terça-feira, 11 de junho de 2013

Mary Higgins Clark - Onde Estarás? [Opinião]


Sinopse: Decorreram dez anos desde que o jovem Charles MacKenzie, júnior, («Mack») desapareceu. No entanto, obedece a um ritual todos os anos: telefona à mãe no Dia da Mãe. Sempre que lhe liga, assegura-a de que está bem, recusa-se a responder às perguntas frenéticas que ela lhe faz e desliga. A irmã de Mack, Carolyn, sente que nunca será capaz de voltar a ter paz de espírito e dar continuidade à sua vida enquanto não encontrar o irmão.

Opinião: Depois de ter lido o Imperdoável de Patricia MacDonald, estava com disposição de continuar na linha dos thrillers psicológicos. Sei que nesse campo, Mary Higgins Clark nunca desilude.
Além da capa lindíssima e da sinopse misteriosa, foi extremamente apelativo ter lido os agradecimentos da autora antes de iniciar a obra propriamente dita. Clark esclarece que leu uma notícia sobre o desaparecimento de um jovem, que remonta há 35 anos, em circunstâncias bastante similares à da sinopse, tendo sido uma inspiração para a história que se segue. Foi o que, à partida, mais me surpreendeu: saber que esta foi de facto, inspirada num caso real, se bem que não tenho conhecimento de como terá sido esse desfecho.

Confesso que inicialmente estava um pouco perdida na trama devido à catadupa de personagens que a autora ia apresentando, aparentemente sem ligações. A autora apresenta as personagens, gradualmente de forma pormenorizada e em curtos capítulos, a modo que todas elas tenham uma dose de suspeição, apesar de ser uma fórmula repetente nos romances de Clark.

Este foi sem dúvida um livro que me deixou a reflectir, mesmo após tê-lo fechado para prosseguir a leitura num outro momento. De facto, os contornos deste desaparecimento são invulgares e à medida que desfolheava as páginas, formulava e destronava as minhas próprias teorias.
A busca de Carolyn por Mack desencadeia uma serie de acontecimentos, incluindo um novo desaparecimento de uma rapariga com contornos bastantes similares ao de Mack, há dez anos atrás, deixando-me pensar onde estariam e porque razão queriam ocultar os seus paradeiros.
Gosto quando me envolvo tanto num livro como foi este caso...

Gostei da estrutura do livro que conta com dois narradores. A fórmula não é inédita por parte de MHC mas resulta muitíssimo bem. Parte do livro é escrito na primeira pessoa, sob a perspectiva de Carolyn, narrando como ela prossegue com a sua investigação pessoal. Por outro lado, o resto do livro é escrito na terceira pessoa, pondo o leitor ao corrente de informações que Carolyn naturalmente não dispõe.

Fiquei genuinamente surpreendida com o desfecho por não ter equacionado antes. Apesar da surpresa, reconheço que foi coerente a forma como o quebra cabeças foi resolvido.

Como MHC nos tem vindo a habituar, Onde Estarás? é um livro de rápida leitura, caracterizado por um mistério bem consistente, uma atmosfera sinistra, inúmeras emoções à flor da pele e um desfecho surpreendente. Gostei muito deste livro, transitando sem dúvida, para o role dos meus livros preferidos da autora!



Sem comentários:

Publicar um comentário