segunda-feira, 21 de abril de 2014

Janet Evanovich - Corrida Perversa [Opinião]


Sinopse: AQUI

Opinião: Corrida Perversa é o segundo livro protagonizado por Lizzie e Diesel. Sou grande fã da autora, Janet Evanovich, já tive oportunidade de mencionar este facto algumas vezes por cá mas confesso que a minha série preferida é mesmo a da Stephanie Plum.

De facto Corrida Perversa inicia-se com uma morte, a do professor Gilbert Reedy, mas rapidamente a trama assume os contornos do sobrenatural, tal como o primeiro volume, Gula Perversa. Continua a busca pelas pedras SALIGIA, desta feita, a referente à Luxúria.
Já que o livro anterior era Gula Perversa, pergunto-me porque este não tem como título, Luxúria Perversa. Sem duplo sentido, ok? Afinal de contas, o pecado mortal Luxúria, o desejo passional instigado pela sensualidade e erotismo, é abordado de uma forma muito light. 
É portanto, um livro que não tem nenhum publico alvo, tendo apenas um requesito: que se seja fã do humor nonsense.

Posto isto, Corrida Perversa está muito na onda do que li anteriormente da autora: uma história mirabolante e personagens excêntricas contribuem para uma leitura que facilmente arranca gargalhadas. São inúmeras as personagens novas e a história, essa, achei que se dispersou várias vezes, para abranger o maior número de episódios insólitos e simultâneamente divertidos. 

Tirando a postura do macaco Carl, que tem o seu papel diminuto no presente livro, não achei de todo as piadas cliché. Por outro lado, algumas personagens secundárias ganham destaque como a colega de Lizzie, Glo, cujas pseudo-feitiçarias não correm lá muito bem e Hatchet, o aparente cavaleiro medieval que parece ter parado no tempo.
Até a vilã, representada pela estranha Anarquia, tem um fundo tanto humorístico quanto maléfico.
Adoro a protagonista, que narra a história na primeira pessoa, Lizzie. Em tantos momentos me faz lembrar Stephanie Plum. Especialmente porque em Corrida Perversa constatamos uma maior tensão entre Lizzie e Wulf (e uma já assumida atracção por Diesel), recordando-me do triângulo amoroso Stephanie, Morelli e Ranger.

Apesar de ser o segundo volume de uma série, é um livro que se lê bem independentemente de não se conhecer o antecessor Gula Perversa. No entanto, recomendaria a leitura deste afim de se conhecer melhor os primórdios da relação entre Lizzie e Diesel bem como surgiram os seus animais de estimação: o divertido macaco Carl e o estranho Gato 7143.

Em suma, Janet Evanovich é a autora ideal quando procuro livros que me façam desanuviar do stress do dia a dia. Leve, rico em situações disparatadas e acima de tudo, pejado de boa disposição, é um livro que se lê num ápice e faz desejar por mais! Cá aguardo com muita expectativa o próximo livro da autora!

Para mais informações sobre o livro Corrida Perversa, clique aqui.












Sem comentários:

Publicar um comentário