terça-feira, 26 de março de 2013

Lars Kepler - A Vidente [Opinião]


Sinopse: «Por todo o mundo, sempre que a Polícia se depara com casos particularmente difíceis, recorre a médiuns e espíritas. No entanto, em nenhum documento figura a colaboração de um médium para a resolução de um crime.»
Flora Hansen diz-se espírita e garante ser capaz de falar com os mortos. Certo dia, ouve na rádio uma notícia sobre o caso de uma jovem assassinada num centro de acolhimento de menores e, na tentativa de ganhar um dinheiro extra, decide telefonar para a Polícia dizendo que o espírito da morta entrou em contacto com ela. No entanto, os resultados da investigação técnica atribuem a autoria do crime a outra das internas, uma jovem sensivelmente da mesma idade, que desde então está a monte.O comissário da Polícia Joona Linna resiste à versão oficial e inicia uma investigação por sua própria conta. Mas cada nova resposta parece apenas conduzir a um novo enigma e a mais um beco sem saída.
E ninguém se dispõe a ouvir a vidente, embora ela fale com os mortos.

Opinião: Mais um excelente livro da dupla Lars Kepler. O seu primeiro livro, O Hipnotista, tinha-me cativado a ponto de me tornar fã. No entanto, achei O Executor um pouco aquém se tiver em conta o livro de estreia. Com A Vidente, a meu ver, eles voltaram a justificar o lugar pioneiro dos meus autores de eleição.

Há ligeiras semelhanças entre este livro e o Hipnotista. As investigações policiais devem ser o mais científicas possíveis (baseando-se em provas), dispensando a colaboração de pessoas que manifestem dons, como este caso ou empreguem métodos menos convencionais, anteriormente explorado pelo Hipnotista.
Em concreto, o que inicialmente prometia uma história com contornos do foro paranormal, dados os dons de médium de uma das personagens, rapidamente se revela uma história extremamente realista.

O que me apraz dizer sobre a trama, é que além de um teor de adrenalina, sem quaisquer momentos mortos, é também bastante gráfico. Os autores não se coíbem em pormenores de natureza mais violenta. Ao mesmo tempo, a trama é também muito psicológica. De facto, não me lembro de um local mais propício para o efeito do que o cenário aqui mencionado: um centro de acolhimento de jovens, onde muitas delas lutam entre os efeitos da medicação para manterem a sanidade mental e esconderem qualquer dissimulado distúrbio psicológico. 
O autor conseguiu retratar na íntegra um ambiente tenebroso e sombrio, muito dejá vu de filmes de terror e simultâneamente o espírito de entreajuda de algumas jovens, contrastando com as relações de conflito que se geram naturalmente no grupo de raparigas.
Este tema sempre me angustiou talvez por ter uma amiga que trabalhe num destes centros e me relate, em jeito de confidência, algumas situações do quotidiano e inevitavelmente acabei por me sentir familiarizada com tantas ocorrências que Lars Kepler dramatizou de forma tão brilhante.

Posto nestes termos, a trama acaba por contemplar esta profunda reflexão sobre os sentimentos dos internados nestas instituições, por vezes vítimas de atrocidades cometidas até pelos mais íntimos, intensificados pela fase da adolescência, que por si só é complicada. 
Mas Kepler entrosa duas outras tramas, de importância fulcral, na já emotiva subtrama das adolescentes: a da vidente, Flora Jansen responsável pelos cuidados geriátricos de um casal mas a braços com uma situação delicada contrapondo-se a Elin Frank, pertencente ao jet7 que se envolve no caso devido à sua angústia. Um claro exemplo de que o autor fundamenta com complexidade as personagens intervenientes, ampliando o leque de personagens que, a par de Joona Linna, têm relevância para o caso.

Em ex aequo, A Vidente acaba por ser uma história perfeitamente sólida no que concerne à investigação policial. As tramas vão fundir-se numa única, de forma muito improvável. A fórmula já utilizada pelo autor em Hipnotista, volta a figurar-se útil na caracterização em leitura ávida. Falo portanto, das falsas pistas que remetem a uma acção e suspense constantes, à medida que o leitor se depara com revelações em catadupa. Estas, como evidente, intensificam-se no final ao constatar-se o assassino, e acima de tudo, nas suas motivações.

