quarta-feira, 22 de março de 2017

Especial Thrillers Psicológicos [Projecto d´A Mulher Que Ama Livros]


Conforme anunciado, esta semana estou a participar no projecto da Mulher que Ama Livros (aproveito para agradecer novamente o convite à Cláudia!) dedicado ao género que tenho abraçado nos últimos tempos mais entusiasticamente, os thrillers psicológicos.
De 20 a 24 de Março, alguns blogues apresentarão sugestões de livros e filmes do género.

Esta é a lista dos participantes
A mulher que ama livros
Serão no Sofá
Menina dos Policiais
Diário da Chris
Say Hello to My Books

Eu vou debruçar-me sobre os livros. Vós sabeis o meu amor pela literatura. 
Se o post ficar muito extenso, perdoem-me. Foi, para mim, difícil eleger os meus preferidos. Além disso, adoro thrillers psicológicos e provavelmente não vou conseguir cingir-me ao essencial. De qualquer das formas, vou incluir os links, onde encontrarão as opiniões das obras, de forma mais fundamentada.


Começamos com estes dois, em inglês. Ainda não terminei The Girl Before de Rena Olsen mas é um sério candidato ao pódio dos preferidos. Está a mexer imenso comigo. Ainda tenho algumas horas de leitura pela frente mas, pelo sim pelo não, menciono-o por contar uma história tão dilacerante e perturbadora. Gosto de livros assim ;)

Relativamente ao Behind Closed Doors, recomendei-o na semana passada. Li-o em apenas dois dias, mesmo com o entrave da língua e fiquei rendida. A história é dilacerante e alicerçada em casamentos disfuncionais. O que "aprendi" com esta história é que a violência psicológica tem um efeito tão intenso quando a física. E mais não digo, têm mesmo que conhecer o casal Grace e Jack Angel.
Ahhh e para quem não aprecia literatura em inglês, esta obra será publicada em Julho pela Editorial Presença.
 

Estes são os meus thrillers psicológicos favoritos. Confesso que tive bastante dificuldade em aferir os melhores e cheguei à conclusão que tenho que mencionar, para além destes, mais uns quantos que merecem ser referenciados pelos grandes momentos de literatura que me proporcionaram. Mas já lá vamos. Os livros desta pilha foram classificados com 5 estrelas no Goodreads, pelo que, na minha opinião, são o crème de la crème dos thrillers psicológicos.

Confissões de Kanae Minato, também recomendado pela anfitriã do projecto, é um romance brutal sobre vingança. Chocou-me muito o rumo da história e, sobretudo, ler algo embebido numa cultura diferente da nossa. Foi o primeiro livro asiático que li e marcou-me imenso. Curiosamente, não sou fã do cinema oriental mas esta obra tornou-se uma das minhas preferidas e creio que se tornará, com o tempo, um livro que nunca esquecerei.

A Rapariga Corvo, de Erik Axl Sund é o primeiro livro de uma trilogia que li em 2014 e teima em não sair da minha cabeça. É dark, pesado e inquietante. Uma vez que é o primeiro livro de uma trilogia, a história, como é evidente, apenas é fechada no terceiro volume da série, As Instruções da Pitonisa. É uma trilogia que, a par da Millennium de Stieg Larsson, é das minhas preferidas.

Se há uma entendida em thrillers psicológicos, esta será, provavelmente, Gillian Flynn. Já li a sua bibliografia completa e escolhi o meu preferido, Objectos Cortantes. Como mencionei sobre a mesma, na minha opinião, este pareceu-me ser o livro mais intoxicante da autora. Há uma cena que me vem logo à cabeça assim que tiro este livro da estante e que atribui o título à obra. 
Devo também referir que li esta obra duas vezes: quando saiu, pela extinta editora Gótica e, mais recentemente, quando foi reeditada pela Bertrand. Quando o reli, a sensação excruciante persistiu.

No Canto Mais Escuro de Elizabeth Haynes chocou-me pelo teor gráfico. É uma história muito pesada sobre uma relação amorosa que se pauta pela obsessão do marido, traduzindo-se em violência doméstica. Recordo-me que, aquando a sua leitura, senti-me angustiada por várias vezes.
Por último, um livro que infelizmente caiu no esquecimento: Continua Desaparecida de Chevy Stevens. Li-o quando saiu e ainda hoje me lembro da história com grande clareza. A história é sobre um rapto e contado em primeira pessoa. É dilacerante. Lamento nunca mais ter visto publicações desta autora porém, audaz como ando, hei de me aventurar e ler as suas restantes obras em inglês.


