segunda-feira, 3 de abril de 2017

Chris Carter - O Predador da Noite [Opinião]

Sinopse: AQUI

Opinião: Após a leitura de O Assassino do Crucifixo e O Carrasco do Medo, tornou-se imprescindível acompanhar o autor Chris Carter. Este, a par de M.J. Arlidge, é, muito provavelmente, dos meus preferidos do catálogo da editora TopSeller. Por falar nisso, creio que teria tirado maior partido desta obra se tivesse distanciado o intervalo de tempo entre esta leitura e a de O Anjo da Morte. Achei que havia algumas coincidências entre ambos os modus operandi.

Logo pelo temeroso assassino e a tortura sádica que inflige às suas vítimas foi motivo para ficar chocada com o modo de actuação do antagonista e, por conseguinte, ter venerado, uma vez mais, o realismo de que os crimes são dotados. Portanto, o leitor fã de retoques macabros ficará, certamente, rendido a esta história. 

Não obstante este grau de violência tão pouco contido nas tramas de Carter, devo afiançar que a história em torno do crime é intrincada. A resposta para os homicídios não reside numa escolha aleatória, antes pelo contrário, cada vítima é escrupulosamente escolhida. Assim, a curiosidade em conhecer os desenvolvimentos da acção torna-se tão pertinente quanto desvendar a identidade do homicida. Ambas as componentes são alucinantes. Atento também a forma como está escrito, sob minúsculos capítulos que terminam em cliffhanger, apelando a uma leitura ávida.

Gostei do facto do autor não desvendar tudo sobre Robert Hunter logo no início da série. Apesar de, na minha opinião, ser consensual que o leitor sinta empatia com o protagonista desde os primórdios, explicação que relaciono, provavelmente, com os vastos conhecimentos de psicologia do detective e a metódica aplicação destes nas resoluções dos casos. 
Ainda assim, sinto que o personagem principal continua a surpreender devido às informações, estrategicamente disponibilizadas ao longo dos três livros. A minha percepção é que, a cada livro lido, a personagem ganha cada vez mais contornos verossímeis. Em O Predador da Noite, o autor atenta em mais algumas informações sobre o passado do protagonista, facto que também foi ao encontro do meu agrado.

Sinto-me algo repetitiva ao enaltecer as inúmeras qualidades desta série que, saliento novamente, tornou-se numa das minhas preferidas. Ao terceiro livro da série não denoto perda de fulgor ou qualidade, antes pelo contrário, anseio sempre por um novo caso de Robert Hunter e as expectativas são sempre excedidas. Quer pelos pensados homicídios e o teor de violência destes quer pelo fascínio pelas tramas e pelo próprio protagonista.

Em suma, O Predador da Noite, na linha dos dois antecessores da série, é livro de excelência, tenso e aterrador. Para mim, sem qualquer tipo de dúvidas, merecedor da pontuação máxima no Goodreads: cinco estrelas. E instalou-se uma vontade desesperada em ler mais obras deste autor. Apelo à editora que não se demorem na publicação das restantes obras da série!


2 comentários:

  1. estou adiar o inicio desta leitura... olho todos dias para ele na minha cabeceira mas sei que não faço mais nada assim que ler a primeira frase!!!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Então Ana e já o começaste? É que este vale bem a pena ;) Beijinho grande e boas leituras

      Eliminar