereda novamente por uma escrita gráfica e sombria, aspectos que me agradam muito. As personagens são, novamente, caracterizadas de forma umbrosa e o crime bastante tétrico em conjugação com a narrativa bastante intrigante, proporcionando uma leitura compulsiva.

E mais, a tradução foi feita novamente pelo fantástico autor português de policiais, Pedro Garcia Rosado!

Em suma, Karin Slaughter é uma autora a manter debaixo de olho! Deixo um apelo à editora para que publique, o mais brevemente possível, o terceiro livro da série de Will Trent, Undone.


Sem comentários:

Publicar um comentário