domingo, 16 de julho de 2017

Maratona Dark-a-Thon [Wrap Up]

 

Terminou mais uma maratona, desta feita, dedicada ao thriller e ao terror. Os meus géneros de eleição. Li imenso nesta maratona, o que se traduziu num decréscimo de filmes vistos. Relembro que tinha planeado ler o seguinte:

 

Contudo, a realidade foi algo diferente:

1 - Lê um livro cuja acção seja à volta de um serial killer
A Rapariga de Gelo de Robert Bryndza. Para ser sincera, e como poderão averiguar pela minha opinião, considerei uma obra banal.

2 - Lê um livro cujo título seja assustador
Baptizo-te para a Morte de Patricia Macdonald por achar que há um impacto em aliar o nome de um acto sacramental à morte. É um thriller psicológico muito interessante e que me manteve agarrada ao longo da sua leitura.

3 - Lê um livro protagonizado por uma mulher
A Rapariga de Gelo de Robert Bryndza protagonizado por Erika Foster e Baptizo-te para a Morte de Patricia Macdonald protagonizado por Morgan Adair (apesar de, aparentemente, ter um nome masculino, a personagem era uma mulher)

4 - Abre um livro de contos de terror e lê o conto da página 66
Os Anos Intoxicados, da colectânea de contos de terror do livro As Coisas Que Perdemos no Fogo de Mariana Enriquez. Não só li este conto como, fascinada com a qualidade da escrita da autora, li o livro na íntegra. Muito bom!

5 - Lê um thriller/livro de terror de um autor que ouviste falar mas nunca tiveste oportunidade de ler
As Coisas Que Perdemos no Fogo de Mariana Enriquez, A Rapariga de Gelo de Robert Bryndza e ainda Her Last Tomorrow de Adam Croft (por cá publicado como O Último Amanhã).

6 - Escolhe um thriller/livro de terror e lê apenas à noite, antes de adormeceres
A Rapariga Que Adorava Tom Gordon de Stephen King. Como referi na opinião, não foi dos melhores livros que li do autor. Ainda assim, adorei conhecer a pequena Trisha, super fã de baseball.

Sem conseguir encaixar em nenhuma categoria, mas super recomendado pela organizadora do evento, a Elsa Esteves do canal Ordem D´Avis, iniciei a leitura de A Caixa em Forma de Coração de Joe Hill, o filho de Stephen King. Uma história arrepiante de fantasmas. Embora não aprecie tramas sobrenaturais, regra geral, esta está a impressionar-me bastante. Muitíssimo bem escrita e estou expectante com o final.


Sem comentários:

Publicar um comentário