quarta-feira, 10 de abril de 2019

Camilla Läckberg - Uma Gaiola de Ouro [Opinião]

Sinopse: AQUI

Opinião: Há muito que sou grande fã da autora Camilla Läckberg devido à sua série protagonizada por Erica Falck e Patrik Hedström, motivo que me levou a ficar extremamente curiosa com a publicação de Uma Gaiola de Ouro, um título que, pelo que pude apurar, será lançado a nível mundial. Sendo, portanto, uma fã acérrima da autora, afigurou-se inevitável estabelecer uma comparação da presente obra com as demais da mesma autora, um paralelismo que, na minha opinião, se revelou infundado dado que Uma Gaiola de Ouro encontra-se num registo de thriller psicológico ao passo que a referida série pertence claramente ao género policial.

A par do género, existe uma grande diferença que se prende com a forte mensagem feminista, relembrando que, na série de Fjällbacka, o protagonismo era dividido pelo casal, todavia, na presente obra, as atenções centram-se em personagens femininas: Faye, a protagonista, bem como para Chris, a amiga e ainda Kerstin.

Quem é fã da autora estranhará, certamente, a linguagem utilizada que frequentemente alude a situações de cariz sexual, algo que, a meu ver, visa dar um toque mais cru à história e, por conseguinte, impressionar os leitores.  Esta linguagem mais uma vez destoa do tom mais polido ao qual me habituei nos restantes livros da autora.

Confesso que nem li a sinopse, algo que consubstancia um caso flagrante de confiança numa escritora, uma vez que Läckberg é uma das autoras que mais admiro e, como tal, enveredei pela leitura um pouco às cegas. Não querendo desvendar muito sobre a história, esta centra-se em Faye, uma mulher com um passado misterioso, casada actualmente com Jack, um homem de negócios bem sucedido. Não obstante o que aparenta ser um conto de fadas é, na realidade, uma relação disfuncional. 
Numa primeira fase considerei a trama um pouco previsível, pois na mesma proliferavam sinais que justificavam a razão pela qual o casamento deles estava em declínio sendo que, na realidade, basta atentar no nome do perfume da capa para deduzir o resto. 

Contudo, a nova obra da autora sugou-me de tal forma que li ávida e interessadamente em menos de 24 horas! As primeiras páginas são excruciantes e levam-nos a supor imediatamente como será o desfecho, algo que me surpreendeu pois a trama não é tão linear como imaginei a priori
Considerei algumas passagens referentes a Faye um pouco irrealistas mas, no fim de contas, a autora quer apelar aos sentimentos de vontade e determinação para alcançar um sonho, secundarizando as dificuldades que daí possam advir. Por este motivo, a caracterização da personagem da amiga de Faye, Chris, surpreendeu-me de sobremaneira.

O ponto forte de Läckberg é, indubitavelmente, a forma cativante como apresenta os seus enredos e Uma Gaiola de Ouro manteve a mesma fórmula, desenvolvendo duas subnarrativas, uma relativa ao passado de Faye, constituindo um dos mistérios que a história tem para nos oferecer e a outra respeitante à actualidade, conduzindo-nos ao plano de Faye para reorganizar a sua vida.  

Como referi, apesar da história aparentar ser bastante linear, cingindo-se a um plano de vingança por parte da protagonista, acabei por me sentir assoberbada em diversas situações, percepção que se intensificou no final. E dei por mim a pensar nas primeiras páginas que tanto me incomodaram...

Se, tal como eu, são fãs da autora, considero que a mudança do seu registo no presente título face às demais obras não interfere com a qualidade da mesma. Caso não conheçam o cânone de Camilla Läckberg, eis uma excelente oportunidade com este livro.


Sem comentários:

Publicar um comentário