quarta-feira, 25 de agosto de 2010

Douglas Preston e Lincoln Child - Os Corvos


Este foi um livro comprado por recurso. Melhor dizendo, faltou-me literatura nestas férias, e ao passear no Ria Shopping, não resisti.

Tem um bom mote: numa aldeia muito pacata surge no meio das plantações de milho um corpo de uma mulher mutilado. Este acontecimento veio trazer À praça pública a lenda dos quarenta e cinco, que foi ganhando alguma importância com o passar dos anos.

Os pontos positivos do livro a meu ver, estão nos pormenores sórdidos contados na autópsia da rapariga morta. Estes também são visíveis nas mortes de outras pessoas ao longo do livro.
Também foi interessante a introdução do tema da modificação genética do milho, que desmistificou algumas das ideias sobre o mesmo. É também um livro muito real na medida em que retrata toda a vivência em meios pequenos, e rapidamente identificamo-nos com este aspecto.

Gostei das personagens, nomeadamente a evolução da Corrie e da relação desta com Pendergast. Já este continua a personagem perspicaz de sempre, assim como D´Agosta!

Ora sobre pontos negativos tenho a dizer que apesar de não ter lido as obras anteriores destes autores, nomeadamente A Relíquia e o Relicário, sabia que envolviam bichos no museu, e receava que este livro fosse pelo mesmo caminho. Mas não, os autores no final da trama encontraram uma solução bastante viável para explicar os vários homicídios de Medicine Creek.

Aconselho apesar de, na minha opinião, o livro Enxofre ser melhor (este marca o início da trilogia Diogenes e que estou agora a ler o último).

Boas leituras!

Sem comentários:

Publicar um comentário