Em considerações finais, creio que A Vidente é tão bom ou melhor que o livro de estreia O Hipnotista. Surpreendeu-me várias vezes enquanto li o livro praticamente num dia. Merecidas as 5 estrelas arrecadadas por mim no Goodreads! Em suma, um livro espectacular!

24 comentários:

  1. Este é um livro que sem dúvida vou ler... gostei bastante de "O Hipnotista".
    Ainda não li "O Executor" mas tenho cá em casa para ler. Esta tua opinião, deixou-me com água na boca.
    Provavelmente no próximo ano irei lê-lo.

    ResponderEliminar
  2. Olá!
    Como já havíamos falado no Facebook fiquei muito entusiasmado com estes autores e também com esta obra. Logo que possível, quando der cabo dos amores que tenho em mãos, procurarei ler os livros desta dupla. Tenho o hábito de procurar seguir a cronologia das publicações por isso devo ler O Hipnotista e o Executor antes deste, embora me pareça ser o melhor.
    Boas leituras.

    ResponderEliminar
  3. Lars Kepler é fantástico, recomendo-te mesmo muito! Vais adorar :D Este e o Hipnotista são os melhores na minha opiniao, mas sim lê por ordem ;)

    Beijinhos e boas leituras!

    ResponderEliminar
  4. Olá Vera! Excelente a sua resenha! A Vidente será publicado aqui no Brasil (ainda não sei a data), mas já adquiri a edição portuguesa e em breve começarei a lê-lo. Confesso, que depois que comecei a ler seu blog, estou comprando mais livros portugueses e estou adorando ler em nossa língua materna... aliás, tenho muito orgulho de falar português. Parabéns pelo seu blog - outra minha paixão cotidiana. Abs.

    ResponderEliminar
  5. Olá Valter!

    Como estás? Long time no talk ehehe
    Agradeço muito as tuas palavras! E eu que à pouco li um livro em brasileiro, o do Jô Soares e tenciono ler mais dele :)
    Muito orgulho na nossa língua seja na variante pt ou br, mesmo! Valeu :D

    Um grande beijinho e obrigado pela força!

    ResponderEliminar
  6. Olá
    É a primeira vez que escrevo neste espaço (embora seja um espaço de consulta obrigatória aquando da escolha de um livro) e gostaria de tirar uma dúvida... Ofereceram-me este livro mas antes de o começar a ler gostaria de saber se o "posso" fazer se ter lido os anteriores? Tem uma narrativa independente ou é uma continuação dos livros "O Hipnotista" e "O Executor"?
    Beijoca

    Joana

    ResponderEliminar
  7. Olá Joana
    Espero que esta seja a primeira de muitas vezes que escrevas neste espaço :) Gosto muito de trocar impressões sobre livros com as pessoas :D

    Sim, podes ler A Vidente sem ter lido os outros. A acção é independente, tendo só o Jonna Linna como personagem comum. Lars Kepler faz um apanhado da personagem para se perceber como ele é e no final d´A Vidente há um desenvolvimento fulcral sobre o Jonna, fazendo com que, se houver dependência doravante, esta será obrigatoriamente a partir d´A Vidente, nunca antes.

    Espero ter ajudado ;)

    Um grande beijinho, boas leituras!


    ResponderEliminar
  8. Muito obrigada! :)
    Vou começar já a ler.
    Beijoca

    Joana

    ResponderEliminar
  9. boa leitura Joana! Espero que gostes :D
    Depois diz o que achaste!

    Beijinho

    ResponderEliminar
  10. Adorei!!! É soberbo e confesso que agora que acabei de o ler fiquei até um pouco triste por ter encerrado o livro.
    Há sensivelmente 5 minutos atrás enviei-lhe um pedido de amizade no Goodreads, espero que me aceite :)
    Beijoca

    Nádia (Joana) Correia

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ahaaaaa eu avisei!!! Leste isso num instantinho :D

      Eu vi, claro que aceitei, assim vamos poder trocar mais impressões literárias com mais frequência ;)

      Beijinho e boas leituras :)

      Eliminar
  11. Vou começar a ler este livro hoje.

