quinta-feira, 21 de março de 2013

Dan Wells - Não te Quero Matar [Opinião]


Sinopse: John Wayne Cleaver é um rapaz bem-comportado, tímido, reservado (e obcecado com a morte, mais especificamente com homicídios), que estuda obsessivamente serial killers e passa os tempos livres a trabalhar na casa funerária da família. A morte parece fazer parte indelével da sua vida; talvez por isso John tenha desenvolvido os poderes de dedução que lhe permitiram salvar a sua cidade do ataque de assassinos (literalmente) demoníacos.
Em Não Te Quero Matar, John Wayne Cleaver apercebe-se de que a única maneira de pôr fim a estes ataques é fazer frente aos demónios que mataram tantos dos seus amigos e vizinhos.
Para isso, vai ter de desafiar uma das criaturas mais perigosas com que já se deparou; e os demónios nunca fazem jogo limpo…
Um thriller sobrenatural irresistível, com um dos protagonistas mais inesquecíveis deste género.

Opinião: Apesar de não se enquadrar no género policial, Dan Wells é um autor que me cativou anteriormente, com os livros Não Sou um Serial Killer e Senhor Monstro. Os enredos, pertencentes a um género mais do fantástico, denotam um ingrediente que prezo nos livros: o mistério.
Além disso, como já tive oportunidade de me expressar anteriormente, adoro o personagem principal: John Wayne Cleaver e a sua irreverência e a sua impiedade na forma como percepciona a morte. A sociopatia do jovem dá azo a uma sobriedade incomum se tivermos em conta que a personagem tem apenas 15 anos. No entanto, as brilhantes considerações que este tece faz com que o livro seja lido com um ânimo leve e por vezes, algum humor negro pelo meio.

É uma saga a qual se deverá iniciar obrigatoriamente pela leitura de Não Sou Um Serial Killer, afim de nos familiarizar com o contexto do protagonista.

Em relação a Não Te Quero Matar, foi provavelmente o livro que mais gostei do autor. E porquê? Denota muita emoção, que contrasta com a personalidade de John. Além disso, confesso que fiquei muito surpreendida com duas passagens em particular. 
No entanto, o instinto assassino de Cleaver está mais contido, focando-se a acção noutros assassinos. Não vos quero induzir em erro: continua a existir uma imensa componente sobrenatural mas em que nada tira o gozo de ler estas tramas, que acho adequadas quer para adultos ou jovens que apreciem enredos com suspense (e que não se deixem atemorizar pela temática, claro).
Penso que é notória a evolução do personagem principal embora em particular, Não Te Quero Matar, insere-se mais num cenário escolar onde é enfatizada a relação de John com Marci, relembrando talvez aqueles namoros teen, um sentimento saudosista que naturalmente emerge no leitor.

Foi também o culminar de uma série de histórias que sendo sobrenaturais, se encaixaram perfeitamente no meu rol de preferências a nível literário. As passagens de John no ambiente profissional da mãe, sendo esta cangalheira, carregam consigo breves reflexões, embora algumas delas um pouco imberbes, sobre a morte. Desde procedimentos técnicos inerentes às autópsias ao processamento de cadáveres, são talvez os excertos de natureza mais delicada, que John relativiza tendo em conta o ambiente fúnebre que o rodeia.

Finda esta leitura, fui verificar que livro se seguiria a Não Te Quero Matar e fiquei desolada quando me apercebi que o autor apenas escreveu estes três livros protagonizados por John Cleaver. Penso que a continuação desta série seria um êxito estrondoso como aliás está provado no Goodreads, em que este livro se encontra classificado actualmente com 4.23 em 5.

Fãs do sobrenatural e de livros que, embora munidos de homicídios, estes sejam tratados de ânimo leve: este é o livro ideal! Mais do que isso: Não Sou um Serial Killer, Senhor Monstro e Não Te Quero Matar constituem a saga ideal! Gostei imenso!


Sem comentários:

Publicar um comentário