Estes merecem menções honrosas. Foram leituras plazerosas e tiveram um efeito bastante semelhante em mim. Quando os livros mexem comigo, só poderão ser bons, certo? Além disso, estes títulos têm algo em comum: uma leitura ávida.

Nunca tinha lido nada de Lisa Scottoline mas fiquei sua fã. Não Contes Nada é a história de um pai que tudo faz para safar o filho de uma situação complexa. Oscila entre o thriller psicológico e o drama, é certo, mas não pude deixar de ficar impressionada com a história.

A Teia de Mentiras volta a pegar num tema que aprecio muito: relações matrimoniais mas fá-lo de uma forma diferente, fomentando a incerteza e a dúvida de um dos elementos do casal. 

Deixei-te Ir é fantástico. Aquela reviravolta a 1/3 do livro... e, posteriormente, o rumo que seguiu. Foi inexplicável. Adorei! Tinha mesmo que falar nesta obra que é marcante no género. 

Numa Floresta Muito Escura é um thriller psicológico que, de certa forma, relembrou-me as histórias da Agatha Christie em que se reuniam os suspeitos para descortinar o culpado. O ambiente resultou muitíssimo bem, conferindo uma certa claustrofobia e o resultado final foi uma história muito bem conseguida e que me cativou. 

Não Digas Nada de Mary Kubica é sobre um rapto e, à medida que a trama se desenvolve, vai tendo uns contornos imprevisíveis. Até que Sejas Minha de Samantha Hayes explora a obsessão pela maternidade. Que história... 

Quando me lembro de Presa e Predador, penso no bullying que a filha da protagonista sofria na escola e na provação a que ela e a mãe são sujeitas, tornando a trama um jogo de caça ao rato.

Desaparecida de Katy Gardner não é um livro muito falado e tenho pena pois gostei imenso desta história. O desaparecimento de uma criança abre as portas para uma realidade bem mais aterradora.

Para finalizar, porque não ler Doce Tortura? Dissecar as fobias de uma personagem tão peculiar como é Anna naquela casa tão sombria foi fascinante. Gostei tanto do título que fui imediatamente comprar a outra obra da autora, Não Há Bela Sem Senão, para degustar um dia destes...

Na calha ainda tenho mais alguns livros do género que quero desesperadamente ler e, quiçá, daqui a uns tempos não reformular o meu top.

E vocês? Que thrillers psicológicos recomendam?

Não percam a continuação deste Especial Thrillers Psicológicos, amanhã, no blogue O Diário da Chris. Estou curiosa em ver as suas sugestões. 

10 comentários:

  1. Muito top. Não vejo a hora para o livro que referiste no inicio seja lançado pela Presença.

    ResponderEliminar
  2. Tenho alguns em casa e este post deu mais vontade de os ler :D

    ResponderEliminar
  3. Adorei o post!!! ❤❤ Deixou--me a minha TBR ainda maior com todas as recomendações!!

    Beijinhos,
    Carolina - leiturasdacarolina.blogspot.pt

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada Carolina! Um grande beijinho e boas leituras

      Eliminar
  4. Que lista fantástica! Há aqui dois ou três que já queria muito ler e ainda fiquei com mais vontade!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Que bom! Fico mesmo contente! Um grande beijinho e boas leituras :D

      Eliminar
  5. Os em inglês vou ficar à espera que saiam em Português!
    “Confissões” já li, adorei, mas achei muito chocante. “Não contes nada” também gostei muito!
    “Presa e predador” gostei, mas não achei nada de especial… não me prendeu muito, achei a história um pouco parada…
    “A rapariga corvo” não sei porquê, mas nunca me despertou a atenção e sendo trilogia, muito menos (começo a ficar farta desta história das continuações!).
    “Objectos cortantes”, “No canto mais escuro”, “Teias de mentiras”, “Deixei-te ir”, “Numa floresta muito escura”, “Não digas nada” e “Desaparecida” constam nas minhas estantes à espera de serem lidos :D
    “Doce tortura” e “Continua desaparecida” vão entrar para a minha wishlist (por tua causa!) ;-)
    Dos que li este ano, destaco: “As irmãs” de Claire Douglas, “A criança de fogo” de S. K. Tremayne e "Gritos Silenciosos", de Angela Marsons.
    Boas leituras e vou ficar atenta às próximas recomendações!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Olhei para esses livros mas pensei que já estava a exceder-me hehe
      Nas estantes por ler tens uns bons livrinhos :D

      Um grande beijinho e boas leituras

      Eliminar