    Adorei o Hipnotista e também fiquei ligeiramente desiludido com o Executor. Estava aqui na net apenas à procurar de uma imagem da capa e deparei-me com esta análise. Pois bem, aguçou-me o apetite ;)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olá Hugo!

      E que tal, do que leste o que te pareceu? É verdade, tb achei o Executor menos bom mas com este livro voltei a ficar expectante com a dupla!
      Depois diz se gostaste ;)

      Um beijinho e boas leituras

      Eliminar
    2. Olá Verovsky,

      Dado o meu reduzido tempo livre, não tenho a possibilidade de "consumir" literatura ao ritmo que gostaria pelo que ainda só li umas 100 páginas e o livro já me prendeu complentamente (dentro dos meus padrões ;) ).

      Até agora, penso que está bastante melhor que o Executor.

      Uma vez mais, obrigado por esta análise e vou passar a acompanhar o teu blog!

      Eliminar
    3. Olá Hugo!

      Fico muito contente por estares a gostar! É como te disse, achei este francamente melhor que o Executor ;)

      Apraz-me muito que continues a seguir o blogue! Espero que encontres mais sugestões dentro dos teus padrões, que já vi serem semelhantes aos meus ;)

      Continuação de uma excelente leitura!
      Um grande beijinho

      Eliminar
    4. Acho que hoje consigo retomar a minha leitura :)

      Entretanto, posso fazer-te também uma sugestão. Não se se conheces Brad Thor, mas a sua colecção da personagem "Scott Harvath" é bastante interessante.

      Bjs,
      Hugo

      Eliminar
    5. Boa Hugo! Olha com a Vidente li numa noite as últimas 400 pags, não conseguia parar de ler ;)

      Sim claro, agradeço as sugestões porque ainda há muita coisa que não conheço... Por acaso na feira do Livro andei a ver desse autor mas tive receio que não ia gostar. Recomendas algum título em específico para começar?

      Eliminar
  12. Bem, sendo uma série, podes pegar em qualquer um, uma vez que se conseguem ler sem ler os anteriores.

    Portanto, eu já li:
    - O Primeiro Mandamento
    - O Último Patriota
    - O Apóstolo

    E gostei de todos eles, tendo se calhar um pouco de preferência pelo "Último Patriota" que tem um pouco mais de conteúdo histórico, sem ser apenas "acção" e enredo.

    Quanto à "A Vidente", já vou nas 100 páginas. Dei um avanço interessante hoje eheh

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sugestões apontadas! Vou à FL e estudar os preços desses livros ;) hihih Obrigado!

      Boa leitura para a Vidente :)

      Beijinho e obrigada!

      Eliminar
  13. Já agora e há medida que leio mais um pouco do livro, é fantástico notar a variação na escrita de Lars Kepler. A narrativa de qualquer um dos livros é completamente diferentes dos outros dois.

    No Hipnotista, apesar de Joona Lina ser a figura da série, a verdade é que a personagem principal é o terapeuta e o enredo é quase todo à sua volta.

    No Executor, centramos-nos em Joona Lina, numa narrativa mais descritiva.

    Até agora, "A Vidente" é claramente o livro com mais diálogo entre as personagens.

    Portanto, 3 escritas diferentes, revelando argumentos por parte do autor (neste caso, da duplas ;) ).

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não tinha pensado nisso mas tenho que concordar ctg, bem visto sim sr!
      E o que achaste dos cenários? Inicialmente parece um filme de terror... epa brutal! Estou ansiosa que termines o livro! :D

      Eliminar
    2. Só tenho duas palavras: BRU-TAL :)

      Eliminar
  14. Completamente! Nos primeiros capítulos, parece que estás no meio de uma qualquer cena de um "Halloween" ou "Hostel" ;)

    ResponderEliminar