segunda-feira, 20 de abril de 2015

Megan Maxwell - Adivinha Quem Sou [Opinião]

Sinopse: AQUI

Opinião: Megan Maxwell é a minha autora preferida no que concerne aos eróticos ditos contemporâneos. Já referi por aqui algumas vezes, no entanto volto a reforçá-lo: a autora espanhola soube cativar-me com a trilogia Pede-me O Que Quiseres e o spin off Surpreende-me.
Surpreendida fiquei eu quando vi que a Planeta editou mais uma obra da autora, desta feita uma duologia. O segundo volume não tardou a ser publicado, sensivelmente um mês depois.

Adivinha Quem Sou é uma história de amor com contornos tórridos, muito ao estilo do que a autora nos habituou. A protagonista é Yanira, uma jovem espanhola que inicia a aventura da sua vida ao mudar a sua actividade profissional como cantora num cruzeiro. 

Tendo eu lido a trilogia anterior da autora, não consigo deixar de tecer algumas comparações entre as obras. No que concerne à história, penso que Adivinha Quem Sou não traz nada de novo ao género. A trama gira sobre a atracção de Yanira por Dylan, passando por passagens caricatas e outras de cariz bem erótico. A autora explora as fantasias mais secretas das mulheres e torna-as banais e apaixonantes.
Outra semelhança abismal que notei foi o importante pano de fundo familiar, numa fase já adiantada do romance. A nossa protagonista não se entende com o pai de Dylan e surgem alguns ligeiros dramas familiares.
Mais uma vez, a autora opta por um registo altamente sensorial ao introduzir excertos de várias músicas.

A protagonista Yanira também acaba por ser uma versão mais jovem de Judith, a protagonista da trilogia Pede-me O Que Quiseres. 
Yanira protagoniza várias cenas espirituosas relacionadas não só com a sua atípica família como também no decorrer da sua relação com Dylan. É uma mulher directa, audaz e aventureira. Já Dylan se destacou das demais personagens masculinas em livros do género por ter um emprego normal (sinceramente já estou cansada de ver protagonistas masculinos com empregos de luxo!). Dylan inicialmente suscita algumas dúvidas, dando azo a alguns episódios algo caricatos mas creio ser uma personagem equilibrada (mais uma vez foge ao estereótipo do homem controlador, típico deste tipo de romance).

Ao longo do livro, achei que algumas situações poderiam estar mais bem explicadas embora penso que estas serão devidamente esclarecidas no volume seguinte da história.
O último capítulo é bastante preenchido, pois observa-se uma imensidão de cenas decorrer e a história acaba inesperadamente, ficando por isso, em aberto. Fiquei com uma certa curiosidade em ler o segundo volume, Adivinha Quem Sou Esta Noite.  

Em suma, Adivinha Quem Sou não me conquistou como a obra antecessora da autora, no entanto, proporcionou-me uma leitura leve, descontraída e apaixonada.


Sem comentários:

Publicar um comentário