domingo, 11 de junho de 2017

Patricia Highsmith - O Rapaz que Seguiu Ripley [Divulgação Relógio d´Água]


Data de publicação: Junho 2017

               Título Original: The Boy Who Followed Ripley
               Tradução: Carolina de Oliveira
               Preço com IVA: 16,00€ 
               Páginas: 328
               ISBN: 9789896417239 

Sinopse: «E se o rapaz que conhecera na noite anterior fosse Frank Pierson? Dezasseis anos. Parecia tê-los, mais do que os dezanove que lhe dissera. Do Maine, não de Nova Iorque. Quando o velho Pierson morrera não tinha aparecido um retrato da família toda no IHT? Pelo menos aparecera um retrato do pai, cujo rosto Tom não conseguia recordar. Ou teria sido no Sunday Times? Mas do rapaz de há três dias lembrava-se melhor do que era costume lembrar-se das pessoas. A expressão do rapaz era bastante meditativa e séria; não sorria facilmente. Boca firme, sobrancelhas escuras, retilíneas. E o sinal na face direita, demasiado pequeno para aparecer numa fotografia de tamanho médio, talvez, mas um sinal. O rapaz não fora apenas delicado; fora cauteloso.»
Um jovem americano com quem Tom se relaciona por acaso poderá ser o herdeiro de uma fortuna. De quem foge ele afinal? Que razões o levam a ocultar tão desesperadamente o seu segredo? Que perigos esperam Tom se o ajudar?
Este é o enigma da quarta novela da série Ripley. 

Sobre a autora: Patricia Highsmith (1921-1995) publicou cinco romances na série de Ripley entre 1955 e 1991. É também a autora de "O Desconhecido do Norte Expresso", "The Price of Salt" e "A Dog’s Ransom". «[Highsmith] obriga-nos a reconsiderar as linhas entre a razão e a loucura, normal e anormal, enquanto nos incita a partilhar o ponto de vista traiçoeiro do nosso herói.» Michiko Kakutani, New York Times «Patricia Highsmith é por vezes descrita como uma escritora de policiais ou livros de mistério, o que é um pouco como dizer que Picasso fazia desenhos.» Cleveland Plain Dealer «Não existe ninguém como Patricia Highsmith para evocar a ameaça que se esconde em lugares familiares.»Time «O génio de Highsmith ao criar Tom Ripley mostra-se na sua habilidade em equilibrar as facetas heróicas e demoníacas do típico sonhador americano na mesma personagem – mantendo-nos do seu lado muito depois do seu comportamento se tornar mais sociopata do que o de um charlatão como Gatsby.»Frank Rich, New York Times Magazine

Sem comentários:

Publicar um comentário